“Novo Pacto Educativo Global”: o cristianismo dá lugar a um ambientalismo panreligioso, no quadro da Nova Ordem Mundial

O atual pontífice da Igreja Católica continua determinado em substituir o velho cristianismo por “uma compreensão mais ampla e mais profunda da realidade”, segundo o novo paradigma da coexistência das diversas religiões que, segundo a novíssima doutrina de Francisco, é desejado por Deus. O foco central deixa de ser Jesus Cristo e a salvação universal para passar a ser a preservação da “casa comum”. Neste sentido, Francisco irá celebrar um “Pacto Educativo Global“, em Roma, no dia 14 de maio de 2020.

Eis então a necessidade de construir uma «aldeia da educação», onde, na diversidade, se partilhe o compromisso de gerar uma rede de relações humanas e abertas. Para isso, antes de mais nada, o terreno deve ser bonificado das discriminações com uma injeção de fraternidade, como defende o Papa no Documento assinado com o Grande Imã de Al-Azhar.

(In Vatican News, 12/09/2019)

É a Igreja de Jesus Cristo transformada numa enorme ONG ao serviço da Nova Ordem Mundial. Ou será que alguém ainda acredita que o Papa Francisco irá aproveitar o facto de ser na semana das aparições de Fátima para convidar aquela gente toda a prostrar-se perante o Santíssimo Sacramento em adoração ou a rezar o terço pelo triunfo do Imaculado Coração de Maria?

Basto 09/2019

Universidade de Princeton: uma guerra entre a Rússia e os EUA/NATO vitimaria 91,5 milhões de pessoas em poucas horas

guerra nuclearRecorrendo a dados oficiais e a estimativas realistas, o Sience & Global Security, um programa de ciência e segurança global da Universidade de Princeton, EUA, simulou um conflito armado entre os países da NATO e a Rússia, obtendo resultados avassaladores. O conflito teria início com armas convencionais, mas evoluiria rapidamente para o recurso a armas nucleares, provocando a morte imediata a 34,1 milhões de pessoas e ferindo 57,4 milhões em poucas horas.

Mais informação em Observador, 27/09/2019.

Basto 09/2019

Arcebispo Viganò: Estamos a testemunhar a criação de uma “nova igreja”

viganò.jpg

Por Claire Chretien

13 de setembro, 2019 (LifeSiteNews) – Tem havido uma campanha de “infiltração” na Igreja “que dura há séculos”, afirmou o arcebispo D. Carlo Maria Viganò numa nova entrevista ao Dr. Robert Moynihan para o Inside the Vatican.

Esta campanha remete-nos “em particular, para a criação da maçonaria na década de 1700”, explicou Viganò. “Mas é claro que este projeto foi muito enganoso e orientado, ou até incluindo de algum modo a ajuda de membros da Igreja.”

“Isso foi exposto no livro “Infiltration”, do Dr. Taylor Marshall, para que possamos aí encontrar alguma indicação desse processo”, acrescentou. “Mas esse processo tornou-se notavelmente evidente nos tempos modernos”.

Viganò explicou que, na abertura do Concílio Vaticano II, o cardeal jesuíta D. Augustin Bea estava empenhado em influenciar os bispos “a porem de lado os planos que haviam sido preparados pelos vários gabinetes da Cúria Romana, de modo a elaborar  um novo plano”.

Os novos planos foram “preparados por teólogos principalmente do norte da Europa, Hans Küng, Karl Rahner e outros”, disse Viganò, referindo-se a dois notáveis ​​teólogos de Esquerda.

“Este foi o início de uma abertura, a primeira quebra no muro do procedimento que havia sido estabelecido, no processo de criação de uma nova Igreja”, disse ele.

“Acho que seria muito oportuno relembrar aos leitores, relativamente a esse tema da nova Igreja, o que foi publicado em abril pelo Papa Emérito Bento XVI a respeito do projeto de fundação de uma nova igreja”, continuou o arcebispo. “Ele disse que isso seria uma catástrofe. Foi muito duro no que concerne a esse assunto. ”

Viganò discutiu depois a rutura que aconteceu na Igreja no final do Concílio Vaticano II, que ele sugeriu ter sido uma interpretação errónea do conselho pastoral. Isso foi “promovido por… [uma] enorme máquina de propaganda mediática”.

