Assessor do Vaticano para as Comunicações promove “rosário gay”

rosary.lgbtO famoso ativista gay e assessor do Vaticano James Martin SJ tem andado a promover, nas redes sociais, um sacrílego “rosário LGBT”.

 

“Concebido por um refugiado” e comercializado pela Contemplative Rebellion (Rebelião Contemplativa), o chamado “Rosário da Dor Moderna” termina no sinistro crucifixo de Vedele e tem uma década “arco-íris”, ou seja, o quinto mistério é dedicado à oração pela aceitação do homossexualismo na Igreja Católica e em todas as religiões.

rosary.lgbt2
Meditação para o 5º Mistério do sacrílego “Rosário da Dor Moderna”; in Contemplative Rebellion, 2018.

O Catecismo da Igreja Católica estabelece que “os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados” e, com efeito, a prática de sodomia é um pecado grave. No entanto, James Martin SJ continua vestido de sacerdote a promover, por todos os meios, a ideologia gay e as inerentes práticas homossexuais. A sua propaganda homossexualista anti-cristã é bastante valorizada pelo Santo Padre que o nomeou para assessor do Vaticano e lhe concedeu o púlpito no Encontro Mundial das Famílias de 2018.

Basto 12/2018

11 thoughts on “Assessor do Vaticano para as Comunicações promove “rosário gay”

  1. Maria Ribeiro 9 de Dezembro de 2018 / 15:40

    Apenas o Papa tem autoridade para resolver este problema.
    Perante tal descaramento, considero, esta pessoa, além de blasfema, um insulto para todos os católicos. Como se explica manter uma criatura, com este tipo de comportamento num lugar de destaque?!
    Temos todo o direito de julgar os actos exteriores e o que aqui vemos descrito é um pecado grave, a todos os níveis.
    O caso deste senhor já ultrapassou vários limites para o obrigar a voltar ao laicato, quanto mais um cargo importantíssimo no Vaticano!!!
    Não deu já todas as provas de que o perfil não se adequa aos objectivos?!…ou será que é, mesmo o perfil ideal?! Falta saber…o que pretendem…

    • Basto 9 de Dezembro de 2018 / 16:41

      Se há alguma coisa pela qual este insolente é conhecido no mundo é pelas suas doutrinas homossexualistas e anti-cristãs. Que outro carisma conheceria nele o Papa Francisco para além do ativismo gay?

      E se por acaso o Papa conhecia nele algum outro carisma menos conhecido, será que desconhecia (e continua a desconhecer) as suas, mundialmente conhecidas, ações de propaganda gay? Muito sinceramente, não creio.

      Sou forçado a concluir que foi precisamente o seu ativismo gay que interessou (e continua a interessar) ao Papa Francisco. Mais até, vemos agora que o Papa Francisco não está a servir-se da popularidade de James Martin nas comunidades gay para atrair pessoas perdidas no homossexualismo para a conversão e adesão à Verdade Cristã. Pelo contrário, está a permitir que ele funcione como um “Cavalo de Troia” para minar a moral cristã, para desviar pessoas que ainda acreditam (ou acreditavam) na doutrina da Igreja. Só não vê isto quem não quer mesmo ver! E todos os que apoiam estas aberrações misericordistas, com palavras, ações e omissões (o tal silêncio tácito), um dia responderão por isso perante Deus!

  2. maria martins 9 de Dezembro de 2018 / 17:26

    Completamente de acordo. Cada vez estou mais estupefacta!
    Mas, se o Papa Francisco tem demonstrado preocupação, segundo os media, pelo avanço do homossexualismo, porque permite, tal “aberração”?!
    Esta Igreja perdeu mesmo o “Norte”!
    Ainda haverá, quem não veja as constantes contradições’

    • Basto 9 de Dezembro de 2018 / 17:54

      O Santo Padre manifesta “preocupação pelo avanço do homossexualismo” e também manifesta preocupação pela resistência a esse homossexualismo, ou seja, preocupação pelo “fanatismo” e pelo “rigorismo”, que, na sua linguagem, corresponde àquilo que até agora significava perseverança na fé, na doutrina verdadeira… O Santo Padre só não manifesta preocupação com a confusão que causa ao utilizar uma linguagem ambígua e ao tomar posições ambivalentes e contraditórias.

