Francisco coloca todas as estruturas do Vaticano relacionadas com o Casamento e a Família sob dois prelados subversivos nestas temáticas

Ferrara02

Por Christopher A. Ferrara

Hoje (17 de agosto) o Vaticano anunciou que Francisco criou formalmente, por motu proprio (sua própria iniciativa), o novo “super-dicastério” do Pontifício Conselho para os Leigos, a Família e a Vida (PCLFV), que entrará em funcionamento a partir do dia 1 de setembro. O novo dicastério absorverá (abolindo, portanto) o Pontifício Conselho para a Família e o Pontifício Conselho para os Leigos. Terá também de sobrepor-se às funções da ainda existente Pontifícia Academia para a Vida, e a este respeito, um dos seus membros, o filósofo alemão Josef Siefert, publicou uma devastadora crítica à desastrosa Amoris Laetitia, incitando Francisco a corrigir os respetivos erros contra a Fé.

Para liderar o PCLFV, Francisco nomeou o bispo Kevin Joseph Farrel, do Texas, um prelado “pró-gay” amplamente contestado por ter indigitado um sacerdote homossexual para uma paróquia do Texas. Um padre que participara num site explicitamente “gay” destinado a clérigos e religiosos homossexuais. (O padre foi removido somente depois dos protestos públicos contra a sua nomeação.)

Farrel aceita claramente, como uma certeza, que haverá padres homossexuais no ministério pastoral. Citando afirmações de Francisco relativas ao “respeito” pelas “pessoas homossexuais”, Farrel declarou aqui que «A Igreja ainda tem a expectativa de que os sacerdotes devem comprometer-se numa vida de castidade celibatária, quer sejam eles homossexuais ou heterossexuais.» “Ainda”? A “expectativa”? Quer sejam eles “homossexuais” ou “heterossexuais”?

Em benefício do constante magistério da Igreja e da sua prática, Bento XVI estabeleceu que os homens que se consideram gay não podem ser admitidos nos seminários, uma vez que a sua condição, intrinsecamente desordenada, faz deles inadequados para o sacerdócio, o qual é configurado pela pessoa de Cristo, o varão por excelência.

Quanto à ainda existente Pontifícia Academia para a Vida, essa foi entregue ao arcebispo “pró-gay” Dom Vincenzo Paglia, que substituirá o bispo espanhol Ignacio Carrasco de Paula no cargo de Presidente. Paglia vai ainda tomar conta do Instituto Pontifício João Paulo II para o Estudo do Matrimónio e da Família, substituindo o Vigário Geral de Roma, o cardeal Agostino Vallini como Grand Chancellor. Vallini denunciou a distribuição de preservativos nas escolas públicas italianas como «uma iniciativa [que] só pode ser combatida pela Igreja de Roma e as famílias cristãs seriamente afetadas pela educação de seus filhos.»

Paglia elogiou infamemente a série televisiva de propaganda gay “Modern Family” e, precisamente ele, «foi também responsável por convidar casais homossexuais para o Encontro Mundial das Famílias do ano passado.»: «Estamos seguindo à letra o Instrumentum Laboris do Sínodo. Todos podem vir, ninguém é excluído.»

Não surpreende, Paglia também apoia a causa de estimação de Francisco, a de encontrar uma maneira de admitir adúlteros públicos em “segundo casamento” à Sagrada Comunhão, tendo publicado, entre as sessões do ridiculamente mal denominado “Sínodo sobre a Família”, um livro promovendo a destruição do magistério e da disciplina da Igreja na defesa da indissolubilidade do matrimónio, afirmada por João Paulo II, principalmente na Familiaris Consortio. De facto, como Edward Pentin relatou, membros do Instituto João Paulo II, conhecidos por defenderem os seus ensinamentos neste domínio, foram sistematicamente excluídos de qualquer participação nas duas sessões do Sínodo.

Com a criação do novo “super-dicastério” e mais estas duas nomeações, Francisco colocou efetivamente todas as estruturas do Vaticano relacionadas com o casamento e a família sob o controlo de dois prelados que são manifestamente subversivos nestas duas temáticas.

A cada dia que passa, Francisco confirma ainda mais o terrível aviso da Irmã Lúcia em Fátima quando referiu que «a confrontação final entre o Senhor e o reino de Satanás será sobre o matrimónio e a família… [Seja quem for] quem trabalha pela santidade do casamento e da família será sempre combatido e odiado de todas as formas, porque este é o ponto decisivo.» Mas quem poderia imaginar que a oposição seria ajudada e instigada pela própria pessoa que ocupa o Cadeira de Pedro?

A edição original deste texto foi publicada pelo Fatima Center no dia 18 de agosto de 2016. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

 

Nota da edição: o conteúdo do artigo acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. Sempre que possível, deve ser lido na sua edição original.

 

Basto 8/2016

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s