Concluiu:

E, de maneira semelhante, durante este presente pontificado, uma maquinaria mediática semelhante, que inclui fotos do Papa Francisco com o Papa Emérito Bento XVI, e muito mais, foi usada para argumentar que o “novo paradigma” do Papa Francisco está em continuidade com o ensinamento dos seus antecessores.

Mas não é o caso, trata-se uma “nova igreja[.]”…

Esta frase “novo paradigma” é uma estratégia para encobrir o verdadeiro objetivo, porque eles não querem dizer o que exatamente se esconde por detrás dessa palavra. Para muitos, essa palavra “paradigma” é algo exótico, algo sofisticado. Todos a usam. Mas é usada para iludir, enganar, sugerindo uma continuidade sem revelar que pretendem a descontinuidade[.]

Viganò é o anterior núncio papal nos Estados Unidos. Em agosto de 2018, divulgou um testemunho bombástico, detalhando como o conhecimento da predação homossexual do ex-cardeal D. Theodore McCarrick chegara aos mais altos níveis da Igreja. Viganò afirmou que o Papa Bento XVI sancionara McCarrick em privado e que o Papa Francisco, tendo conhecimento das inclinações do ex-prelado agora afastado, levantou essas sanções. Além disso, o atual pontífice fez de McCarrick um “selecionador” no processo de escolha de bispos, disse Viganò.

O arcebispo também acusou o cardeal D. Donald Wuerl de mentir “desavergonhadamente” ao afirmar que não sabia das acusações contra McCarrick, seu predecessor na Arquidiocese de Washington DC.

Numa entrevista anterior com Moynihan, Viganò explicou que a “figura de Cristo está ausente” do documento de trabalho do Sínodo da Amazónia. Desde o seu testemunho em agosto de 2018, Viganò continuou a destacar vários encobrimentos da Igreja, dizendo que o Papa Francisco ignorou um “dossiê aterrorizante” sobre abusos sexuais de um alto bispo do Vaticano; disse que o Vaticano encobriu alegações de abuso de adolescentes pré-seminaristas que serviam como acólitos do Papa; e disse ainda que o reitor da basílica em Washington DC faz parte da “máfia gay” do clero.

Viganò encontra-se atualmente escondido num local não revelado.

A edição original deste texto foi publicada pelo LifeSiteNews a 13 de setembro de 2019. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do texto acima é da inteira responsabilidade da sua autora, salvo algum eventual erro de tradução. A presente edição destina-se exclusivamente à sua divulgação, sempre que possível deve ser lido na sua edição original.

Basto 09/2019

Ativista gay da Companhia de Jesus propõe retiros para adolescentes LGBTQ

Pe. James Martin SJ, o conhecido ativista LGBT nomeado pelo Papa Francisco como consultor da Santa Sé para as comunicações e como pregador do homossexualismo católico no Encontro Mundial de Famílias 2018, em Dublin, propõe dois retiros nos EUA para adolescentes lésbicas, gays, bissexuais e transexuais. Um desses retiros terá lugar numa casa dos Jesuítas, na Atalanta, e o outro será numa casa dos Franciscanos, no Norte da Califórnia.

james martin.jpg
In Twitter de James Martin SJ, 08/09/2019.

James Martin, como se sente autorizado e apoiado, continua a promover abertamente o homossexualismo, agora até durante o Santo Sacrifício da Missa.

Basto 09/2019

Francisco defende obediência à ONU

Francisco, o líder da maior e mais importante instituição universal, fundada pelo próprio Cristo, defende o dever de obediência às instituições internacionais da Nova Ordem Mundial, cujos princípios maçónicos chocam diretamente com a Lei de Deus.

Basto 09/2019

Papa Francisco: É Nossa Senhora que me diz o que devo fazer nas viagens apostólicas

Na audiência geral do dia 11 de setembro, depois de concluída a viagem a Moçambique, Madagascar e Maurícia, o Santo Padre deixou alguns fiéis bastante surpreendidos quando confessou que recorre a Nossa Senhora para o guiar nas suas viagens apostólicas, para que Ela o guie na escolha das suas palavras e gestos. A surpresa resulta do facto de algumas das palavras e gestos produzidos por Francisco nessas viagens se revelarem altamente perturbantes e até contrários ao ensinamento cristão.

Por outro lado, toda gente reconhece a forte devoção de Francisco à Virgen Desatanudos.

Basto 09/2019

Papa Francisco visita o Santíssimo Sacramento na Catedral de Maputo

adoração.moçambique

Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Conceição, Maputo, Moçambique, no encontro com os bispos, sacerdotes, consagrados, seminaristas, catequistas e animadores pastorais.

