Frases que nos fazem pensar: Pe. José Júlio Rocha

m.josé.júlio.rocha“Nós estamos diante de muita gente que é divorciada e recasada e esta gente precisa de nós. Já são quase em maior número os que estão casados pelo civil porque não o podem fazer por igreja. Ora, a igreja não pode senão dar uma resposta de misericórdia a esta gente pois se levarmos o Direito Canónico à letra tornamo-nos fariseus.”

(Pe. José Júlio Rocha, pároco na diocese de Angra do Heroísmo e professor de Teologia Moral)

Contexto da frase:

Explicação da nova doutrina do Papa Francisco sobre o Sacramento do Matrimónio durante uma conferência promovida pela Confraria do Santíssimo Sacramento da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Estrela da Ribeira Grande; in Igreja Açores, 07/05/2019.

Basto 05/2019

15 thoughts on “Frases que nos fazem pensar: Pe. José Júlio Rocha

  1. Já que estamos na Ribeira Grande, aproveitemos para ouvir este “cover” de um outro “grande teólogo” português que, da maneira que as coisas estão, um dia destes ainda é enviado para um dicastério romano, ou então para Barcelos…

  2. Obrigada Basto, por este momento tão hilariante!
    Depois de tanta tristeza e depressão, até me fez bem rir com toda esta palhaçada!
    Realmente, este senhor perdeu de vez o bom senso… Só lamento que ainda haja quem lhe dê “tempo de Antena” e ele continue a denegrir assuntos tão sérios, como Fátima, embora, os sinais de falta de sanidade mental comecem a ser notórios.

    Se a minha mãe fosse viva dizia: “Coitado, anda como a cobra que perdeu a peçonha!”

  3. Na nova igreja “católica” sem dogmas, paralela recém criada à margem da Igreja Católica de 2000 anos, excelente ideia de recepcionar a todos, no estado em que se encontrem, sem restrições!

  4. Viva a Globalização!!
    Mais uma vez, aqui refiro a Máxima: “Tudo ao molho e fé em Deus!”…Não é isso que se pretende?!
    Confunde-se a Misericórdia que SALVA, A de Jesus Cristo, porque Converte, ajuda a Mudar; Aquela que nos obriga a repensar nas consequências, para, assim, se evitar males maiores. Retirou-se a CONFIANÇA no DEUS VIVO que está no meio de nós, e que faz MILAGRES, embora com muito empenho da nossa parte, se Lhe formos Fiéis! Prega-se o facilitismo e nivela-se pela negativa, com uma falta de SENSIBILIDADE Espiritual, escandalosa! Se todos “roubam”, não se tenta corrigir o pecado, institucionaliza-se o ROUBO e, assim, já podemos todos roubar… Não é isso que fazem alguns políticos, para beneficiar de certas regalias?Mudam a lei e continuam impunes!
    Entretanto, a Sociedade afunda-se em desníveis cada vez maiores , em injustiças de todo o tamanho, em degradação moral de todos os feitios… e, AQUELA, que deveria REMAR CONTRA A MARÉ , porque foi para ISSO que foi INSTITUÍDA, A IGREJA DE CRISTO, perde a SUA IDENTIDADE e entra de cabeça na jogada, conseguindo CONFUNDIR, ainda mais, os poucos que, a todo o custo, lutam para A Salvar, porque SABEM que é NELA que está a VERDADEIRA FELICIDADE, até, para este mundo, esquecendo que o Seu Mestre, a Sua Cabeça é Jesus!
    Fariseus? Que eu saiba, os “Fariseus”, a quem se refere Jesus, eram hipócritas e com vida dupla; pouco se importavam com a decência moral, viviam de fachada… Mas, hoje, todos sabemos que a VERDADEIRA MISERICÓRDIA é Aquela que ACOLHE para CORRIGIR e não para PACTUAR com o ERRO!

    No meio de toda esta CONFUSÃO, o que mais me espanta, é constatar a CEGUEIRA de todos estes NOVOS TEÓLOGOS ou “DOUTORES ESQUISITOS” , como Jesus ironiza na Obra de Maria Valtorta, que nem se apercebem de que não ESTANCANDO o MAL, BOICOTAM a ACÇÃO de Deus, que é Quem Converte, contribuindo assim, para a DEGRADAÇÃO TOTAL, porque Deus não ABENÇOA a iniquidade!

