Santo Padre critica o “legalismo” no cumprimento dos Mandamentos da Lei de Deus

Na Audiência Geral desta quarta-feira, 20 de junho, o Papa Francisco questionou a natureza da relação de Deus com o Homem para voltar a criticar o “legalismo” na Igreja Católica no que concerne ao cumprimento dos Mandamentos. Desta vez recorreu a uma passagem do livro dos Génesis.

E o Senhor Deus deu esta ordem ao homem: «Podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; mas não comas o da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque, no dia em que o comeres, certamente morrerás.» (Gn 2, 16-17)

O mundo não tem necessidade de legalismo, mas de cuidado. Precisa de cristãos com coração de filhos. Há necessidade de cristãos com coração de filhos: não vos esqueçais disto!

(Papa Francisco na Audiência Geral de 20 de junho de 2018; in sítio oficial do Vaticano, 20/06/2018)

Pois, mas o “coração de filhos”, por sua vez, deve ser um coração de obediência ao Pai. Um Pai que deseja o melhor para os Seus filhos, neste caso, a sua salvação.

Basto 6/2018

8 thoughts on “Santo Padre critica o “legalismo” no cumprimento dos Mandamentos da Lei de Deus

  1. Não posso fazer o que quero com aquilo que me pertence? … Mt 20 15.
    É muito ousado, audaz, petulante e atrevido qualquer ser humano chamar o Senhor Deus de déspota, insolente ou impostor ou o pejorativo que for, porque ele é nosso dono de maneira absoluta; ele nos criou sem a nossa ajuda e ainda nos sustenta, apesar de ainda Lhe sermos muito ingratos e nos tolerar.
    Desde quando podemos atribuir algo ruim se Ele é bom em Si mesmo e ainda cuida bem de nós, como se precisasse de nós?
    Ao contrário, devemos sempre agradecer e pedir perdão de nossa inúmeras faltas!
    “Façamos em pedaços os seus laços, sacudamos para longe de nós seus vínculos!” Do seu trono celeste, o Senhor põe-se a rir e a ridicularizá-los. E no seu devido tempo os repreenderá com ira, e em seu furor os confundirá de pavor”.., Sal 2 4-5.

  2. As palavras do Papa Francisco são realmente perigosas, para aqueles que, de todo, não conhecem a Palavra . Sempre me ensinaram que Deus propõe e não impõe! Mas isto, é como tudo na vida; sou livre para fazer as minhas escolhas, mas depois, sujeito-me às consequências! Não é assim, no Código Civil?
    Porém, ter a ousadia de afirmar de que tudo o que aprendemos até agora está errado, pois nos transmitiram a ideia de um Deus déspota, encaixa mesmo naquilo que faz parte do Seu projecto: anular toda a Sã Doutrina que nos foi testemunhada, e acabar de vez, com tudo o que a Tradição nos ensinou.
    Ele é o ILUMINADO que descobriu agora e só agora, a VERDADE! Nesta ordem de ideias, o sofrimento exaustivo de Jesus no Horto das Oliveiras, que só foi acalmado quando Ele Se rendeu à Vontade do Pai, é uma ABERRAÇÃO e não um SINAL DE AMOR EXTREMO, para a nossa Salvação. Jesus foi livre até ao fim, mas por Amor a nós, não desistiu de cumprir o Plano do Pai e, assim, quis ensinar-nos de que, muitas vezes na vida, também poderíamos ter situações parecidas, e que tal como a Ele, só nos resta a Força de querermos ser Fiéis ao nosso Pai do Céu, conquistando assim, a SALVAÇÃO!
    Tenho pena de que a ideia que Sua Santidade esteja a querer passar seja aquela que há já muito sabemos qual é: estamos Salvos por natureza e, por isso, cada um não precisa de se Converter nem mudar de vida!
    “OS QUE ME AMAM CUMPREM OS MEUS MANDAMENTOS”! — Diz o Senhor.

    • Nisto de discernir o que o Espírito Santo deseja, é-me mais fácil admitir que o Papa Francisco possa estar enganado do que convencer-me de que os seus antecessores nunca tivessem conseguido perceber o que Ele realmente queria…

  3. Absolutamente! E Graças a Deus, são tanto e tão bons os exemplos desses seus antecessores.

    É só escolher, sem muitos exemplos nem ir muito distante no tempo (e sem necessidade daqueles mais recentes mas em parte menos consensuais: JP II e Bento XVI): Leão XII, Pio IX, Leão XIII, Pio X, Pio XII …

  4. Deus, Trindade Santíssima, é Pai, é Filho e é Espírito Santo.
    Deus é Amor.
    O Pai, do nada, por amor nos criou; o Filho, por amor nos redimiu com o Seu preciosíssimo Sangue; o Espírito Santo, por amor continuamente nos santifica.
    Tudo o que somos e temos a Deus o devemos.
    Pelo sacramento Baptismo, fruto da Redenção, operada por Cristo, nos tornámos filhos adoptivos Deus.
    Deus, além de nosso Pai, é nosso Senhor (dominus – dono) e nosso Rei. Por isso somos Seusfilhos, Seus servos e Seus súbditos.
    Para que nos criou Deus? Para O conhecermos, amarmos e SERVIRMOS na Terra e vivermos para sempre felizes com Ele no Paraíso.
    Não é por acaso que um dos títulos oficiais do Bispo de Roma é Servus Servorum Dei (Servo dos Servos de Deus).
    Quanto ao cumprimento dos Mandamentos da Lei de Deus, Jesus, o nosso Salvador e Mestre é claríssimo: “o servo não é maior do que o seu senhor”; “Se guardardes os Meus mandamentos, permanecereis no Meu amor, do mesmo modo que Eu tenho guardado os mandamentos do Meu Pai, e permaneço no Seu amor”; “Vós sereis Meus amigos se fizerdes o que o que Eu vos mando”.
    Que a Virgem Santíssima, a humilde serva do Senhor, apague em nós qualquer vestígio de soberba, o pecado de Satanás.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s