Cultos estranhos em Idanha-a-Nova

idanha-a-nova

À partida, o Boom Festival de Idanha-a-Nova, que este ano decorreu entre os dias 22 e 29 de julho, é apenas mais um festival de verão que quer ser diferente dos outros.

O que tem de diferente?

Vivemos em tempos de incerteza e ansiedade, todos procuramos respostas. Mais do que nunca na história recente da humanidade é importante que permaneçamos interligados, entendendo o outro. Há muita luz e sabedoria no mundo!

E o Boom Festival vai muito para além de um mero festival. É um estado de espírito. Ele interliga milhares de culturas contrastantes e seres vivos, dando-lhes um tempo e um lugar onde  têm a liberdade de não apenas esperar por um mundo mais pacífico e unido mas também fazer algo para alcançá-lo.

(in página facebook do Boom Festival 2018 – tradução livre)

Para além do trance (música psicadélica ou psy trance), este evento envolve doutrinas, rituais próprios, espaços de culto e estátuas de divindades pagãs…

De acordo com a organização, o evento recebe milhares de visitantes provenientes de mais de 150 países. Podemos chamar a isto uma peregrinação pagã internacional?

Basto 8/2018

15 thoughts on “Cultos estranhos em Idanha-a-Nova

  1. João (@JoaoMMXIV) 6 de Agosto de 2018 / 10:58

    Isto exala um intenso cheiro a enxofre.

    Infelizmente, o próximo sínodo dos bispos não será muito diferente.

  2. Fernando Negro 6 de Agosto de 2018 / 17:26

    A melhor que eu já alguma vez vi, em Portugal,

    Foi aquando de uma famosa edição do concurso “Ídolos” na televisão, uma famosa finalista (que tinha um ex-namorado que fazia parte de uma banda de metal assumidamente satânica: https://www.metalunderground.pt/viewtopic.php?t=28640&start=900) passava a vida a fazer os “chifres do diabo” (http://i654.photobucket.com/albums/uu262/JDGVLA/TV7DPgV001.jpg) e, em consequência disso, até as crianças que com ela se cruzavam na rua, faziam tal símbolo para a cumprimentar.

    Vinha tal finalista depois para a televisão dizer (parafraseando eu):

    “As pessoas perguntam-me que símbolo é este… Isto? É o símbolo do Rock’n’Roll!”

    (Implicitamente dizendo que não era mais nada do que isso…)

  3. Fernando Negro 6 de Agosto de 2018 / 17:26

    Quase tudo o que são novos estilos de música que existem – e que, ou surgiram a meio do século passado (como o “rock” e o “rock’n’roll”) ou derivam destes primeiros (como os vários estilos de “metal”) ou surgiram depois destes (como os vários tipos de música electrónica) – são criações da sociedade secreta satânica dos Illuminati, através do Instituto Tavistock e outras organizações (http://www.granma.cu/reflexiones-fidel/2010-08-17/el-gobierno-mundial-primera-parte + https://www.wook.pt/livro/o-instituto-tavistock-daniel-estulin/14530212).

    Tendo estes estilos de música sido criados para denegrir as pessoas que os ouvem – seja pelas suas letras ou pelas músicas em si – promovendo, explicita ou subliminarmente, a rejeição da cultura (cristã) vigente, o hedonismo, a bestialidade, o consumo de drogas ou até mesmo a loucura (https://forum.prisonplanet.com/index.php?topic=97552.msg574369#msg574369).

    E, logo nas primeiras bandas, podem notar-se alguns elementos (e assinaturas) satânicos, tendo algumas destas bandas nisto envolvidas letras (escritas por quem as rodeia) que fazem culto explícito a Satanás (como os Rolling Stones, onde na música “Sympathy for the Devil” se gaba a sociedade dos Illuminati de alguns dos seus feitos históricos) ou que homenageiam figuras satânicas (como os Beatles, onde o “Sgt. Pepper” a que se referem estes numa das suas músicas é o satanista Aleister Crowley que aparece na capa do respectivo álbum). E, não é por acaso que, logo a começar pelos Beatles (http://vinyl.clocks.cdn.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2014/04/the-beatles-yellow-submarine-eleanor-rigby-vinyl-record-clock-sleeve-60s.jpg) os “chifres do diabo” foram adoptados pelo estilo de música “rock” e depois também pelos vários estilos de “metal” derivados.

