Haverá maior blasfémia em Portugal?

aborto2.jpg

 

Da vasta lista de hospitais públicos do nosso país que executam abortos a pedido da mulher, uma grande parte tem nomes de santos, de Maria e até do próprio Deus.

  • Hospital da Senhora da Oliveira (Guimarães)
  • Hospital São Marcos (Braga)
  • Hospital de São Pedro (Vila Real)
  • Hospital do Médio Ave, que é o de Santo Tirso (Santo Tirso)
  • Hospital de Santo António (Porto)
  • Hospital de São João (Porto)
  • Hospital Padre Américo (Penafiel)
  • Hospital de São Sebastião (Santa Maria da Feira)
  • Hospital de São Miguel (Oliveira de Azeméis)
  • Hospital de São Teotónio (Viseu)
  • Hospital de Santo André (Leiria)
  • Hospital de Nossa Senhora do Rosário (Barreiro)
  • Hospital de Santa Maria (Lisboa)
  • Hospital de São Bernardo (Setúbal)
  • Hospital do Divino Espírito Santo (Ponta Delgada)
  • Centro Hospitalar do Médio Tejo, que inclui o Hospital de Nossa Senhora da Graça (Tomar) e o Hospital Rainha Santa Isabel (Torres Novas)

A lei do aborto foi aprovada e concretizada em Portugal por agentes políticos eleitos e reeleitos livremente pelo povo desta nação consagrada à Mãe de Deus. Os elevados custos desta política contra a vida humana, que já leva mais de uma década de infame existência, têm sido financiados com impostos de todos os portugueses. Os mesmos portugueses que, durante a mesma década, ouviram todos os discursos da “tanga”, do “apertar o cinto”, do deficit, da austeridade e da troika.

A responsabilidade é todos, incluindo os indiferentes, os que se calam e os que deviam falar mais.

Basto 10/2017

6 thoughts on “Haverá maior blasfémia em Portugal?

  1. Quem sabe esses incendios devastadores em Portugal provocando tantas mortes, governo socialista castigando por miserabilizar e relativizar o povo – como aqui fazia o PT – e mais pesados castigos que certamente virão seriam por aceitarem o exterminio infanltil?
    Praticar o aborto com 1, 2, 3, 6 meses, pós parto ou assassinar uma criança de 1, 2, 3 anos etc., dá no mesmo e Nossa Senhora prenunciou varios castigos se Portugal desmerecesse suas advertencias de conversão!
    Pareceria que o diabo está tão nesse mundo que estaria em formas ambulantes, como nos comunistas, ele mesmo sob formas humanas, assim como nos corruptores e praticantes ostensivos de todos os males à vista de todos!

  2. Qualquer dia também serão “abortados” todos os partidos, políticos e pessoas que foram a favor do aborto e que não se arrependeram! Este Portugal pós-25 de Abril está a morrer, já não deve faltar muito tempo para acabar! E a Igreja portuguesa? O que é que faz contra o aborto?

    • “A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português [… ] de abrir caminho para uma sociedade socialista […]. (Preâmbulo da Constituição da República Portuguesa)

      Entre as palavras de uns e o silêncio de outros, nesta altura tenho sérias dificuldades em entender as diferenças ideológicas entre todos os partidos portugueses representados na Assembleia da República. Até mesmo os dois partidos da extrema esquerda deixaram de me parecer muito diferentes dos outros três do chamado “arco governativo”.

      Relativamente à Igreja Portuguesa, se houvesse realmente vontade, acabavam na próxima semana com esta vergonhosa lei do aborto. Mais do que resignação, por vezes parece que existe uma acomodação à situação.

  3. A forma como a lei do aborto foi liberalizada em Portugal é deveras repugnante. Primeiro, o eufemismo criado em torno do referendo e da pergunta, mascarando o crime pela sigla IVG e desculpabilizando com o termo “despenalização da mulher”. Depois a forma como o povo se absteve de ir votar NÃO, o que acabou por desaguar numa lei homicida, que ainda por cima é financiada por todos nós.
    Esta lei miserável não protege os inocentes e também nem protege as mulheres. Pelo que tenho lido, as consultas obrigatórias para discernimento passaram a não existir, de forma que é possível abortar como ir às compras, com a diferença que o Estado paga o aborto.
    Ficarão sempre na minha memória os responsáveis por isto, com os partidos políticos que o subscreveram à cabeça. E terei sempre isso presente na hora das minhas responsabilidades enquanto cidadão. Porque os actos e as escolhas dos partidos não podem ficar escondidos atrás de ex-líderes ou nos confins do tempo passado.
    Quanto ao tema em concreto deste artigo, não tinha pensado nisso, mas é de facto incoerente e, efectivamente, ultrajante, que debaixo do nome de santos, de Nossa Senhora ou até de Deus, se pratique este crime horrendo!

    • A lista hospitais, que provavelmente não está completa, parece uma ladainha dos santos… Se adicionarmos o facto de esta lei ter sido aprovada no dia de Nossa Senhora de Lurdes, tudo isto se configura como algo verdadeiramente satânico.

      Mais do que liberalizado, o aborto é, de certo modo, promovido em Portugal, uma vez que está isento de taxas moderadoras e até dá direito a subsídios para quem o pratica.
      http://www.seg-social.pt/subsidio-por-interrupcao-da-gravidez

      Para além da responsabilidade dos partidos de esquerda, existe também uma grande responsabilidade dos chamados partidos de direita que claramente afastaram este assunto da sua agenda política. Convém lembrar que a tal direita já teve a maioria absoluta na Assembleia da República depois desta vergonhosa lei ter entrado em vigor e optaram por mantê-la.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s