A “Alegria do Amor” em Viseu

Como tínhamos aqui avançado anteriormente, o agora administrador apostólico da diocese de Viseu, D. Ilídio Leandro, acaba de publicar um “documento pastoral” que porá em prática os novos ensinamentos do Papa Francisco sobre o matrimónio e a família na sua diocese. O referido documento intitula-se “Acompanhar, discernir, integrar” e deverá contemplar a possibilidade de os divorciados “recasados” acederem aos sacramentos nos termos previstos pela controversa exortação Amoris Laetitia.

“Se a sua situação na comunidade cristã e a sua relação com todos os que foram importantes no seu primeiro casamento não mantém feridas por sarar”, então o caminho para a paz está a ser realizado com sucesso, lembrou D. Ilídio, como pressuposto para a possibilidade de uma integração tranquila na comunidade cristã, vivendo a plenitude dos sacramentos.

(in Página oficial da Diocese de Viseu, 28/06/2018)

Presume-se que seja um documento que irá ao encontro daqueles queparafraseando o Pe. Armando Esteves, Vigário Geral da Diocese de Viseu – foram levados a assumir um segundo matrimónio”.

Basto 7/2018

4 thoughts on “A “Alegria do Amor” em Viseu

  1. Romão 12 de Julho de 2018 / 6:53

    Alguém sabe me dizer em quantas dioceses de Espanha, França ou Itália “Amoris laetitia” já foi implementada? É mesmo verdade que já há mais dioceses em Portugal com a “Alegria do Amor” do que nesses países?

    • Basto 12 de Julho de 2018 / 8:42

      Eu não faço ideia Romão, mas em muitos sítios, como em Portugal, começa a ser mais fácil contar as dioceses que ainda continuam fiéis à doutrina católica.

  2. maria martins 12 de Julho de 2018 / 9:06

    Neste momento, e partindo do Princípio que Portugal é uma Nação privilegiada por Nossa Senhora, no que diz respeito à Conservação do Dogma da Fé, Satanás só pode estar a investir “FORTE E FEIO,” até que ALGUÉM se levante e “DÊ UM MURRO NA MESA,” ou aconteça algo de MUITO MAU, que nos faça abrir os olhos de vez!
    Acredito que há muitos sacerdotes que estão baralhados, mas sem coragem para falar, como está descrito nas Mensagens que o Geraldo citou num dos seus últimos comentários.
    Rezemos por esses, para que se insurjam e comecem a “REMAR CONTRA A MARÉ,” e desmascarem esses FALSOS MISERICORDIOSOS que somente estão a conduzir o Povo ao inferno!

  3. francisco 12 de Julho de 2018 / 9:13

    Para mim o mais significativo disto tudo é a revelação que para eles os sacramentos são apenas um factor de integração na comunidade.

    “em busca da paz do coração”, “integração tranquila na comunidade cristã”

    Este é o sentido protestante da eucaristia, já não é querermos estar em comunhão com Deus em estado de Graça mas antes sim o alimento que Deus dá para estarmos em comunhão numa comunidade de irmãos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s