    (E, não quer isto dizer que toda a gente que aprecia estes novos estilos de música tenha caído nestas armadilhas. Mas, foi com estes objectivos que foram tais estilos de música criados.)

    Sabido isto, não é de estranhar que nos festivais onde são tocados estes novos estilos de música se encontrem elementos de (ligeiro ou nem por isso) culto pagão (sendo outro exemplo disso, os conhecidos festivais “Burning Man”: https://en.wikipedia.org/wiki/Burning_Man) – pois, como eu disse, um dos objectivos destas novas subculturas criadas é claramente fazer as pessoas abandonar/rejeitar a sua cultura original cristã.

    (Eu sei que há também grupos de “rock cristão”, por exemplo. E, uma das muito poucas bandas de que eu próprio ainda gosto, pertencente a estes novos estilos de música, chegou até inicialmente a ser rotulada como tal. Como digo, os objectivos com que os vários estilos foram criados são uma coisa. E, outra coisa são os usos e as variantes que outras pessoas, independentemente disto, lhes dão e criaram, que acabam por fugir a tais objectivos.)

    Eu próprio, já fui uma vez parar, quando era novo e por curiosidade, a uma festa no meio de uma floresta, onde se tocava este estilo de música “trance” – e, não surpreendentemente, havia nesta festa ilegal uma pequena barraca onde muita gente se dirigia com frequência e onde, pelo que depois pude perceber, se vendia droga de um qualquer tipo (provavelmente da onda psicodélica ou algo próximo disso), acabando tal festa por ser pouco mais do que um evento de consumo de droga generalizado, pelos seus participantes, em grupo e ao ar livre.

    Por isso, sim… A resposta à interrogação que o Basto faz no final da sua colocação, é:

    Sim, este e outros festivais semelhantes são eventos de culto pagão, onde (provavelmente desconhecido por alguns dos que lá ingenuamente vão) a música serve apenas de pretexto (e como um incentivo) para tal culto que é nestes festivais praticado.

    • Fernando Negro 6 de Agosto de 2018 / 16:57

      E, ainda sobre festivais e concertos…

      Quem já saiba do que se passa por trás disto (da mão oculta satânica que existe) e faça a experiência de ver os prémios anuais da MTV (canal onde passam carradas e carradas de telediscos com simbologia satânica e Illuminati: https://vigilantcitizen.com/) irá conseguir observar, com muita frequência, elementos satânicos/”iluminados” nas coreografias e adereços usados em tais festivais/cerimónias anuais de entrega de prémios (ex: https://web.archive.org/web/20120224202953/http://www.danielestulin.com/2011/11/16/tavistock-el-poder-de-una-imagen-i-parte/).

      E, até nos festivais e concertos onde têm ocorrido (os supostamente islâmicos) atentados terroristas isto pode ser observado.

      1) Reparem em como o ataque ao teatro Bataclan, em Paris, ocorreu numa “sexta-feira 13” do mês 11 (número maçónico) e no exacto momento em que a banda Eagles of Death Metal tocava uma música de culto explícito a Satanás (https://www.rt.com/op-ed/323118-europes-moral-spiritual-vacuum-terrorism/).

      2) Reparem em como o massacre ocorrido em Las Vegas, no ano passado, no festival “Route 91 Harvest” – em que a audiência era predominantemente cristã – ocorreu mesmo em frente a uma grande pirâmide (símbolo dos satânicos Illuminati) – https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/G9202c02b/20672942_pqwTK.jpeg – e depois leiam o “Salmo 91” e reparem noutras coisas: https://pbs.twimg.com/media/DLe7o3AWAAAaDIr.jpg

      • Basto 7 de Agosto de 2018 / 23:48

        Que interesse tem o Salmo 91 para os cultos satânicos?