  5. E, continuando a análise às frases proferidas no Artigo acima citado: Claro , os casais recasados, mais do que ninguém, precisam do apoio da Igreja, para lhes mostrar a VERDADE, mas que, sendo o Corpo Místico de Cristo, não Se pode contradizer, pois, a RADICALIDADE, perante este tema, vem d/ELE, que é Quem A dirige. É Jesus que AFIRMA que estão em ADULTÉRIO!
    Se querem Confiar na Misericórdia de Deus, pelo menos, aceitem, humildemente, as suas fragilidades e arrisquem, recatadamente, como já o tinha aconselhado São João Paulo II … não ESCANDALIZANDO os restantes, OBRIGANDO-OS a aguentar os seus devaneios, enquanto ADULTERAM toda a IGREJA com a contaminação das suas Comunhões Sacrílegas!
    Todo este discurso parece duro, mas é aquele que Jesus profere para resolver este CANCRO!

    No livro de Maria Valtorta –O Evangelho como me foi Revelado– Jesus afirma-o com muita intransigência, referindo que o DIVÓRCIO É A LEGALIZAÇÃO DA PROSTITUIÇÃO!

    Quanto mais analiso essa Obra, mais entendo o porquê de ter sido BARRADA ou, pelo menos, NÃO PUBLICITADA, pelos “Doutores Esquisitos” da actualidade, a quem Jesus Se refere com ironia, aquando do estudo da sua veracidade!…
    É uma Obra que nos PREPARA para toda a confusão que estamos a viver, ajudando-nos a não VACILAR!

    Ele Mesmo, Jesus, Exorta” PEDRO”, o Papa, a segurar a Sua Barca e a levantar bem o EVANGELHO que é Ele Próprio e do Qual nem uma vírgula PODERÁ SER ALTERADA OU RETIRADA!

  6. Aqui vai o e-mail
    Exmo. Revmo. Sr. Pe. José Júlio Rocha
    (Pe. José Júlio Rocha, pároco na diocese de Angra do Heroísmo e professor de Teologia Moral)

    Peço, em primeiríssimo lugar a sua Bênção e seu Perdão pela ousadia de me dirigir a si, assim desta forma, sem relação próxima de qualquer tipo de amizade pessoal.
    Porém somos de facto Igreja e, com a ajuda da minha pouca sabedoria e do Espírito Santo, (se assim ELE, quiser), transmito a minha reflexão das suas palavras que encontrei “in Igreja Açores”.

    Passo a transcrever algumas frases suas, seguidas de comentários simples, baseados nos meus escassos conhecimentos e na minha conduta pessoal, social, moral e doutrinária.

    “Nós estamos diante de muita gente que é divorciada e recasada e esta gente precisa de nós. Já são quase em maior número os que estão casados pelo civil porque não o podem fazer por igreja. Ora, a igreja não pode senão dar uma resposta de misericórdia a esta gente pois se levarmos o Direito Canónico à letra tornamo-nos fariseus.”

    Para começar, esta expressão é obscura e ambígua, apresentando imensas falácias muito difíceis de explicar. Repare que, a própria palavra “recasados” tem um traço vermelho, significando que é erro de Linguagem. A palavra exacta, sem eufemismo é “amancebados”, “amantes”, “em concubinato”, “amigados”, que era a nomenclatura utilizada, em correlação, similitude e analogia com os casos que refere, acima. Porque, na VERDADE, não podem casar pela Igreja, tal, como referiu, e muito bem, porque o primeiro e único casamento é válido e indissolúvel.
    Concordo que “esta gente precisa de nós”, (eu também preciso) mas não da forma que apresenta, nem gostaria de ser ajudada, com essa falsa “misericórdia” que me levaria ao Inferno, (ou é dos que pensa que Inferno não existe)?
    Senhor Padre, cuidado que um dia vai ser também o senhor julgado pelos maus conselhos que possa dar a estes “casais”. Não brinque com a sua própria Salvação ó, “senhor teólogo”.
    Desculpe a dureza das minhas palavras mas é porque o assunto é demasiado sério, em matéria de SALVAÇÃO… Quando um tecido está podre é preciso cortar pelo são, a fim de “limpar” e tratar devidamente a ferida. Em todo o caso não se podem colocar “remendos novos em odres velhos”, lembra, Sr. Padre? Se a Sociedade está desta forma, não se colocam soluções aparentes…

    A frase, a seguir é tremendamente exagerada e distorcida do sentido profundo do que representam as palavras “Direito Canónico” e “fariseus”: “…pois se levarmos o Direito Canónico à letra tornamo-nos fariseus.”
    Mas qual “direito canónico, qual carapuça”, Sr. Pe.?

