Bento XVI: “…o Papa vem sempre visitar-me.”

No novo livro biográfico, escrito a partir de uma entrevista ao Papa Emérito e prefaciado por Francisco, o Santo Padre Bento XVI fala sobre o seu sucessor.

cover Guerriero
Servidor de Deus e da Humanidade

A obediência ao meu sucessor foi sempre inquestionável. Existe também um sentido de profunda comunhão e amizade. No momento em que foi eleito, senti, como muitos outros, um espontâneo sentido de gratidão para com a Providência. Depois de dois Pontífices da Europa Central, o Senhor como que pôs os olhos na Igreja universal e convidou-nos para uma comunhão mais ampla, mais Católica. Eu, pessoalmente, senti-me profundamente tocado, desde o início, pelo calor humano do Papa Francisco em relação mim. Tentou contactar-me por telefone logo após a sua eleição. Não consegui contactar-me, por isso tentou novamente, logo após o encontro com a Igreja universal a partir da varanda da Praça de São Pedro, e falou-me de um modo muito cordial. Desde então, proporcionou-me um relacionamento maravilhosamente paternofraternal. Recebo frequentemente pequenos presentes e cartas pessoais. Antes de fazer alguma grande viagem, o Papa vem sempre visitar-me. A bondade humana que ele me mostrou é, para mim, uma graça especial nesta fase final da minha vida, pela qual só posso sentir gratidão. O que diz sobre a abertura a outras pessoas não são só palavras. Ele põe-nas em prática comigo. Que ele possa sentir, em retorno, todos os dias, a bondade do Senhor. Por isso eu rezo todos os dias por ele ao Senhor.

(in La Stampa)

Tendo em conta o vendaval que assolou a Igreja Católica Romana nos últimos anos, parece ser uma leitura interessante.

 

Basto 8/2016

9 thoughts on “Bento XVI: “…o Papa vem sempre visitar-me.”

  1. Concordo com você! Parece ser uma leitura interessante!

    Eu vi um artigo na Rádio Vaticano sobre esse livro. Veja!

    http://br.radiovaticana.va/news/2016/08/25/em_biografia,_bento_xvi_revela_motivo_da_ren%C3%BAncia/1253502

    Também vai sair um outro livro sobre Bento XVI. O último da série de entrevistas com Peter Seewald.

    http://br.radiovaticana.va/news/2016/08/18/em_novo_livro_bento_xvi_quebra_o_sil%C3%AAncio_sobre_v%C3%A1rios_temas/1252183

    Parece que querem deixar um testamento oficial sobre Bento XVI. Mas ainda assim penso que só com o tempo a estranha renúncia de Bento XVI ficará totalmente esclarecida. Ainda há muita névoa e mistério pairando em torno da renúncia de Bento XVI.

  2. É isso mesmo, há uma grande necessidade de justificar a surpreendente resignação de Bento XVI. Uma tentativa de normalizar algo que, em si, foi um acontecimento completamente fora do normal e que está ainda longe de ser completamente esclarecido. Por outro lado, como a barca de Pedro tem feito umas trajetórias (digamos) invulgares, que às vezes faz dar voltas ao estômago até nos marinheiros mais experientes, parece que há quem queira utilizar as piedosas frases de Bento XVI como comprimidos para o enjoo…

    Quando se retirou, Bento XVI entregou a Igreja nas mãos de Deus e jurou fidelidade ao seu sucessor. Um exemplo de verdadeira humildade. Por muito exótica que a doutrina (ou pastoral, como eles preferem) defendida por Francisco possa parecer, Bento XVI deverá provavelmente continuar em clausura, silêncio e oração.

  3. Fico contente de saber que estamos em sintonia! Eu vi os comentários. Vi que vc comentou também. Muito bons os comentários. Eles confirmam e aprofundam o que estamos dizendo.

    • Quando as coisas chegam a este ponto, qualquer pessoa com um mínimo de consciência da realidade acaba sempre por questionar, por tentar encontrar razões que justifiquem a situação extraordinária e grave que vivemos.

      Será que nem o próprio Santo Padre Bento XVI tem a certeza da validade da sua renúncia? Retirou-se mas não saiu da Santa Sé. Jurou obediência ao seu sucessor mas continua a responder pelo nome de “Papa”. Resignou, supostamente passaria a ser um mero bispo, mas continua vestido de branco; branco não é a cor da indumentária episcopal…

      Esta situação confusa faz-nos lembrar a visão do 3º Segredo de Fátima:
      «E vimos numa luz imensa, que é Deus, algo semelhante a como se vêem as pessoas no espelho, quando lhe diante passa um bispo vestido de branco. Tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre.»

      • Bem observado! Acho que um dos motivos pelos quais Bento XVI não saiu do Vaticano é a sua segurança. Acho que se ele estivesse fora do Vaticano, algum tipo fanático já o teria assassinado.

      • Não creio Alex, antes pelo contrário. Então e se ele for o Papa do Segredo de Fátima? Não seria Roma o lugar mais provável para o martírio papal visto pelos pastorinhos na visão do Segredo? Presentemente, ninguém deverá conhecer o Segredo de Fátima tão bem quanto Bento XVI. E a verdade é que se esse martírio visto pelos pastorinhos (e provavelmente descrito por Nossa Senhora) ainda não aconteceu nestes 99 anos que se seguiram às aparições, só pode reportar-se a um dos Papas atuais ou futuros. Que Deus o proteja!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s