      • Fernando Negro 8 de Agosto de 2018 / 16:45

        Olá, Basto.

        É como digo (em inglês) no ponto “2.3” da última hiperligação que deixei…

        No caso do massacre de Las Vegas, o que se passa é que, este tiroteio parece ter constituído uma espécie de piada macabra relativa a (ou humilhação de) a população cristã que foi massacrada, a propósito de tal “Salmo 91”.

        E, isto porque,

        Todos estes grandes atentados terroristas, supostamente islâmicos, que têm ocorrido no Ocidente, têm sempre elementos maçónicos (https://blackfernando.blogs.sapo.pt/dias-maconicos-de-ocorrencia-de-100083) e/ou satânicos (https://blackfernando.blogs.sapo.pt/possiveis-explicacoes-para-a-escolha-114494) nas datas que são escolhidas e não só. Sendo que, se demonstra a actual Maçonaria indícios de estar novamente infiltrada pela sociedade dos Illuminati, estes elementos vão dar todos ao mesmo.

        E, olhando para o que aconteceu em Las Vegas, o que podemos observar na data escolhida? 1 de Outubro, por si só, não aparenta ter nada de maçónico ou satânico. Mas, se repararmos no nome do festival “Route 91 Harvest” e fizermos uma conta, reparamos que este massacre ocorreu 91 dias antes do final do ano. Logo, parece haver aqui um “jogo” com o número 91. E, olhando para o que ocorreu, que “jogo” poderá ser esse?

        É aqui que muito provavelmente entra o “Salmo 91”, cujo texto pode ser interpretado como descrevendo uma protecção divina de Deus, aos seus fiéis, no meio de um massacre.

        Diz tal Salmo que Deus protege os seus fiéis de massacres. Ora, o que aconteceu neste massacre em Las Vegas (conhecida como uma “cidade do pecado”) foi que, a audiência cristã que a tal festival assistia (um festival de música da subcultura country, que sabemos ser essencialmente da direita cristã estadunidense) aparentemente acabou por não beneficiar de tal suposta protecção divina. Constituindo isto, do ponto de vista de quem rejeita Deus, uma espécie de prova da sua rejeição e também uma humilhação de quem não alinha em tal rejeição.

        Como digo, estes atentados/massacres têm sempre elementos satânicos e/ou maçónicos (https://www.youtube.com/watch?v=oTP5btgTY28). E, a história oficial deste atentado em Las Vegas (em que nos dizem que se tratou, tal como no caso do assassinato de JFK, de um “atirador solitário” – convenientemente também morto, para não poder contar a sua versão da história) também não bate certo (https://www.prisonplanet.com/16-unanswered-questions-about-the-las-vegas-shooting-that-the-mainstream-media-doesnt-want-to-talk-about.html). Pois, a provar que houve mais pessoas nisto envolvidas, temos o facto de que houve quem, no meio da multidão, tenha dito às outras pessoas que as últimas iriam ser mortas (https://www.prisonplanet.com/concert-goers-were-warned-they-were-all-going-to-die-tonight.html) – aparentemente cumprindo uma regra usada pelas sociedades secretas que neste tipo de atentados estão envolvidas (ler, a partir do subtítulo “1st Rule: Announcing What Will Happen Beforehand”, o seguinte texto: https://www.henrymakow.com/9-11-as-occult-trauma-brainwashing.html).

        Ora, olhando para o que aconteceu em Las Vegas, onde as pessoas foram massacradas em frente a uma grande pirâmide (https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/G9202c02b/20672942_pqwTK.jpeg) – que é um conhecido símbolo dos Illuminati – e acabando a arena do festival por servir como uma espécie de “altar de sacrifício” frente a tal pirâmide – o que indicia a existência de elementos satânicos – é esta a melhor interpretação que consigo eu fazer da data escolhida, com o número 91 como elemento explicativo. (A qual, aliás, recebeu um “like” por parte do Daniel Estulin, que tem ajudado os interessados em perceber/decifrar estes atentados: https://twitter.com/BlackFerdyPT/status/915899038599401473)

        • Basto 8 de Agosto de 2018 / 18:29

          No fundo é só o número… O Salmo 23 tem também um significado qualquer para os satanistas, como se pode ver no grafiti que aparece no minuto 1:46 do filme “I pet goat II”.

