Filósofo ateu censura o Papa Francisco

Pera.jpg

Por Jules Gomes

ROMA (ChurchMilitant.com) – O notável filósofo italiano e amigo pessoal de Bento XVI critica o Papa Francisco por “ir contra a tradição, a doutrina e introduzir inovações, comportamentos e gestos inexplicáveis”.

O professor Marcello Pera, ateu e opositor assumido do pós-modernismo e relativismo cultural, classificou o pontificado de Francisco como “um escândalo no sentido bíblico”, pois “confunde e faz cair o fiel, não dá frutos e, pelo contrário, diminui-os.”

De acordo com o ex-presidente do Senado Italiano, em comentários à La Fede Quotidiana na última quinta-feira, as vocações e a participação nas missas caíram, a recolha de fundos está sempre baixa e o público no Angelus, na Praça de São Pedro, diminuiu consideravelmente sob o pontificado de Francisco, como mostram as imagens desses eventos papais.

“Quanto aos fundamentos da fé católica, este pontificado é um ultraje à razão”, lamentou o ex-professor de filosofia da Universidade de Pisa. “Mas ninguém, fiel ou bispo, diz alguma coisa, ninguém tem coragem de protestar, mas muitos duvidam [das realizações deste pontificado]”.

“Digamos claramente que o que está a acontecer é muito sério. Por esta altura, uma grande parte dos católicos está resignada, não tem consciência e não tem entusiasmo, não reage com a determinação que seria necessária”, comentou Pera, falando em italiano.

Referindo-se à crise que a cultura ocidental enfrenta e ao precário futuro da Europa, o influente intelectual apontou o dedo aos líderes e os média católicos, como estão “silenciosos ou falam suavemente” enquanto o catolicismo está a ser atacado, mas como teriam “defendido ardentemente muçulmanos e judeus”.

“Isso não é tolerância, mas render-se”, afirmou, “baixar as calças perante o secularismo e o relativismo”.

“O catolicismo há muito se degradou; está a perder a sua batalha cultural e religiosa”, continuou. “As autoridades católicas têm medo e são uma triste visão. O espelho fiel dessa situação está no topo”.

O senador Pera, que admite ser “um admirador dos escritos do Papa Bento XVI”, foi co-autor do livro Without Roots: Europe, Relativism, Christianity, Islam [Sem Raízes: Europa, Relativismo, Cristanismo, Islão] em 2004, com o então cardeal D. Joseph Ratzinger.

Pera2
Encontro de Marcello Pera com Bento XVI.

Considerando o ex-pontífice “um profundo teólogo e um pensador original”, Pera previu a islamização da Europa, caso “prosseguisse com a sua cultura relativista, com a rejeição da sua tradição, com as suas baixas taxas de natalidade e com a imigração indiscriminada”.

“Talvez já tenhamos dado um golpe no coração e não percebemos. O que o Papa Ratzinger diz em Without Roots vem à mente: A impressão hoje é que a Europa se assemelha ao Império Romano no seu outono”, enfatizou.

“O problema é que a Igreja está reduzida a uma espécie de ONG, cuida sobretudo do social, transformou Greta [Thunberg] num ídolo, corre atrás de solidariedade, visões políticas e sociais em favor do bem-estar, mas os pastores muitas vezes esquecem a salvação das almas, que é sua principal tarefa”, reclamou o ateu.

Amigo íntimo do Papa Emérito, Pera disse que não conversa com Bento XVI há algum tempo, mas pode “especular que está arrependido e alarmado”. No entanto, Bento XVI não quis e não pôde intervir, pois “ele escolheu o silêncio e mantém corretamente o seu compromisso”.

Por outro lado, o Papa Francisco parece não ter problemas com a crise que envolve a Europa: “Ele é alguém que quer agradar, gosta de pessoas que gostam dele, segue o politicamente correto”, afirmou Pera.

Ele transformou o catolicismo “numa igreja tão em saída que não pode mais ser encontrada em lugar algum”, acrescentou.

O filósofo, que repetidamente alertara contra o avanço do Islão no Ocidente, reiterou a sua crença de que “o Islão não é um credo de paz e misericórdia, como eles querem que acreditemos, mas exige opressão”.

