Santo Padre rejeita qualquer ideia de conversão da Rússia, preferindo o caminho do ecumenismo

delegação.moscovo

O Papa Francisco recebeu, no passado dia 30 de maio, uma delegação do Patriarcado de Moscovo da Igreja Ortodoxa Russa a quem confessou que sofre sempre que algum católico deseja o “uniatismo”, ou seja, a conversão das Igrejas Ortodoxas cismáticas à Fé Católica.

Em Moscovo há um só Patriarcado: o de vocês. Nós não temos outro. Quando qualquer católico, seja leigo, sacerdote ou bispo, tenta levantar a bandeira do “uniatismo”, que não funciona mais e acabou, para mim é uma grande dor. Acho que se deve respeitar as Igrejas unidas a Roma. O “uniatismo” como caminho de unidade, não deve existir mais”.

(Francisco I; in Vatican News 02/06/2018)

O uniatismo é um caminho de conversão que se materializa na reintegração de comunidades cristãs ortodoxas na Igreja Católica, abandonando, desse modo, a condição cismática em que se encontravam. As Igrejas Uniatas são Igrejas Católicas sui juris que, mantendo as tradições litúrgicas orientais, regressaram, em algum momento da história, à unidade com Roma, submetendo-se à autoridade papal e passando a professar a mesma Fé das restantes Igrejas Católicas, como é o caso, por exemplo, da florescente Igreja Uniata Ucraniana.

As declarações de Francisco não são propriamente uma novidade. Ainda ninguém esqueceu a forte condenação ao uniatismo com que o Santo Padre agradeceu, na cimeira cubana de 2016, os vários séculos de fidelidade dos Católicos Orientais – uma fidelidade que sobreviveu às maiores adversidades.

Para o Santo Padre, o caminho da “conversão da Rússia” – pedido em Fátima – deve ser substituído pelo caminho do “ecumenismo”. Um caminho moderno (ou modernista) onde a correção política, a diplomacia, os beijos e os abraços tendem a ser mais importantes do que a própria Fé.

Para mim, é motivo de consolação quando alguém estende a mão, dá um abraço fraterno, pensa e caminha junto. O ecumenismo se constrói caminhando. Portanto, continuemos a caminhar.

Alguns pensam, – mas não concordo – que primeiro se deve chegar a um acordo doutrinal sobre todos os pontos de divisão, para depois caminhar juntos. Isto não deve acontecer no caminho ecuménico, pois não sabemos quando acontecerá tal acordo.

(Francisco I; in Vatican News 02/06/2018)

O “acordo” ao qual o Papa Francisco se refere, e que só pode significar conversão à Fé Católica, acontecerá depois da consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. A Rússia reconhecerá então, na figura do Santo Padre, o legítimo Vigário de Cristo na Terra e aceitará a Fé Católica na sua integridade e pureza. Só então existirão condições para um “acordo” que produza verdadeira unidade e paz duradoura.

O Santo Padre consagrar-Mea Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.

(Nª Sª de Fátima, 13 de julho de 1917; in Memórias da Irmã Lúcia)

Ainda há poucos meses, a Igreja Greco-Católica Ucraniana, a maior de todas as Igrejas Católicas Orientais, voltou a apelar à Santa Sé pelo seu reconhecimento como Igreja Patriarcal. Uma aspiração justa que tem sido sucessivamente adiada devido à subserviência ecuménica do Vaticano perante a Igreja Ortodoxa Russa.

As palavras do Papa para com os representantes da Igreja Ortodoxa Russa revestem-se ainda de um forte teor político porque surgem num momento em que, nas esferas políticas e religiosas da Ucrânia, se tem discutido a possibilidade de unificação das Igrejas Ortodoxas locais numa única igreja ortodoxa nacional autocéfala, completamente independente do Patriarcado de Moscovo. São palavras que vão ao encontro dos interesses geopolíticos que o Kremlin teima em manter sobre a vizinha Ucrânia.