      • Fernando Negro 8 de Agosto de 2018 / 16:51

        P.S. – Da data e do próprio nome. O nome do festival era “Route 91 Harvest”. E, “harvest” pode ser usado como uma metáfora para massacre…

      • Fernando Negro 8 de Agosto de 2018 / 20:34

        Esse pequeno filme (“I, Pet Goat II”) está cheio de elementos e simbologia ocultistas… E, foi claramente feito por um satanista.

        Numa entrevista que o autor do filme deu, ele ainda tenta nervosamente (com um claro medo de ser apanhado) iludir as pessoas quanto ao seu significado (http://www.anovaordemmundial.com/2012/11/animacao-bizarra-eu-o-bode-de-estimacao.html?showComment=1353186276492#c2612300865087256390) mas acaba, a dada altura, por dizer (1) que os dogmas do Cristianismo devem cair, (2) que rejeitar a ideia de pecado constitui uma forma de iluminação e (3) que o final do filme representa o ruir das hierarquias (incluindo as religiosas) existentes e o Homem a colocar-se ao mesmo nível que Deus (i.e. a desafiá-lo, tal como Lúcifer fez).

        Os vídeos do radialista Alex Jones no YouTube foram, entretanto, todos censurados há poucos dias. E, por isso, as cópias que foram feitas têm menor qualidade e não permitem ver tão bem o nervosismo do entrevistado. Mas, na seguinte cópia que descobri, a parte que interessa (relativamente ao de que falo) começa na marca dos 34m48s (https://www.youtube.com/watch?v=U0tlrpo_vsY#t=34m48s) e a parte onde o entrevistado fala mais explicitamente sobre rejeitar os princípios cristãos começa na marca dos 45m16s (https://www.youtube.com/watch?v=U0tlrpo_vsY#t=45m16s).

        • Basto 8 de Agosto de 2018 / 22:11

          Este pequeno filme daria para escrever um livro. Vale pelo todo e pelos detalhes, está mesmo muito bem produzido. É perturbador, revela uma certa genialidade satânica.

      • Fernando Negro 8 de Agosto de 2018 / 21:19

        Relativamente ao “Psalm 23”, que aparece no graffiti que menciona,

        A presença deste deve constituir o mesmo tipo de “piada macabra” de que falo, relativamente ao “Salmo 91” (i.e. uma referência que demonstra que, mesmo com toda a orientação e ajuda de Deus, com a qual contam os cristãos, conseguem estes satanistas fazer o que querem das pessoas e safar-se com isso).

        O graffiti aparece no muro de uma escola. Ora, as escolas, hoje em dia, são um muito bom exemplo (e demonstração) do sucesso que têm tido as elites em estupidificar as pessoas (a vários níveis) – ao aprenderem as crianças, nestas escolas, cada vez menos (e obedecendo a progressiva redução da qualidade dos currículos escolares a planos pré-determinados, que visam tornar as pessoas cada vez mais estúpidas e ignorantes, para que sejam estas mais fáceis de controlar).

        1) Denúncia da existência de tais planos:

        https://en.wikipedia.org/wiki/Charlotte_Thomson_Iserbyt#Publications
        https://www.wook.pt/livro/compreender-a-escola-de-hoje-john-taylor-gatto/170407
        https://voxday.blogspot.com/2018/06/darkstream-you-cant-escape-stupid.html#c156173479685945458

        2) Exemplos práticos, em Portugal:

        https://www.sabado.pt/bau/detalhe/VoxPop–A-ignorancia-dos-nossos-universitarios
        https://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/cursos-antigos-com-equivalencia-a-mestrados
        https://zap.aeiou.pt/reducao-programas-secundario-ameaca-212037

      • Fernando Negro 8 de Agosto de 2018 / 22:47

        É tal e qual como diz, Basto…

        Eu, pessoalmente, também acho o filme perturbador – e mais um indício do quão “geniais” ou inteligentes podem ser as pessoas nisto envolvidas.