“Com essa crença, o diálogo torna-se problemático, sem que antes se esclareçam os conceitos fundamentais de respeito mútuo e de obediência às leis do estado e dos valores ocidentais”, explicou.

Numa entrevista de 2017 ao Il Mattino , Pera criticou fortemente a política de fronteiras abertas de Francisco:

Francamente, não entendo este Papa, o que ele diz está para além de qualquer entendimento racional. Eu questiono-me: porque diz ele isso? Qual é a verdadeira finalidade das suas palavras? Porque não tem ele um mínimo de realismo, aquele mínimo que é exigido a alguém? A resposta que posso me dar é apenas uma: o Papa faz isso porque odeia o Ocidente, aspira a destruí-lo e faz todo o possível para alcançar esse objetivo. E ele aspira a destruir a tradição cristã, o cristianismo como se realizou historicamente.

E concluiu: “Bergoglio só quer fazer política, o evangelho não importa.”

O Gabinete de Imprensa da Santa Sé não respondeu à entrevista.

A edição original deste texto foi publicada pelo Church Militant a 28 de dezembro de 2019. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do texto acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. A presente edição destina-se exclusivamente à sua divulgação. Sempre que possível, o texto deve ser lido na sua edição original.

Basto 12/2019

29 thoughts on “Filósofo ateu censura o Papa Francisco

  1. Alex 30 de Dezembro de 2019 / 23:53

    É gratificante ver um pensador, ainda que ateu, reconhecer a grandeza de Bento XVI, bem como o brilho de sua inteligência! 👏👏👏

  2. Rino Loi 31 de Dezembro de 2019 / 0:49

    Os cardeais que o escolheram são os maiores responsáveis: não a voz do Espírito Santo mas as de certos homens eles escutaram!

  3. maria martins 31 de Dezembro de 2019 / 7:29

    É só comparar as diferenças: Scalfari, ateu, amigo do Papa Francisco, o que apoia e o que defende?
    Marcello Pera, ateu, amigo de Bento XV, demonstra ser mais Crente do que muito crentes…
    E agora, de que lado está a VERDADE?!

    • Basto 31 de Dezembro de 2019 / 9:18

      Realmente, este ateu parece mais crente do que muitos crentes.

      • Maria Ribeiro 31 de Dezembro de 2019 / 12:23

        Isso é porque a maioria dos “crentes” já não sabe, sequer em que acreditar, pois tudo é Dr. em vários domínios mas quase ninguém conhece “Aquele que os poderia Salvar”.
        Penso que O papa Francisco está incluído, nesta maioria ignorante, que Deus me perdoe!!
        https://gloria.tv/post/iG1zgADaHhvV4PJcRoVwxFnzP

    • Maria Ribeiro 1 de Janeiro de 2020 / 11:09

      Já tinha visto, sim Alex e nem queria acreditar!

      • Alex 1 de Janeiro de 2020 / 14:16

        Pois é, Maria Ribeiro! É algo “surreal” como se diz, mas revendo o vídeo várias vezes percebi que ela não fez por mal. Ela apenas queria a atenção do Papa e infelizmente se excedeu na ânsia de receber a atenção do Papa.

    • Maria Ribeiro 2 de Janeiro de 2020 / 13:04

      Talvez o Alex já tenha visto esta matéria do Fratres:

      “Do que pôde se escutar, segundo Miguel Aguilera Neira, que traduziu as palavras da senhora, ela teria dito ao papa: “Espere! Espere! Cuide do povo chinês, eles estão perdendo a fé””

      Conclusão o Papa tinha “toda a razão”, em ficar muito nervoso, perante o desespero da senhora. Sendo assim fica explicado. Ou seja, para ele, a “ofensa egoísta” da asiática tem duplo sentido.

      Enfim, para mim ficou claro, desde o início que a senhora revelou ansiedade e tinha uma mensagem urgente para O Papa, que não ouviu ou não quis ouvir.

      • Alex 2 de Janeiro de 2020 / 14:35

        Maria Ribeiro, eu li há alguns minutos atrás o texto do Fratres que você citou. De fato, agora entendemos melhor a ansiedade da senhora chinesa. De fato, ela tinha uma mensagem muito importante para passar ao Papa Francisco: “Espere! Espere! Cuide do povo chinês, eles estão perdendo a fé”. Pena que Francisco prefira fazer concessões ao Partido Comunista chinês, por exemplo, nas nomeações episcopais, de modo que a mensagem da chinesa provavelmente não irá lhe comover. Pobre povo chinês!

