Manifesto Contra a Televisão ou Como um só Demónio Conquistou Toda a Humanidade

televisão
Imagem capturada da curta metragem “I, Pet Goat II” (2012).
televisão3
Por Pedro Sinde

Queria contar um conto, mas um conto para levar a sério. Agora mesmo, nesta hora em que vos escrevo, ela está ali, pendurada num suporte fixo à parede num lugar alto, para obrigar as gentes a olhar para cima. Ali, precisamente naquele lugar, esteve já a imagem de Santo António, agora desaparecida. Estou num café antigo, o leitor já terá adivinhado talvez, pois terá reparado que onde nas lojas antigas estava um pequeno nicho, elevado, com alguns santos, agora está uma televisão.

Estamos no fim dos tempos, pode-se dizer assim com brusquidão. Os homens não acreditam, porque estão em geral tão fechados ao mundo real que nem se lembram que a sua vida tem os dias literalmente contados. E têm medo, muito medo de pensar nisso. E fazem bem; é bom que tenham medo, pois há muitas razões para tal.

Nos tempos do fim, o mundo, os homens, os animais, as plantas e até as pedras, estão cansados; a criação está farta de sofrimento, está farta de mudança, pressente no ar que qualquer coisa está para acontecer. E está. E geme toda a criação, como diz São Paulo (Rom 8, 22), como em dores de parto…

Nestes tempos, como em nenhum antes, andam os demónios à solta. Não, não se trata de uma metáfora. Os demónios andam mesmo à solta, possuíram já uma boa parte dos homens; quando não de um modo constante, pelo menos com intermitências.

É para vos contar a história de um desses demónios que este manifesto é escrito. Estou certo de que só os loucos e as crianças perceberão do que se trata, mas isso também é um sinal dos tempos, como diz São Paulo, “a sabedoria deste mundo é loucura aos olhos de Deus” e diz mais: “está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos homens cultos” (1Cor 1, 19).

~

São vários os demónios que procuram, por este ou aquele meio, possuir a humanidade. Hoje, isso é relativamente fácil; antes havia vários obstáculos: havia religião, havia tradição, havia a vida natural e sóbria e os homens eram dotados de uma certa percepção sobrenatural. Hoje, estão embrutecidos, isto é, já não são dotados do sentido sobrenatural.

Um dos demónios que mais sucesso teve e, ao que parece, terá é o que inventou aqueles aparelhos que formam imagens e as põem em movimento: as máquinas projectoras de filmes, as televisões, os computadores e depois as diminuiu em tamanho até caberem num bolso e as podermos levar para todo o lado, em todo o tempo; na verdade, o que acontece é que elas nos levam a nós para todo o lado e em todo o tempo, mas como cabem no nosso bolso, temos a ilusão de que nós é que as levamos…

O chefe dos demónios dá-lhes como missão virem à Terra para procurarem dominar o maior número possível de homens.

E eles procuram cumprir esta missão exemplarmente. Há demónios mais empenhados, há demónios menos empenhados; a burocracia e a obrigatoriedade do trabalho são obra de um demónio genial; e fez tanto sucesso este modelo que foi até adoptado entre os próprios demónios, para sua desgraça; mas, enfim, a desgraça ou falta de graça é o que é próprio do mundo infernal.

Em todo o caso, o demónio de que vos quero falar é um daqueles que gosta do que faz e quer desempenhar o seu trabalho o melhor que puder. Realmente gosta do que faz, quase poderia dizer que ama o que faz, se fosse possível a um demónio amar.

Estava ele a cogitar como é que podia deixar o rame-rame do dia-a-dia, as pequenas conquistas e realizar uma coisa maior, uma coisa em grande. Para isso observava o comportamento dos homens e o modo como os seus colegas, os outros demónios, agiam para os conquistar.

Rapidamente se apercebeu que quase todos caíam num erro: um dedicava-se, por exemplo, a procurar convencer os homens de que não havia Deus, outro, mais arguto, procurava convencê-los de que não havia diabo, outro, de que não havia moral. Tudo isto eram coisas exteriores ao homem porque agiam sobre a sua razão com argumentos e, é certo, produziam os seus efeitos, mas não eram duradouros; era preciso chegar ao cerne, era preciso actuar no seu íntimo, era preciso roubar-lhe alguma coisa, adormecer qualquer coisa nele. Pensou, pensou… era difícil. Tudo aquilo estava a ser feito por demónios com pouca imaginação, pensou. E foi aí que lhe ocorreu: a imaginação! É isso mesmo!

Era por ali, porque a imaginação, ao contrário da razão, tem uma ligação directa ao corpo e às emoções e assim poderia tomar conta do homem inteiro, pois dominada a imaginação, tomando conta das emoções e do corpo, a razão, como uma vela que se apaga, simplesmente adormeceria e deixaria de iluminar a alma; a ninguém se convence com argumentos, tudo se passa, na verdade, nas emoções e na imaginação (que é a porta para a emoção). Era preciso, pois, de algum modo, separar a razão da imaginação. Fechou-se na sua cela luxuriosa, queimou um pouco de enxofre e começou a maquinar – digo maquinar porque os demónios não meditam, maquinam.