      Há algo de profundamente errado neste Papa! Digo isso e afirmo-o. Demorei cerca de um mês e pouco a perceber isso… Outros demoraram (ou demorarão) mais algum tempo e ainda outros, talvez muitos mais, nunca o conseguirão perceber! Depois há outros que, percebendo o problema, preferiram tomar a “cápsula azul”, recorrendo à metáfora do filme “Matrix”.

      Foi com base nessa metáfora que o Dr. Tayllor Marshall produziu mais um interessantíssimo vídeo.

  3. Basto 9 de Dezembro de 2018 / 18:45

    Esta e outras informações sobre o ativista gay James Martin SJ não são rumores que visam atacar a pessoa denegrindo-a, ou que necessitam de alguma investigação e de testemunhas… Ele próprio, vestido de sacerdote, faz a sua propaganda gay de forma pública e aberta quando escreve e publica nas redes sociais. Toda a gente vê, mas ele acaba promovido por esse facto. Ele não faz a sua propaganda às escondidas, fala em público e em eventos católicos para os quais é convidado pelo Papa, sendo mesmo figura de cartaz!

    Se eu contasse isto a alguma das minha avós, que já faleceram, elas não acreditariam! Mas se, ainda assim, eu insistisse lhes mostrasse que é mesmo verdade, elas diriam que “isto é o fim do mundo”… E no entanto está tudo aí, são factos mais do que documentados, mas agora tudo é normal, tudo é misericórdia, tudo é santidade.

  4. maria martins 9 de Dezembro de 2018 / 23:56

    Meu Deus! Às vezes, sinto uma revolta muito grande, perante toda esta confusão que, agora, já passa a DESCARAMENTO. Contudo, gostaria de acreditar, também, que tudo isto não passa de um pesadelo e pergunto, se, realmente, mais ninguém quer ver. Como é possível, haver, ainda, quem AME o Papa Francisco e o considere bom? Acho estranho, como o Basto disse há tempos, que ele tanto “dê uma no cravo, outra na ferradura”! Para bem de todos e da sua alma, era bem melhor que a explicação passasse pela possibilidade de estar “amordaçado ou manietado”. Chego a ter pena dele e arrepio-me, só de pensar nas consequências. Será que quer voltar atrás e não pode? Não disse isso alguém, aqui neste Blog?
    Deus queira que sim, mas a agressividade com que trata os que se lhe opõem, leva-me a duvidar…
    Afinal, ele é o GUARDIÃO da PALAVRA, logo, teria que resistir até à morte.
    Estou angustiada e completamente confusa!
    E, depois, como podem dizer, que existe continuidade entre os outros pontificados, se com S. João Paulo II e Bento XVI, a homossexualidade era considerada uma doença ou um desvio contra a Natureza?

    • Basto 10 de Dezembro de 2018 / 16:52

      Amar o Papa não está errado, errado será amar os erros do Papa e idolatrar o Papa como se as suas ideias pessoais ou ideológicas estivessem acima da Verdade revelada. Para ser mais preciso, no comentário acima, quando eu disse que “há algo de profundamente errado neste Papa”, eu deveria ter dito “neste Pontificado”, que está personificado na pessoa de Francisco. E este pontificado não se resume apenas à pessoa Papa, mas a toda uma hierarquia e um povo que se identificam, de forma mais ou menos assumida, com as suas ideias revolucionárias. Penso que é neste sentido que também a Maria se refere ao Papa.