Basto 06/2018

11 thoughts on “Santo Padre rejeita qualquer ideia de conversão da Rússia, preferindo o caminho do ecumenismo

  1. O pior vai ser quando se decidir quem vai ser o porta voz da “salada russa” que se está a construir com o ecumenismo!
    Ainda vamos ver o Patriarca de Moscovo mais o Putin sentados na Cathedra de Pedro!
    Deus queira que esteja enganada! Mas me parece cada vez mais urgente que se faça a consagração da Rússia!!
    A “misericórdia” do Papa Francisco e o “hipermoralismo” de Putin estão a convencer muita gente boa!! Até os “ortodoxos”, vejam lá!!

      • Esta atitude do Papa Francisco é tão perigosa como quando diz que “todas as religiões são verdadeiras”! “Que não se deve fazer proselitismo”! Como quando diz que os ateus “bons” vão para o céu!

        Está tudo dentro da mesmo ideia de base, do seu pontificado. Tal como quando reune no vaticano os “New Age”!
        Isto é, cada um fica como está. Ninguém precisa se converter! Se é é Ortodoxo, conserva-se ortodoxo!
        Se é “satanista”, continua a sê-lo…não importa! Se é homossexual, “foi Deus que o fez assim”.

        Resumindo: “A conversão não é importante, no seu modo de ver!”! Essa parte está bem clara! “Cada um tem a sua consciência” e pronto.

        Estas atitudes, “relaxadas” me fazem tremer e temer porque revelam a falta de convicções do Papa Francisco!

        Todos se salvam, estejam onde estiverem!

        Agora diz que Fica “muito triste”, com o “uniatismo” e não vê, que tantos mártires derramaram sangue para chegarem até, aqui! Estou a referir-me, precisamente aos irmãos Ortodoxos que se uniram à Igreja Católica Romana, reconhecendo e obedecendo ao Bispo de Roma!

        E afirma que, (vejam este disparate) se, acaso algum católico considera que a Rússia e O seu Patriarcado Ortodoxo precisa aceitar o Primado do Papa, “está a desobedecer ao Papa”! Isto é de uma incoerência, a todos os níveis! Já não há condições de levar este “senhor” a sério!

        Tudo isto Está na mesma linha de que um “recasado” pode comungar! Não tem que mudar de vida, não precisa arrepender-se e arrepiar caminho! E nós somos os “rigorosos”! “Os Luteranos também podem comungar”…mas não estão em Comunhão com a Igreja! Faz sentido, isto?! Por amor de Deus!

        Ora quem não aceita um único dogma que seja, é herege! E logo o dogma da Imaculada Conceição! Porque será que Deus queria “estabelecer no mundo a devoção ao Imaculado Coração de Maria”??!!

        Agora vamos meditar naquela palestra de D. Athanasius Schneider:

        Comparando o procedimento, relativamente à FSSPX, a atitude é bem diferente, e todos nós vemos que é! A referida Fraternidade aceita todos os dogmas, TODOS, mas não concorda com os acontecimentos decorrentes do CVII que não é dogmático.

        Querem… porque querem fazer descer “goela abaixo” um Concílio conduzido por modernistas que, teria sido falsificado?! Não sei se há provas?! Na opinião de muitos Sacerdotes e Bispos), deveria ser revisto, assim como toda a Liturgia, tal como Bento XVI pretendia e não lhe deram oportunidade!

        Conhecemos os “rótulos” que esses irmãos recebem, e nós também, recebemos, a todo o momento!
        Provavelmente o Papa Francisco tem a mesma opinião sobre a Igreja de Rito Oriental, Ucraniana, unida à Igreja Católica! Se calhar também são fariseus, intolerantes, rígidos porque são fiéis a todos os dogmas…

        Agora é muito compreensivo com os Russos, porque será?!
        Muito condescendente com a IOR, porque será?!

        Portanto, a Consagração da Rússia não está, ainda de acordo, “como Nossa Senhora pediu”;
        A Rússia não se converteu e quer reaver a Ucrânia, onde vigora a fé católica;
        O Comunismo não acabou, de jeito nenhum;
        Os Ortodoxos são coniventes com muitos crimes que aconteceram durante a Revolução Russa. E gostariam de ver a Ucrânia unida;
        Concluindo: Não concordo com a posição do Papa, mais uma vez! De maneira nenhuma….

