Bispo mexicano celebra missa gay em ação de graças pelo aniversário de organização homossexualista

D. José Raúl Vera López, bispo titular da diocese de Saltillo, no México, presidiu à celebração de uma missa gay, no dia 13 de janeiro, em ação de graças pelo 18º aniversário da Comunidade de San Elredo, um grupo de militantes LGBTTTI+ [acrónimo em expansão].

missa.gay
Fotos publicadas pela Diocese de Saltillo via twitter.

A missa gay inseria-se numa vasta agenda homopastoral programada para esse dia.

missa.gay2
Cartaz do evento de homossexualismo católico divulgado através do facebook.

Destaca-se também, neste evento, a participação do falso frade Julian Cruzalta, um ex-clérigo marxista e defensor do aborto.

missa.gay3
Falso frade recorre ao mantra ultra-misericordista para pregar a sua ideologia no facebook.

Nas palavras dos organizadores, “Igreja LGBT+, protagonista de uma nova evangelização“.

Basto 01/2020

Nova pastoral das artes marciais: Santa Sé terá equipas de taekwondo e judo

taekwondo
In Pastoral da Cultura, 15/01/2020.

«A exortação do papa Francisco para “sair” encorajou, sem dúvida, a presença em áreas que, noutros tempos, poderiam parecer distantes da Igreja, mas o nosso trabalho, na verdade, começou com o papa Bento. E não podemos esquecer que o papa João Paulo II foi um atleta».

(In Pastoral da Cultura, 15/01/2020)

Basto 01/2020

Sacerdote brasileiro celebra casamento gay

No passado mês de dezembro, a diocese de Assis, no Brasil, suspendeu ad cautelam o Padre Vicente Paula Gomes por este ter presidido formalmente a uma cerimónia de bênção de uma união homossexual.

Basto 01/2020

Nova pastoral nas catedrais belgas: circo litúrgico

Pelo terceiro ano consecutivo, as catedrais da Bélgica converteram-se em tendas de circo para a celebração do “Natal das Catedrais“. Os dois espetáculos circenses que passaram por várias catedrais belgas intitulavam-se “Os Sinos de Natal” e “A Viagem dos Magos”, presumivelmente inspirados nos temas das celebrações litúrgicas do Natal e da Epifania do Senhor.

Basto 01/2020

Frases que nos fazem pensar: Papa Francisco (3)

angry.pope.jpg “Tantas vezes perdemos a paciência; também eu, e peço desculpas pelo mau exemplo de ontem.”

 

(Francisco I, Papa reinante da Santa Igreja Católica Apostólica Romana desde o dia 13 de março de 2013)

Contexto da frase:

Frase proferida momentos antes da oração do Angelus do dia 1 de janeiro de 2020, reportando-se ao incidente da noite anterior na Praça de São Pedro.

Basto 01/2020

Santo Padre explica como a aprovação do adultério faz parte da “grande tradição moral da Igreja”

Num encontro que teve com um grupo de jesuítas asiáticos, durante a sua recente viagem apostólica à Tailândia e Japão, o Papa Francisco foi questionado sobre o procedimento a ter para com aqueles católicos que se casaram pela Igreja e posteriormente divorciaram-se e uniram-se civilmente as outras pessoas, ou seja, que se encontram em situação de adultério permanente. A resposta do Santo Padre foi clara, deve ser-lhes aplicada a solução prevista no Capítulo VIII da controversa exortação Amoris Laetitia.

tradição moral da Igreja1
In Vatican News, 05/12/2019.

De acordo com essa novíssima solução, inédita em 2000 anos de Civilização Cristã, após um processo de “discernimento”, os adúlteros que se encontrarem firmemente obstinados na sua atual situação de adultério poderão obter absolvição sacramental e receber a Sagrada Comunhão “segundo o Magistério da Igreja”, recorrendo às palavras do Santo Padre.

tradição moral da Igreja.jpg
María Clemencia Rodríguez de Santos agradece ao Santo Padre a bênção dada, em 2017, à sua relação adúltera com o Juan Manuel Santos, na altura, Presidente da Colômbia.

A prudência, de acordo com o Papa Francisco, pode ser uma coisa daqueles que têm “São Pilatos” como “padroeiro”.

Basto 01/2020

Filósofo ateu censura o Papa Francisco

Pera.jpg

Por Jules Gomes

ROMA (ChurchMilitant.com) – O notável filósofo italiano e amigo pessoal de Bento XVI critica o Papa Francisco por “ir contra a tradição, a doutrina e introduzir inovações, comportamentos e gestos inexplicáveis”.

O professor Marcello Pera, ateu e opositor assumido do pós-modernismo e relativismo cultural, classificou o pontificado de Francisco como “um escândalo no sentido bíblico”, pois “confunde e faz cair o fiel, não dá frutos e, pelo contrário, diminui-os.”

De acordo com o ex-presidente do Senado Italiano, em comentários à La Fede Quotidiana na última quinta-feira, as vocações e a participação nas missas caíram, a recolha de fundos está sempre baixa e o público no Angelus, na Praça de São Pedro, diminuiu consideravelmente sob o pontificado de Francisco, como mostram as imagens desses eventos papais.

“Quanto aos fundamentos da fé católica, este pontificado é um ultraje à razão”, lamentou o ex-professor de filosofia da Universidade de Pisa. “Mas ninguém, fiel ou bispo, diz alguma coisa, ninguém tem coragem de protestar, mas muitos duvidam [das realizações deste pontificado]”.

