Já passaram 1260 dias…

Hoje, 24 de agosto, Sua Santidade o Papa Francisco I completa 1260 dias de pontificado, correspondendo sensivelmente a 42 meses, 180 semanas, três anos e meio.

O fumo branco foi visto precisamente às 19:06 do dia 13 de março de 2013 (hora de Roma).

Poucos minutos depois, o Cardeal Tauran anunciava solenemente Habemus Papam, mencionando o nome do Cardeal Jorge Mario Bergoglio, o jesuíta argentino que escolhia o nome Francisco.

E logo de seguida alí estava Sua Santidade perante o mundo.

Desde os primeiros minutos, revelou-se um Papa radicalmente diferente dos outros. Para uns o Papa que precisávamos, para outros o Papa que merecíamos, ou que temíamos. De uma forma ou de outra, ninguém consegue permanecer indiferente perante seus gestos, atitudes, palavras e omissões.

O seu pontificado, que ele próprio prevê que seja curto, tem conquistado o mundo. Os índices de popularidade papal atingiram níveis inacreditáveis, mesmo fora da Igreja e nos setores que tradicionalmente são seus inimigos. Um pontificado que tem decorrido – e isto também é novidade – enquanto o piedoso predecessor continua ainda vivo, em silêncio e oração.

popes
“Obrigado pela sua humildade e bondade.” (23/03/2013)

Que Deus lhe dê a graça e a humildade suficientes para aceitar e defender o tradicional e infalível magistério da Igreja, resistindo à fortes tentações mundanas. Ainda está a tempo…

Ai de nós se não o fizer!

 

Basto 8/2016

As noites da catedral de Colónia

Nas noites de 18, 19 e 20 de agosto, a catedral de Colónia, na Alemanha, foi palco de um espetáculo tipo “trance”, uma espécie de combinação psicadélica entre o lazer e a música electro techno. A animação “pastoral” do SilentMOD – Kölner Dom esteve a cargo da experiente dupla de DJs Blank & Jones.

Diz-se por aí que a festa não ficou barata à arquidiocese local…

 

Basto 8/2016

Putin vs. Obama: quem é o bom?

O jornal católico tradicionalista norte-americano The Remnant lançou, este fim de semana, um vídeo onde enaltece a liderança pro-cristã de Vladimir Putin em contraste com laicismo da governação de Barak Obama. O vídeo intercala imagens do “religioso” Putin com repetições de uma curta gravação de Obama:

Não somos mais uma nação cristã…

(Barack Hussein Obama)

No final, o vídeo conclui com as seguintes frases:

Faz-nos pensar…

Quem são os maus?

(The Remnant TV)

Enfim, quando se vê um órgão de comunicação social com a qualidade editorial e a responsabilidade social que tem o The Remnant a enaltecer um antigo agente do KGB como modelo de liderança política, é inevitável que surja uma certa azia nos estômagos daqueles que ainda se lembram da perseguição que os católicos sofreram durante os anos negros da URSS.

Vladimir Putin, apesar de elogiar frequentemente a cultura cristã, não condena o comunismo, antes pelo contrário, e considera que o colapso da URSS foi uma enorme catástrofe. No entanto, é mesmo verdade que Obama, tal como a maioria dos líderes ocidentais, governa de forma hostil ao cristianismo.

O momento atual é bastante confuso e o futuro imediato é muito incerto.

 

Basto 8/2016

Suposto sacrifício humano no exterior do laboratório CERN em Genebra mas…

Afinal não passou de uma mera dramatização registada em vídeo, uma brincadeira de mau gosto realizada junto à estátua da divindade “Shiva” que, na tradição mitológica indiana, simboliza a destruição e regeneração.

O laboratório CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), na Suíça, é bastante fecundo em teorias conspiratórias. Entre outros motivos, os seus adeptos costumam dissertar sobre a presença daquela estátua em lugar de destaque, o curioso grafismo do seu logótipo, a dimensão do projeto e principalmente os seus objetivos. Agora têm mais uma coisa para se entreterem, a realização (ou representação) de rituais satânicos…

Uma coisa é certa, este tipo de “brincadeiras” é cada vez mais frequente.

 

Basto 8/2016