  2. Não sei se entendi bem, mas neste assunto, compreendo a posição do Papa Francisco: “o caminho se faz caminhando”! Não existe magia possível que, de um momento para o outro, mude os corações e as mentalidades das pessoas, só Deus! Contudo, não é isso que Ele costuma fazer… Deus sempre acompanhou a Evolução do Homem, conduzindo-O sem nunca Se Lhe impor.
    Para mim, a VERDADEIRA UNIDADE, só será conseguida com a segunda Vinda de Jesus: Ele é que A conseguirá! (…e, então, haverá um só rebanho e um só Pastor…” ) Até lá, tente-se com bom senso, curar as feridas, sem comprometer a mudança.
    A Conversão da Rússia, segundo o meu entender, já aconteceu com o fim do Comunismo ateu e materialista. Agora, cada um que faça o seu caminho livremente; talvez mais livremente, continuo a afirmar, do que em alguns Estados Europeus, onde temos que aceitar as leis que a COMUNIDADE nos impõe e, é só ver, o que fazem àqueles que se atrevem contrariá-los publicamente: TOMMY ROBISON– jornalista inglês, preso e em perigo de vida; PEDRO VARELA — espanhol, editor de livros com ideologias diferentes– preso e com todas as contas confiscadas; HERVÉ RYSSEN, francês, por causa de um tweet…
    Se tivermos em conta a VERDADEIRA CONVERSÃO, PUTIN, sem juízos de valor preconcebidos, está muito mais convertido do que a maioria dos CATÓLICOS que aceitam tudo o que lhes impingem! Basta olhar para o NOSSO António Guterres, como se acobardou, com as leis da ONU…
    Quanto aos Países que Nossa Senhora diz poderem desaparecer ( nas Mensagens de Fátima) também, segundo o meu entender, Nossa Senhora Se referia à U.R.S.S. que, já sabemos, foi desmembrada com o FIM DO COMUNISMO NA RÚSSIA. Os erros espalhados pelo mundo, também seriam referentes à propagação dessa mesma ideologia.
    Com certeza, que ainda há muito a fazer, pois, as mudanças nunca acontecem tão depressa como desejaríamos, mas acredito que já estamos a caminho da reviravolta.
    Com muito sofrimento? TALVEZ!

    • Quando dizemos que uma pessoa ou uma nação se converteu, temos de perguntar: converteu-se a quê (ou em quê)? “Converter” é um verbo transitivo…

      Estaria Nossa Senhora a referir-se à transição do regime soviético para o regime de Putin? Estaria Nossa Senhora a referir-se à transição da militância do materialismo ateu para o renascimento da Igreja Ortodoxa Russa? Poderá o Triunfo do IMACULADO Coração de Maria consistir no triunfo de uma religião cismática e herética que, entre outras coisas, não aceita o dogma da IMACULADA Conceição? Sinceramente, não me parece, mas admito que possa estar enganado!

      A IOR não sobreviveu da luta contra o comunismo soviético, pelo contrário, acabou por tornar-se na religião oficial do regime, várias décadas antes do colapso da URSS. Recomendo-lhe, a este respeito, o excelente livro do descomprometido historiador José Milhazes (penso é ateu ou agnóstico):

      https://odogmadafe.wordpress.com/category/fatima-e-russia-jose-milhazes/
      A IOR foi usada pelos comunistas para perseguir os católicos na URSS, principalmente os católicos de rito oriental que, por pouco, não foram completamente extintos. Hoje, novamente, os ortodoxos russos estão a dar-se muito mal com o renascimento e rápido crescimento da Igreja Greco-Católica Ucraniana no mundo, em particular, naquele espaço que eles consideram o “território canónico” da IOR.

  3. Tentarei Informar-me melhor, obrigada!

    Contudo, pelo processo de evolução positiva a nível de não perseguição à Igreja, depois da Consagração da Rússia pelo Papa Pio XII, acredito que tenha começado já, nessa altura, a intervenção de Nossa Senhora, embora, muito imperfeita, por culpa da falta de FÉ daqueles que deveriam ser mais humildes e receptivos ao Seu Pedido.
    Como sempre, os nossos Pastores endurecem o coração a Deus e, depois, pagamos todos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s