Microquimerismo fetal: a ciência oferece luzes sobre a natureza da Mãe de Deus

Mãe.de.Deus

O Todo-poderoso fez em mim maravilhas. Santo é o seu nome. (Lc 1, 49)

Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, foi gerado no seio imaculado da Virgem Maria, de quem recebeu características biológicas e genéticas inerentes à Sua natureza humana. Hoje, porém, a ciência leva-nos a crer que a Maternidade Divina terá também produzido efeitos na natureza de Maria, através da assimilação de células oriundas do Feto Sagrado.

Vários estudos detetaram a presença de células de origem fetal no organismo de mulheres, até décadas depois da gravidez, provando que as células do feto conseguem atravessar a placenta e incorporar tecidos da mãe em várias localizações do seu corpo. Da mesma forma, também células da mãe podem ser detetadas nos filhos. A este fenómeno dá-se o nome de microquimerismo fetal.

Sabe-se que as células que passam do feto para a corrente sanguínea da mãe e posteriormente para os seus tecidos, são pluripotentes, ou seja, com capacidade de se tornarem basicamente em vários tipos de células especializadas e integrarem diferentes tipos de tecidos.

(In Parentalidade com Ciência, 05/03/2017)

Este assunto, deveras interessante, deveria ser motivo de profunda reflexão para os teólogos de hoje.

Basto 01/2019