      Seria um problema muito fácil de resolver se fosse apenas o Papa a única pessoa com estas ideias revolucionárias… Se fosse só ele, talvez não tivesse sequer a coragem de as expressar! A gravidade do problema atual é que muitas pessoas não se importam que Francisco diga o que diz ou faça o que faz, muitas até gostam e outras até rezam para que ele continue no mesmo caminho…

  5. maria martins 10 de Dezembro de 2018 / 17:58

    Mas, ele não deixa de ter a última palavra; para isso foi eleito! Se tivesse a coragem dos mártires, mediante tais aberrações, no mínimo, resignava, como fez Bento XVI, embora saibamos, que tudo foi uma estratégia paro o abalar e obrigar a abandonar “a Barca” .Ora, se continua a apoiar o “desnorte”, cada vez nos confunde mais. Também eu lamento a cobardia ou a conivência dos restantes dignitários que se omitem ou, simplesmente, lhe batem palmas e o consideram Santo!
    Já começo a pensar, se na Missa devemos rezar unidos a ele e à “Igreja” que pretende construir, como há tempos, alguém me alertou!

    • Basto 10 de Dezembro de 2018 / 18:27

      Precisamente! Repare como, por exemplo, no terço transmitido a partir da Capelinha da Aparições, quase todos os dias as três Avé Marias finais são pelas intenções do Papa ou do Santo Padre! Há dias, o sacerdote que presidia à oração do terço dizia mesmo para que o Papa Francisco consiga “levar a cabo a reforma que pretende para a Igreja”… Isto mostra bem a dimensão do problema. Não deveríamos rezar antes para que Nossa Senhora ajude o Papa a “conservar o dogma da fé” e a unidade da Igreja ou para que o ajude a guiar a Igreja pelo caminho da Verdade?

      Quando as Avé Marias são rezadas apenas pelas intenções do Santo Padre, sem referir nomes, penso apenas nas intenções de Bento XVI. Que Deus me perdoe se estiver a rezar mal!

  6. maria martins 10 de Dezembro de 2018 / 20:29

    Na minha cidade, também já se rezou por todos aqueles que não aceitam as mudanças na Igreja… na oração dos fiéis.
    Mas, também há, quem somente reze, pelo Papa Francisco e não, ” PELAS INTENÇÕES DO PAPA FRANCISCO”!…
    Aonde nós chegamos. Nunca imaginei chegar a semelhante situação!

  7. Geraldo 11 de Dezembro de 2018 / 14:03

    O saudoso papa Bento XV praticamente teria profetizado o abaixo; saberia ele da trama às sombras preparadas da maçonaria para despojá-lo da Cátedra de S Pedro e colocar outro que atendesse às aspirações desses infames globalistas, os quais continuamente conspiravam contra ele?
    Se acaso soubesse da trama acima seria sido uma advertencia à ousadia de tal maléfico empreendimento e a quem seria contemplado com ele!…
    “O papa não é um monarca absoluto cujos pensamentos e desejos são a lei. Pelo contrário, o ministério do Papa é uma garantia de obediência a Cristo e sua Palavra. Ele não deve proclamar suas próprias idéias, mas deve constantemente sujeitar a si mesmo e a Igreja à obediência da Palavra de Deus a toda pretensão de adaptá-la ou diluí-la e a qualquer forma de oportunismo “[Homilia proferida a 7 de maio de 2005].
    Os bispos e cardeais já deveriam ter tomado medidas de irrecomendar os diversos ensinamentos do papa Francisco desde o começo e durante seu infeliz pontificado, ilustrando os católicos de eventuais erros e heresias eventualmente que aparecessem, não deixando chegar ao patamar do momento atual de discordancia de apenas uma extremamente minoria desses que deveriam ter tomado firmes decisões de fazer o papa parar com isso ou até eles o isolarem e mostrarem seus procedimentos dialéticos, característicos de esquerdistas – fala uma, age doutra forma diferente ou inversa – tal como os ditadores Lula, Maduro, Castro outros mais em partidos comunistas!
    Exs: condena o GLBTismo porém acoitaria GLBTistas agindo ostensivamente e ainda esses como Pe Ricca, James Martin, Cardeal Coccopalmerio etc., os quais se comportariam como infiltrados dentro da Igreja católica e disseminando haverem aval do papa Francisco…
    Ou outra, como: “Ninguém pode ser condenado para sempre, porque esta não é a lógica do Evangelho”, da A laetitia, dentre outras mais não poucas – muito estranhas!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s