“Digamos claramente que o que está a acontecer é muito sério. Por esta altura, uma grande parte dos católicos está resignada, não tem consciência e não tem entusiasmo, não reage com a determinação que seria necessária”, comentou Pera, falando em italiano.

Referindo-se à crise que a cultura ocidental enfrenta e ao precário futuro da Europa, o influente intelectual apontou o dedo aos líderes e os média católicos, como estão “silenciosos ou falam suavemente” enquanto o catolicismo está a ser atacado, mas como teriam “defendido ardentemente muçulmanos e judeus”.

“Isso não é tolerância, mas render-se”, afirmou, “baixar as calças perante o secularismo e o relativismo”.

“O catolicismo há muito se degradou; está a perder a sua batalha cultural e religiosa”, continuou. “As autoridades católicas têm medo e são uma triste visão. O espelho fiel dessa situação está no topo”.

O senador Pera, que admite ser “um admirador dos escritos do Papa Bento XVI”, foi co-autor do livro Without Roots: Europe, Relativism, Christianity, Islam [Sem Raízes: Europa, Relativismo, Cristanismo, Islão] em 2004, com o então cardeal D. Joseph Ratzinger.

Pera2
Encontro de Marcello Pera com Bento XVI.

Considerando o ex-pontífice “um profundo teólogo e um pensador original”, Pera previu a islamização da Europa, caso “prosseguisse com a sua cultura relativista, com a rejeição da sua tradição, com as suas baixas taxas de natalidade e com a imigração indiscriminada”.

“Talvez já tenhamos dado um golpe no coração e não percebemos. O que o Papa Ratzinger diz em Without Roots vem à mente: A impressão hoje é que a Europa se assemelha ao Império Romano no seu outono”, enfatizou.

“O problema é que a Igreja está reduzida a uma espécie de ONG, cuida sobretudo do social, transformou Greta [Thunberg] num ídolo, corre atrás de solidariedade, visões políticas e sociais em favor do bem-estar, mas os pastores muitas vezes esquecem a salvação das almas, que é sua principal tarefa”, reclamou o ateu.

Amigo íntimo do Papa Emérito, Pera disse que não conversa com Bento XVI há algum tempo, mas pode “especular que está arrependido e alarmado”. No entanto, Bento XVI não quis e não pôde intervir, pois “ele escolheu o silêncio e mantém corretamente o seu compromisso”.

Por outro lado, o Papa Francisco parece não ter problemas com a crise que envolve a Europa: “Ele é alguém que quer agradar, gosta de pessoas que gostam dele, segue o politicamente correto”, afirmou Pera.

Ele transformou o catolicismo “numa igreja tão em saída que não pode mais ser encontrada em lugar algum”, acrescentou.

O filósofo, que repetidamente alertara contra o avanço do Islão no Ocidente, reiterou a sua crença de que “o Islão não é um credo de paz e misericórdia, como eles querem que acreditemos, mas exige opressão”.

“Com essa crença, o diálogo torna-se problemático, sem que antes se esclareçam os conceitos fundamentais de respeito mútuo e de obediência às leis do estado e dos valores ocidentais”, explicou.

Numa entrevista de 2017 ao Il Mattino , Pera criticou fortemente a política de fronteiras abertas de Francisco:

Francamente, não entendo este Papa, o que ele diz está para além de qualquer entendimento racional. Eu questiono-me: porque diz ele isso? Qual é a verdadeira finalidade das suas palavras? Porque não tem ele um mínimo de realismo, aquele mínimo que é exigido a alguém? A resposta que posso me dar é apenas uma: o Papa faz isso porque odeia o Ocidente, aspira a destruí-lo e faz todo o possível para alcançar esse objetivo. E ele aspira a destruir a tradição cristã, o cristianismo como se realizou historicamente.

E concluiu: “Bergoglio só quer fazer política, o evangelho não importa.”

O Gabinete de Imprensa da Santa Sé não respondeu à entrevista.

A edição original deste texto foi publicada pelo Church Militant a 28 de dezembro de 2019. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do texto acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. A presente edição destina-se exclusivamente à sua divulgação. Sempre que possível, o texto deve ser lido na sua edição original.

Basto 12/2019

Concerto de Natal do Vaticano com momento de catequese sobre a deusa Pachamama

O concerto de Natal do Vaticano, um evento de caridade patrocinado pela Congregação para a Educação Católica, que se realizou na Sala Paulo VI, no dia 14 de dezembro, para uma audiência de 5000 pessoas e dois milhões de telespectadores, incluiu, este ano, um momento de catequese sobre a divindade pagã Pachamama. Uma mulher latino-americana deu a catequese e orientou um exercício espiritual, no qual participaram bispos e cardeais presentes na assistência, invocando o demónio Pachamama.

Basto 12/2019

Trotinete litúrgica na Missa do Galo, na Irlanda

Pe. Peter O’Connor, o novo sacerdote da Paróquia de Ballyroan, nos arredores de Dublin, conhecido por celebrar missas divertidas, este ano, retirou-se da Missa do Galo a bordo de uma troninete alegadamente oferecida pelo Pai Natal.

Os paroquianos presentes na Eucaristia aplaudiram efusivamente a sua atitude.

Basto 12/2019

Fez-se homem para salvar os homens dos seus pecados

Adoración_de_los_pastores_(Murillo).jpg

Tudo isto aconteceu para se cumprir o que o Senhor tinha dito pelo profeta: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho; e hão-de chamá-lo Emanuel, que quer dizer: Deus connosco. (Mt 1, 22-23)

Um Santo e Feliz Natal para todos os que por aqui passam.

Basto 12/2019