    • Alex 1 de Janeiro de 2020 / 14:13

      Verdade!

  4. maria martins 1 de Janeiro de 2020 / 12:59

    Num vídeo, colocado, hoje, na Internet, pode ver-se melhor a “idolatria da senhora” que, mesmo exagerando, demonstra afecto pelo Papa…
    A sua atitude brusca só prova que a doçura, amabilidade e simpatia que, na maioria das vezes aparenta, são fabricadas…É nos imprevistos, que se medem as verdadeiras intenções.
    Já imaginaram o “nosso Presidente Marcelo” a reagir assim?!
    Mesmo não apreciando muito o ESTILO, tenho que reconhecer, que está a Anos Luz do “amável” Papa Francisco… mas para melhor!!

  5. Alex 1 de Janeiro de 2020 / 14:19

    Em relação ao vídeo em questão, eu o assisti várias vezes e cheguei a conclusão de que aquela senhora não fez tal gesto por mal. Ela queria apenas a atenção do Papa. Mas infelizmente ele se excedeu na sua ânsia de receber a atenção do Papa.

    • Basto 1 de Janeiro de 2020 / 16:00

      Não, claro que a pobre da mulher não fez por mal. O próprio Papa é quem tem cultivado este tipo de proximidade com as pessoas, portanto tem de estar preparado para estas situações.

      • Alex 1 de Janeiro de 2020 / 17:46

        Verdade! Você explicou a situação melhor do que eu.

      • Alex 2 de Janeiro de 2020 / 20:57

        Esse outro vídeo mostra melhor a cena.

        Depois que a mídia divulgou o que ela disse ao Papa Francisco, vê-se que a pobre mulher queria apenas pedir a atenção espiritual do Papa aos católicos chineses que estão passando por duras provações.

        https://youtu.be/Y41Tqul2gJY

  6. Fernando Negro 1 de Janeiro de 2020 / 19:25

    O Prof. Pera que pergunte a um outro amigo pessoal de Bento XVI (https://twitter.com/search?q=Benedicto%20XVI%20%20from%3Aestulindaniel) e também dos muito católicos elementos da Liga Norte (https://twitter.com/search?q=lega%20nord%20%20from%3Aestulindaniel) o que se passa no Vaticano:

    https://www.google.com/search?q=estulin+vaticano+site%3Aactualidad.rt.com

    Como membro de um dos melhores serviços secretos do mundo, saberá tal pessoa dizer muito do que se passa nos bastidores e sobre as verdadeiras intenções dos vários personagens da Igreja.

  7. Fernando Negro 1 de Janeiro de 2020 / 19:46

    Estou surpreendido que não tenha sido feita, neste blogue, uma colocação sobre o parvalhão do Gregório Duvivier…

    (Será que foi porque, de tão baixo que foi o acto deste personagem, nem merece comentários?)

    Eu, que também sou ateu, não acho piada nenhuma a este tipo de enorme desrespeito pelo Cristianismo – e, ainda mais agora, por saber eu que fazem este tipo de actos claramente parte de ataques, disfarçados de comédia, aos valores cristãos.

    • Basto 1 de Janeiro de 2020 / 20:26

      Falta de tempo, amigo. A minha recente condição de trabalhador estudante, em conjunto com mais algumas coisas, acabou por reduzir o blogue aos serviços mínimos… Um bom ano para si, Fernando.

  8. Alex 10 de Janeiro de 2020 / 14:07

    Uma notícia interessante que mostra como as comunidades tradicionais têm mais vocações.

    “Jugis se tornou bispo de Charlotte em 2003. Desde então, o número de católicos quase dobrou. O número de sacerdotes cresceu de 96 para 114.”

    https://gloria.tv/post/GEwYCe7Cbttd3qLXfz9Pa9BDF

  9. Alex 11 de Janeiro de 2020 / 16:03

    Aos que admiram Joseph Ratizinger, tem uma entrevista interessante que foi legendada em português. Vejam!

    Joseph Ratzinger sobre Crise de Fé, Relativismo, Abuso Litúrgico e mais!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s