        Infelizmente, têm estes conspiradores no comando das suas equipas gente mesmo muito inteligente, capaz de conceber os mais incríveis e complicados esquemas para manipular e enganar as pessoas, e também gente com mesmo muito talento que é recrutada para as suas fileiras (ex: https://twitter.com/EstulinDaniel/status/986808446094721024 + https://twitter.com/EstulinDaniel/status/986814315553406978).

    • Fernando Negro 8 de Agosto de 2018 / 18:02

      E, só um acrescento…

      O Estulin descreve a indústria musical como estando 100% sob o controlo de sociedades secretas (plural). E, pelo que sei, há também membros da elite que parecem praticar(?) cultos pagãos (https://www.youtube.com/watch?v=IacdbdwnH_Q). Por isso, o que deveria eu ter escrito, era que “quase tudo o que são novos estilos de música que existem (…) são criações da sociedade secreta satânica dos Illuminati e afins ” (para mencionar que existem também outras sociedades secretas, embora claramente muito menos importantes do que a referida). E, assim sendo, o estar a incentivar cultos pagãos, entre quem ouve estes novos estilos de música, poderá ser, mais do que feito com a mera intenção de destruir a cultura cristã vigente (substituindo-a por princípios imensamente básicos e até bárbaros, de modo a estupidificar e denegrir culturalmente as pessoas) ser também, quem sabe, feito com a intenção de recrutar mesmo pessoas para tais cultos pagãos?… (Não sei. Não sou nenhum especialista nestas questões mais esotéricas, nem é isto algo no qual eu me concentre, nas pesquisas que faço sobre o que se passa nos bastidores da sociedade que temos.)

    • Fernando Negro 8 de Agosto de 2018 / 23:59

      Como já devem ter percebido, este assunto (de que existe uma conspiração satânica em curso, no panorama cultural, que visa denegrir espiritualmente as pessoas) tem muito “pano para mangas” (https://blackfernando.blogs.sapo.pt/sobre-o-autentico-lixo-em-que-se-tornou-95359)… E, por isso, vou tentar encerrar os meus comentários aqui, para me poder concentrar em assuntos pessoais. Mas, assim sendo, já agora (“para a despedida”) lembrei-me de partilhar aqui outra curiosidade, que também muito deverá interessar a quem é cristão… Que é a de “estrelas” dos novos estilos de música criados a declararem que “venderam a alma ao Diabo”, para serem recrutadas para a indústria musical e chegarem onde chegaram:

      (O anterior vídeo é de uma compilação de má qualidade, que serve apenas de referência. E, para as declarações de cada artista individual, podem procurar por outros vídeos no YouTube, de melhor qualidade.)

  4. maria martins 6 de Agosto de 2018 / 23:35

    É de lamentar, que estes rituais pagãos estejam a proliferar tanto em Portugal, onde ainda há bem pouco tempo, nos considerávamos um País maioritariamente Católico e as pessoas se envergonhavam de acreditar em semelhante coisa…
    Está na moda pedir energias ao Universo ( e acho que muitos que o fazem, nem sabem o que isso é) porque, falar em Deus ou rezar, é TABU: isso é para os “atrasados”!…
    A cada passo, ouço os nossos apresentadores televisivos agradecerem ao UNIVERSO!!..
    Pobre geração! Estamos mesmo em plena Apostasia, mas o que mais me entristece é a confusão que vai nessas cabeças, porque tanto rezam a Deus como ao diabo, sem que ninguém lhes “abra os olhos”.
    Por tudo isto, não me admira nada que a nossa Sociedade esteja cada vez mais corrupta e seja capaz das atrocidades que, todos os dias, ouvimos e vemos, nas Notícias!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s