15 thoughts on “Momentos

  1. Tem uma palestra interessante sobre o assunto. Gostaria de partilhar com você. Foi feita por um leigo entendido no assunto e, ao final, dois padres de rito ortodoxo em comunhão com a Igreja fizeram uma oração de quebra de maldições hereditárias, para usar uma expressão mais dura e menos popular.

    • O conceito acaba por ser convergente, para não dizer semelhante, com aquilo que o Pe. Malachi Martin chamava de “bloodline demons”, nas suas entrevistas. Se não estou em erro, referia-se a determinados tipos de “demónios” que atormentavam pessoas de gerações diferentes da mesma família, nomeadamente através de possessões ou obsessões. Faz sentido!

      Todos nós conseguimos identificar traços bons e maus da nossa personalidade (ou na personalidade daqueles que conhecemos) com determinadas características dos pais, avós, bisavós… Muitos desses traços de personalidade acabam por ser predisposições naturais para o bem ou para o mal.

    • Eu já lhe confessei uma vez o meu interesse pelas igrejas católicas orientais, em particular os greco-católicos ucranianos, aliás, penso que isso é bastante visível neste blogue. Talvez os católicos orientais venham a ser a boia de salvação da Igreja Católica. Talvez, mas é apenas uma hipótese a ter em conta entre tantas outra. Por agora, e quando olhamos para os factos, apenas vemos uma Igreja Católica a afundar-se cada vez mais nas águas provenientes das torneiras que ela própria continua a abrir… Essa é a minha impressão enquanto observador!

    • De fato! Eu ainda conheço muito pouco, pouquíssimo das Igrejas orientais e ortodoxas. Mas esse pouco, pouquíssimo já é o suficiente para admirá-las. Infelizmente, com a modernização da Igreja, a partir do Concílio Vaticano II, a Igreja Latina vem sofrendo uma crise terrível; sobretudo em termos de liturgia e é aí o ponto que as igrejas orientais e ortodoxas foram mais sábias ou espertas que a Igreja latina, pois elas conservaram seus ritos e logo os seus costumes e integridade. Nesse sentido, penso que a Igreja Latina deveria tentar resgatar o que foi perdido com o Concílio Vaticano II. Penso que o Papa Bento XVI estava tentando fazer isso com Summorum Pontificum. Mas deu no que deu. Acabou tendo de renunciar por vários motivos. E o Papa Francisco certa vez disse que essa modernização da liturgia feita pelo Vaticano II não tem volta. Aí fico pensando será que não tem volta mesmo? Tempos difíceis esses que estamos vivendo. Mas mesmo assim é bom olhar o exemplo dos irmãos de rito oriental e ortodoxo e alimentar as esperanças de tempos melhores.

    • Já agora, e só por curiosidade, o artigo que até hoje registou maior número de visualizações neste pequeno blogue foi, de longe, o da consagração da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria.

      https://odogmadafe.wordpress.com/2016/11/03/d-sviatoslav-shevchuk-consagra-a-ucrania-ao-imaculado-coracao-de-maria/

      Ultrapassou largamente as 1300 visualizações (maioritariamente a partir do Brasil) e deve ter-se espalhado no facebook porque recebeu muito mais de 3000 “likes”. Achei interessante pelo facto de ter inicialmente registado uma afluência normal quando foi publicado e só duas ou três semanas depois é que se popularizou…

      Continuo a achar que essa notícia foi demasiado importante para ter passado completamente despercebida.

    • De fato! Essa consagração da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria foi algo muito importante. Eu também estranhei que os outros blogues católicos não terem noticiado nada a respeito. Se não me engano, seu blog foi o único que noticiou esse acontecimento importante. Mas, às vezes, Deus permite que sejamos um pouco como São João Batista, uma voz que prega no deserto. Mas não ficarão sem recompensa tais esforços.

  2. Interessante a sua observação. De fato, é algo convergente. Mas as pessoas evitam falar claramente certas coisas, ou por medo de serem incompreendidas ou até mesmo perseguidas por dizerem verdades nada agradáveis. Sobre a expressão “bloodline demons”, eu não conhecia essa expressão. Achei interessante a mesma. Já tinha visto uma semelhante: “familial/familiar spiritis”. São coisas misteriosas, mas reais. Penso que os sacerdotes deveriam dar mais atenção a temas como esse.

    • Ouvi essa referência numa das entrevistas gravadas no programa “Art Bell”. Penso que aquilo é um programa apenas sobre assuntos paranormais, portanto é natural que a sua presença ali fosse essencialmente para satisfazer a curiosidade dos ouvintes sobre o tema da possessão diabólica e exorcismos.

      No meu caso, ouvi esses programas radiofónicos, que achei fascinantes, na pesquisa às suas referências sobre segredo de Fátima. Um desses programas foi quase todo dedicado ao 3º Segredo de Fátima, o qual vale mesmo a pena ouvir e voltar a ouvir. Quando arranjar tempo, irei dedicar aqui artigo apenas a essa entrevista. Estou profundamente convencido de que ele leu mesmo o segredo de Fátima.

  3. Tem um livro interessante esse assunto de cura de gerações. O título do livro é Cura entre gerações. Não é tão explícito como o Pe. Malachi Martin no que concerne a demônios, mas é muito interessante, não negando as influências sobrenaturais. É publicado por uma editora de uma comunidade carismática fundada por um monge beneditino. A autoria do livro é um padre carismático americano chamado Robert DeGrandis.

    http://domcipriano.org.br/produto/cura-entre-geracoes/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s