    São as “Palavras de Salvação”, presentes no Evangelho de Jesus Cristo, que verdadeiramente importam, neste caso. E também a “Palavra do Senhor”, nas Cartas de S. Paulo que referem as condições mínimas para “comungar o Corpo do Senhor.”
    E quanto aos “fariseus,” eram aqueles que “colocavam fardos pesados que eles próprios não conseguiam levantar”. Aqui, (talvez) já está a pecar porque rotula de “fariseus”, aqueles que não concordam com estes erros crassos, horrorosos, de adultério e de Comunhão sacrílega.
    E as Confissões, como ficam nos chamados casos de “discernimento”?! Como se pode administrar um Sacramento de Cura e Perdão a quem não faz propósito de emenda?!
    Não existe Caridade sem Verdade…doa a quem doer…

    “A comunhão é o gesto mais sério que um cristão faz, porque vai receber Deus… mas é justamente por ser tão importante que não o podemos recusar. Naturalmente que só deve comungar quem está em condições e a responsabilidade primeira é de quem acede à comunhão”.
    Uma Grande Verdade Cristã precede uma mentira descarada e inconsequente, contrária á lógica do bom senso, no final da frase. Como fica a responsabilidade do Mestre, Teólogo e Sacerdote do ALTÍSSIMO que conhece o estado da alma daquele cristão?! Pode e deve recusar, sim senhor…, a não ser que desconheça quem comunga… Não vê que, com a sua postura, face ao erro e com estas notícias fomenta cada vez mais a completa perda de senso moral, de honestidade, de honra desta Sociedade desgraçada?!
    Que Igreja é esta que não cura mas que fomenta o erro?!
    “Comunhão “é um dom” e não “um prémio mas um remédio para quem dele precisa” e por isso não pode ser negada única e exclusivamente por causa de uma interpretação legalista.”
    Precisar, precisamos todos…A Comunhão é, de facto um remédio para quem está, no momento, em estado de Graça, caso contrário torna-se motivo de CONDENAÇÃO. É exactamente a mesma situação de quem comete pecado grave, “porque depois confesso-me”, não é assim?! Consciências mal formadas fazem este tipo de “discernimento”.
    E não é, de todo uma “interpretação legalista”, Sr. Padre José, é Doutrina de mais de 2000 anos. Ou vai dizer que, durante todos estes Séculos, nos enganaram?! “Legalistas” é outro dos inumeráveis rótulos que se vai utilizando, a fim de torturar as consciências de quem não concorda com os “misericordistas de plantão” que surgiram nestes tempos de “discernimento” e de verdadeiros “contorcionistas mentais” que nos querem impingir uma “nova, pérfida doutrina”, baseada em falácias e falsas misericórdias que prejudicam, ainda mais as famílias…

    “Uma oportunidade para pensarmos o sentido de sermos igreja e de discernimos qual é a nossa missão, sobretudo a partir desta igreja doméstica que é a família”.

    O sentido de sermos Igreja, a nossa missão VERDADEIRA é a Salvação das almas para Maior Glória de Deus. De contrário, de que nos serve sermos Igreja?!
    Não é para “sermos Sal e Luz do Mundo”?!

    “Nós vamos continuar a defender o matrimónio uno e indissolúvel mas não podemos esquecer a realidade dos nossos dias e, sobretudo, não podemos fechar as portas do Céu a ninguém, porque Jesus veio para salvar todos”

    Nem vou comentar esta frase porque não quero ser malcriada…
    Então, Sr. Padre, tente abrir as Portas do Céu e tente salvar a todos, de forma correcta e verdadeira…pois, senão “abre” para os outros e para si, próprio as portas, mas as do Inferno do Inferno… “cegos a guiar outros cegos”… Com a Eternidade não se brinca, ponto final, parágrafo.
    Reitero o meu pedido de perdão!
    Sempre vossa no Senhor Jesus
    Maria Ribeiro

    (Esta carta também foi reencaminhada para “in Igreja Açores”)
    De momento não tenho outra ideia

  7. Que Deus me dê força e Fé para resistir, mentalmente incólume e rezar, sem odiar estes (ir)responsáveis, colocados em lugar de destaque, nas Dioceses, pela sua postura, nesta crise da Igreja sem precedentes. Meu Deus! Que tortura, caro Basto!! Que violência! Às vezes tenho sensação que não vou suportar esta tormenta…

  8. ESTES QUE SE DIZEM PADRES SÃO DISCÍPULOS DO FALSO PAPA FRANCISCO QUE VEIO PARA DESTRUIR MESMO A IGREJA E LEVAR MUITOS AO ERRO COMO ESTE SUPOSTO “PADRE” APRENDEU A “LIÇÃO” .
    BERGOGLIO FOI ELEITO POR UM FALSO CONCLAVE CHAMADO DE
    MÁFIA DE SAINT GALLEN :
    👉 https://maedasalvacao.wordpress.com/2016/12/05/mafia-eclesiastica-2/

