Um filme e um livro apresentam uma revolução imparável

Depois da apresentação do “Papa Francisco – A Revolução Imparável“, chega agora a Portugal “Francisco, o Papa do Povo, um filme sobre a mesma revolução.

Este fulano [o Santo Padre] está a ensinar que a Igreja existe por todo o lado, hã? E ele quer ver a Igreja, a comunidade cristã, a ver o mundo a partir dos excluídos, quer dizer, isto é radicalmente novo. […] Que visão mais revolucionária do que esta?

(Frei Bento Domingues OP in Ecclesia 30/04/2017)

Basto 5/2017

4 thoughts on “Um filme e um livro apresentam uma revolução imparável

  1. É normal que os revolucionários de sempre – os mesmos que activamente lutaram contra os anteriores Papas -, estejam ao lado da revolução bergogliana, porque este é o Papa a quem eles “obedeceram” toda a a vida.

    Da mesma forma, é normal que ateus, agnósticos, hereges, pagãos, pecadores empedernidos, etc… gostem muito deste Papa porque ele confirma-os nas suas escolhas.

    Um aspecto curiosos é a quantidade de filmes, discos e livros que surgem sobre o Papa. Não esquecer também a REVISTA “O nosso Papa” que é editada em várias línguas em todos o mundo.

    Em parte tudo isto será resultado do coro mediático que acompanha este Papa desde o famoso “Quem sou eu para julgar”. Mas, por outro lado, temos que concluir que há gente com muito dinheiro por detrás do Papa dos pobres e excluídos.

    (Eu deixei de contribuir para este peditório, As minhas esmolas passaram a encontrar outros destinatários. A revolução só é “inevitável ” e “imparável” para quem quiser.)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s