Magicou (para além de maquinar, os demónios também magicam) em torno da imaginação e percebeu que, realmente, se tratava de uma força tremenda; dominando-a poderia fazer o que quisesse com os homens. Enquanto pudessem imaginar, teriam esperança, mas era necessário levá-los ao desespero, sem que eles sequer percebessem que estavam desesperados ou sem esperança; era preciso adormecer, pois, gradualmente a imaginação aos homens, activando-a a partir de fora, de forma tão gradual que eles nem reparassem.

Notando que imaginar era criar imagens, ocorreu-lhe que uma boa forma, se isso fosse possível, seria dar-lhes, as imagens prontas, em vez de os deixar imaginar ou criar as imagens. Já sabia quais eram os fins, mas ainda não via os meios. Foi dormir com isto em mente. Foi num sonho que obteve a sua resposta. Quando acordou já sabia que era preciso inventar uma máquina de fazer imagens, de tal modo poderosa que prendesse a si hipnoticamente os homens: ocorreu-lhe que um filósofo dissera que nada está no intelecto que não tenha estado primeiro nos sentidos e, embora deformando o sentido da frase, isso deu-lhe a chave que procurava; deformar é, de resto, a obra demoníaca propriamente dita. Os demónios só procuram deformar o que já existe, são parasitas de Deus.

Não disse nada a ninguém, pois sabia que seria alvo de chacota. O seu trabalho agora era apenas lançar esta ideia de uma máquina que construísse imagens em movimento e algum homem a captaria, a agarraria e, quando isso acontecesse, ficaria sob as suas garras.

Pode o leitor estar a interrogar-se por que razão não procurou o próprio demónio criar uma tal máquina. Ora, é que os demónios não criam, estão proibidos de criar, como disse, a sua missão é apenas “descriar”, isto é, destruir, incitar o homem à destruição ou deformar e macaquear a obra grandiosa de Deus. Está então visto que um demónio não pode criar sequer uma máquina que sirva para destruir. Pode, isso sim, instigar os homens, sugerindo-lhes algumas ideias.

Adormeceu novamente e enquanto dormia dormiam também dois irmãos simpáticos e bastante criativos; por ironia, esses irmãos tinham o apelido “Lumière”. Digo por ironia, porque o novo invento iria manipular a luz para fazer imagens. Foi nesse sono que os dois irmãos receberam a ideia de dar movimento a imagens estáticas; é claro que não davam movimento, mas tudo se passava por um acto de ilusionismo: manipular as imagens, na verdade estáticas, com a velocidade, trocando uma pela outra numa rápida sucessão que, ludibriando aquele que vê, enganando-o, mentindo-lhe, fazia-o “ver com os olhos” as imagens, realmente paradas, como se estivessem em movimento numa sequência. Os irmãos eram bem-intencionados, nem podiam imaginar que seriam alvo eles mesmos de um ludíbrio e que estariam com este aparelho a servir o Inimigo…

Certo é que o demónio viu o que iria acontecer, viu que tinha encontrado a solução: o invento que iria “desanimar” ou tirar a alma e o ânimo aos humanos estava mesmo ali; um aparelho de destruição massiva. Foi um momento sublime, tanto quanto se pode falar assim de um demónio. A humanidade estava perdida, desta vez era possível com um só aparelho manipular a humanidade inteira; “já não era necessária uma legião, como nos tempos de Cristo, pensou maravilhado – basta um só, basto… eu!” E o luciferino orgulho perpassava-lhe o olhar sinistro, enquanto o seu chefe se orgulhava dos sentimentos do seu subordinado, seguindo o modelo do patrão…

~

E o resto é a história que todos conhecemos; tudo começou gradualmente, tal como o demónio planeara: primeiro o cinema, depois a televisão (um cinema caseiro e em miniatura) e, finalmente, um telefone de trazer no bolso e que já ninguém larga. Agora já chegou a uns óculos que dão toda a informação do lugar onde se está e depois será mesmo um implante. A isto já chamam “realidade aumentada”, com toda a ironia ou antes todo o cinismo possível, porque, naturalmente, a realidade é, ao contrário, diminuída de si mesma, para ser canalizada apenas para as informações que os fabricantes destes óculos escolhem dar. Etc. Seria cansativo explicar toda esta fastidiosa parafernália, infernália, que todos hoje têm em casa e que é como que o melhor lugar da casa, ali onde antes tinham um pequeno altar com um santo ou um anjo a quem dirigiam orações de paz e luz, abrindo a sua alma ao sobrenatural. Hoje, abriram-na ao infranatural e prestam culto ao monitor rectangular e negro, que torna a sua alma negra e rectangular; todas as almas iguais, pensando o mesmo, vendo o mesmo, comentando o mesmo. E se alguém pensa de outra forma, tornam-se raivosos e odientos ou simplesmente gozões, ridicularizando aquele que pense de outra forma.