    👉http://jornalcelestial.portaldosanjos.net/2017/03/eles-deram-ao-papa-francisco-quatro.html?m=1

    👉 https://fratresinunum.com/2015/09/25/mafia-eclesiastica/

    👉 http://www.sinaisdoreino.com.br/?cat=1&id=5868

    👉 https://fratresinunum.com/2015/09/29/qual-o-papel-desempenhado-pela-rede-de-saint-gall/

  9. Revmo Pe Julio, mas quem quiser se salvar terá de obedecer à oração de S Pedro Canisio, caso contrario, nessa nova Igreja “Católica” das Facilidades-ICF, em plena aceitação, estaria fora do rebanho de N Senhor Jesus Cristo.
    Ei-la:
    Professo diante de Vós a minha fé, Pai e Senhor do Céu e da terra, Criador e Redentor meu, minha força e minha salvação, que desde os meus mais tenros anos não cessastes de nutrir-me com o pão sagrado da vossa Palavra e de confortar o meu coração.
    A fim de que eu não vagasse, errando como as ovelhas transviadas que não têm pastor, Vós me congregastes no seio de vossa Igreja; colhido, me educastes; educado, continuastes a me ensinar com a voz daqueles Pastores nos quais Vós quereis ser ouvido e obedecido como em pessoa pelos vossos fiéis.
    Confesso em alta voz, para a minha salvação, tudo aquilo que os católicos sempre acreditaram de bom direito em seus corações.
    Abomino Lutero, detesto Calvino, amaldiçoo todos os hereges; não quero ter nada em comum com eles, porque não falam nem ouvem retamente, nem possuem a única regra da verdadeira Fé proposta pela Igreja una santa católica apostólica e romana.
    Uno-me, em vez disso, na comunhão, abraço a fé, sigo a religião e aprovo a doutrina daqueles que ouvem e seguem a Cristo, não apenas quando ensina nas Escrituras, mas também quando julga pela boca dos Concílios Ecumênicos e define pela boca da Cátedra de Pedro, testemunhando-a com a autoridade dos Padres.
    Professo-me também filho daquela Igreja romana que os ímpios blasfemos desprezam, perseguem e abominam como se fosse anticristã; não me afasto de nenhum ponto de sua autoridade, nem me recuso a dar a vida e derramar o meu sangue em sua defesa, e creio que os méritos de Cristo podem obter a minha salvação e a de outros somente na unidade desta mesma Igreja.
    Professo francamente, com São Jerônimo, de ser unido com quem é unido à Cátedra de Pedro, e protesto, com Santo Ambrósio, seguir em todas as coisas aquela Igreja romana que reconheço respeitosamente, com São Cipriano, como raiz e mãe da Igreja universal.
    Confesso essa Fé e doutrina que aprendi ainda criança, confirmei na juventude, ensinei como adulto, e que agora, com minha força débil, defendi.
    Ao fazer esta profissão, não me move outro motivo senão a glória e honra de Deus, a consciência da verdade, a autoridade das Sagradas Escrituras, o sentimento e o consenso dos Padres da Igreja, o testemunho de fé que devo dar aos meus irmãos e, finalmente, a salvação eterna que espero no Céu e a felicidade prometida aos verdadeiros fiéis.
    Se acontecer de eu vir a ser desprezado, maltratado e perseguido por causa desta minha profissão, considerá-lo-ei uma graça e um favor extraordinários, porque isso significará que Vós, meu Deus, me destes a ocasião de sofrer pela justiça e não quereis que me sejam benevolentes aqueles que, como inimigos declarados da Igreja e da verdade católica, não podem ser vossos amigos.
    No entanto, perdoai-os, Senhor, porque, instigados pelo diabo e cegados pelo brilho de uma falsa doutrina, não sabem o que fazem, ou não querem saber.
    Concedei-me, contudo, esta graça: de que na vida e na morte eu renda sempre um testemunho autêntico da sinceridade e fidelidade que devo a Vós, à Igreja e à verdade, que não me afaste jamais do vosso santo amor, e que esteja em comunhão com aqueles que Vos temem e guardam os vossos preceitos na Santa Igreja romana, a cujo juízo, com ânimo pronto e respeitoso, eu me submeto e toda a minha obra.
    Todos os santos, triunfantes no Céu ou militantes na terra, que estais indissoluvelmente unidos no vínculo da paz na Igreja Católica, mostrai a vossa imensa bondade e rezai por mim.
    Vós sois o princípio e o fim de todos os meus bens; a Vós sejam dados, em tudo e por tudo, louvor, honra e glória sempiterna. Amém.
    Fora, disso, defendido pelo Vaticano II, siga os ensinamentos de S Vicente de Lérins referentes a essas eventuais dúvidas oriundas dele.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s