Na Islândia, 100% dos bebés diagnosticados com síndrome de Down são abortados. Pense nisso!

síndrome de Down

 

Por Lauren Bell

14 de Março de 2017 (PregnancyHelpNews) – Em declarações recentes à Assembleia de Cidadãos, na Irlanda, o dr. Peter McParland, obstetra na Maternidade Hospitalar Nacional, mostrou para onde as coisas se encaminham.

“Na Islândia”, disse o médico, “todos os bebés – 100% de todos os diagnosticados com síndrome de Down – são abortados”.

Os horrores da afirmação acima podem não ser bem compreendidos. A Islândia tornou-se a primeira nação a vangloriar-se de erradicar a síndrome de Down do seu país.

O dr. McParland explicou esta aniquilação sistemática afirmando que “não houve um único bebé nascido na Islândia com Síndrome de Down nos últimos cinco anos”.

A Islândia não está sozinha nas suas aspirações de criar um mundo livre de síndrome de Down. O holocausto destes bebés é uma epidemia global que tira a vida a seres humanos, criados à imagem de Deus, com base num diagnóstico pré-natal que indica a síndrome de Down.

A Dinamarca aproxima-se da Islândia e prevê que será também uma nação livre da síndrome de Down nos próximos 10 anos.

Ao mesmo tempo, na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos, 90% dos bebés em gestação diagnosticados com síndrome de Down são abortados.

Entre as muitas razões por trás destas estatísticas tão trágicas, sabemos que alguns dos bebés diagnosticados com síndrome de Down acabam por não ter essa condição e, em outros casos, encontra-se o facto de os médicos estarem sujeitos às chocantemente denominadas ações judiciais “por nascimentos errados” quando não conseguem reconhecer os marcadores da síndrome de Down nos testes pré-natais.

Mesmo supondo que todos os diagnósticos estejam corretos, quem, mais precisamente, estamos a erradicar do nosso planeta?

A NBC News mostra alguns estudos que comprovam o seguinte:

  • 99% das pessoas com síndrome de Down estão felizes com a sua vida.
  • 97% das pessoas com síndrome de Down gostam delas próprias.
  • 96% das pessoas com síndrome de Down gostam da sua aparência.

Em termos estatísticos, a grande maioria das pessoas com síndrome de Down são elementos afetuosos, satisfeitos e felizes da nossa sociedade – algo que jamais poderia ser dito a respeito das pessoas que nasceram sem deficiências.

A síndrome de Down não tem de ser uma sentença de morte

Como o nosso mundo desvaloriza cada vez mais a vida, na medida em que tenta (e em alguns casos, com sucesso) “limpar” o planeta de qualquer pessoa que possa ter uma deficiência, a Linha Opção [Option Line, no original], centro de atendimento permanente do Heartbeat International, tem-se levantado contra essas forças culturais.

A procura urgente da Linha Opção, assim como das várias organizações de apoio à gravidez a esta associadas, aumenta diariamente.

Só em janeiro, as consultoras da Linha Opção responderam a 23.660 chamadas, textos, e-mails e conversas presenciais de mulheres e homens que procuravam ajuda durante uma gravidez inesperada.

Uma dessas chamadas veio de uma mulher grávida de gémeos que procurava ajuda desesperadamente. O seu médico tinha acabado de lhe transmitir a devastadora notícia: “Os resultados do seu teste são positivos para a síndrome de Down.”

A mulher sentia-se sozinha, confusa e em conflito sobre o que fazer então. Era a sua primeira gravidez e ela não tinha previsto receber tais notícias. Na maioria dos casos, os profissionais médicos exortariam esta mulher a considerar uma interrupção da sua gravidez com recurso ao aborto.

Em vez disso, a consultora altamente treinada da Linha Opção foi capaz de lhe oferecer esperança e ajuda prática.

A consultora explicou-lhe que independentemente do resultado da sua gravidez, existe apoio disponível, colocando imediatamente a apavorada mãe em contacto com um centro local de apoio à gravidez.

A consultora da Linha Opção terminou a conversa a rezar com aquela mãe. No final do telefonema, a mãe sentiu-se segura e encorajada a enfrentar o futuro.

Nunca é fácil para um pai receber notícias devastadoras durante uma gravidez. Mas a esmagadora maioria dos pais que têm um filho com síndrome de Down explicam que a sua visão da vida é muito mais positiva por causa do seu filho.

O valor de uma criança nascida com uma deficiência não pode ser erradicado por nenhuma nação. Elas são criadas à imagem de Deus.

Isso não é menos verdade na Islândia e na Dinamarca do que na Irlanda ou nos EUA, nem se torna menos verdade em função da contagem dos cromossomas de uma pessoa.

Este texto foi traduzido a partir da edição publicada pelo LifeSiteNews a 14/03/2017. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do artigo acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. Sempre que possível, deve ser lido na sua edição original.

Esta semana, a 21 de março, celebrou-se o Dia Internacional da Síndrome de Down.

Basto 3/2017

One thought on “Na Islândia, 100% dos bebés diagnosticados com síndrome de Down são abortados. Pense nisso!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s