Fonte: Vatican News, 05/09/2019.

Basto 09/2019

Em Moçambique, o Santo Padre destaca as virtudes do Pantera Negra

Durante o encontro inter-religioso que ontem se realizou em Maputo, onde estiveram presentes representantes de diversas falsas religiões existentes em Moçambique, o Santo Padre destacou o discernimento vocacional de Eusébio da Silva Ferreira e da sua forte perseverança no futebolismo.

Basto 09/2019

Associação Internacional de Exorcistas corrige o Superior Geral da Companhia de Jesus

Escandalizados sim, surpreendidos não, ou não fosse este um contexto histórico de apostasia generalizada, inédito em toda a era cristã. Há dias, a Associação Internacional de Exorcistas, cofundada pelo Pe. Gabrile Amorth, teve necessidade de vir a público corrigir o Superior-geral da Companhia de Jesus a respeito de uma verdade elementar da nossa fé, a qual não deveria suscitar dúvidas ao menos instruído dos leigos.

O Pe. Arturo Sosa Abasca S. J., Superior-geral dos Jesuítas, nega escandalosamente e volta a negar a existência do Diabo, não obstante, continua à frente da maior ordem religiosa católica a nível mundial. Pensa de modo diferente, sente de modo diferente, quiçá até confia em Buda

arturo.buda

Negou publicamente a existência do Diabo, há dois anos, numa entrevista ao diário espanhol El Mundo, e voltou a fazê-lo recentemente numa outra entrevista, agora à revista italiana Tempi.

Quando o próprio Superior-geral dos Jesuítas não acredita e nada lhe acontece, é porque a apostasia atingiu transversalmente a ordem fundada por Santo Inácio de Loyola.

Basto 09/2019

Francisco anuncia a criação de 13 novos cardeais – 10 novos eleitores, o grupo mais liberal alguma vez escolhido

matteo zuppi.jpg

Por New Catholic

No final do Angelus de hoje [1 de setembro], Francisco anunciou um consistório para a criação de novos cardeais, marcado para 5 de outubro de 2019. Os cardeais eleitores (com menos de 80 anos de idade) serão:

  • Miguel Angel Ayuso Guixot, M. C. C. J. – Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso;
  • José Tolentino Mendonça – Arquivista e Bibliotecário da Santa Igreja Romana;
  • Ignatius Suharyo Hardjoatmodjo – Arcebispo de Jacarta;
  • Juan da Caridade García Rodríguez – Arcebispo de Havana;
  • Fridolin Ambongo Besungu, O. F. M. cap – Arcebispo de Kinshasa;
  • Jean-Claude Höllerich, S. J. – Arcebispo do Luxemburgo;
  • Alvaro L. Ramazzini Imeri – Bispo de Huehuetenamgo, Guatemala;
  • Matteo Zuppi – Arcebispo de Bolonha [presente na imagem acima];
  • Cristóbal Lopez Romero, S. D. B. – Arcebispo de Rabat;
  • Michael Czerny, S. J. – Subsecretário para os Migrantes (Santa Sé).

Eles são, sem dúvida, o grupo de cardeais eleitores mais liberal alguma vez escolhido. Dois deles, pelo menos, são largamente conhecidos nos círculos romanos pelas suas preferências “gay” (sendo a palavra “gay” usada aqui de propósito para incluir toda a “cultura gay” homossexual referida por Bento XVI no seu documento de 2005 sobre os seminaristas a evitar), outros dois são jesuítas liberais. Mesmo aqueles que são explicitamente não liberais, como o Arcebispo de Kinshasa, foram escolhidos provavelmente devido à sua extrema proximidade com a Igreja alemã e com as preocupações dos bispos alemães.

Quanto a Michael Fitzgerald, escolhido como um dos três cardeais sem direito a voto, lembramos esta postagem de 2006 sobre o motivo pelo qual Bento XVI o enviou para longe do Vaticano.

A paixão da Igreja durará muitas décadas mais. E Francisco jamais renunciará. Além disso, os marionetistas deixá-lo-ão em coma “a criar cardeais” durante anos, se isso for necessário para refazer totalmente o Colégio de Cardeais.

A edição original deste texto foi publicada no Rorate Caeli com a data de 01/09/2019. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do texto acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. A presente edição destina-se exclusivamente à sua divulgação. Sempre que possível, o texto deve ser lido na sua edição original. A imagem não faz parte da publicação original.

Basto 09/2019