Foi assim que, de mentira em mentira, este demónio conquistou a humanidade. E ele já viu o final desta sua obra destruidora num sonho; será assim: um adolescente, que representava no sonho toda a humanidade, jogando um jogo no seu telemóvel, alheio a tudo o que o rodeia e a si mesmo, naturalmente, vai ouvir de repente uma voz que diz: game over. Espantar-se-á primeiro, pois sabe que não perdeu o jogo que está a jogar; reparará, então, que essa voz não vem do seu aparelho, mas do seu interior. E que o jogo real terminou; e aquela pobre alma, como milhões de outras, hipnotizadas, ainda nem tinham começado a jogar, quer dizer, a viver.

televisão2

Sim, como primeira medida, destruam o vosso aparelho de televisão.

 

O texto acima foi publicado na plataforma Academia.edu em maio de 2020.

Nota da edição: o artigo acima é da inteira responsabilidade do seu autor, neste caso o filósofo português Pedro Sinde, a presente edição visa apenas a sua divulgação. A imagem do topo não faz parte da publicação original.

Basto 05/2020

15 thoughts on “Manifesto Contra a Televisão ou Como um só Demónio Conquistou Toda a Humanidade

  1. PADRE GABRIELLE AMORTH respondendo ao diabo num determinado exorcismo e que se vangloriava que a televisão era obra sua, responde o contrariando que era obra da inteligencia desenvolvida dos homens e emudeceu-se imediatamente-se!
    Porém, ele contrarargumentou que em breve verão o que faremos dela e nesse sentido acertou plenamente, pois hoje em dia e doravante é um instrumento a serviço das hordas satânica e potencial corruptora da humanidade, bastando-nos conferir os desvios espirituais aportados pelas corruptas e corruptoras novelas, inclusive incensando as falsas religiões, como a gnóstica Yoga juta com a sua meditação “transcendental”!
    Nesse ponto, o diabo acertou em mais de 95%, o que nos parece, dado o conteúdo veiculado diariamente, quer sob forma de fake news ou apregoando e doutrinando tudo quanto são perversidades, como se fosse a mestra e nós seus alunos – sob constantes lavagens cerebrais e que funcionam!
    Porque os comunistas progrediram tanto? “INFILTRE, DEPOIS CONTROLE TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO COM AS MASSAS” e não foi isso que os punguistas do PT fizeram no Brasil e noutros países onde subverteram, esses demonios convenceram as populações a votarem neles e escaparem do imperialismo norte-americano, “explorador e sanguessugas dos trabalhadores”, sendo esse o segundo mandamento do decálogo de Lênin.
    Stálin, por seu lado vociferou: uma mentira sempre relatada sem opositores, esse caso acima, com o tempo torna-se verdade!
    Os 10 últimos papas ante Vaticano II excomungaram todos os comunistas, apoiadores, eleitores e propagandistas dele e Bento XVI em Erfurt nomeou o nazimo e fascismo de pestes negras e o comunismo de peste vermelha!
    No Ap 6 3-4 nesse período, na Grande Tribulação, os conflitos serão permanentes, a vida não terá mais valor, não haverá segurança para ninguém.

    • Prezado Geraldo, conheço esse relato do Pe. Gabriele Amorth em relação à televisão. De fato, um fato bem expressivo!

      Aproveito para trasncrevê-lo:

      “Certa vez, ao fazer um exorcismo, falando com o demônio, ele dizia: “A televisão, fui eu que a inventei!” Eu afirmava: “Não! Tu és um mentiroso! A televisão é uma grandíssima invenção do homem. Tu inventaste o mau uso dela, a fim de corromper as pessoas”.” (Pe. Gabriele Amorth)

      Infelizmente, o homem tem feito um mal uso da televisão. 😢

      • Alex, v disse ipsis litteris o que o Pe Gabrielle Amorth nos relatou e eu não pensei que no meu comentario deveria lembrar e acrescentar que muitos católicos estão praticando a YOGA integral, a qual é uma religião GNÓSTICA e PANTEÍSTA, portanto, totalmente incompatível com o cristianismo católico, no qual temos o Cristo Salvador, por seu Sacrificio na cruz e de uma única vez por todas, bastando apenas seguir seus passos determinados nos Mandamentos e na Sua Igreja, extensão de Seu Corpo para a pessoa se salvar para sempre no Seu Reino.
        Podemos apenas da YOGA aproveitar-lhes os exercicios físicos sem os atrelar e/ou se relacionarem com sua sedizente MEDITAÇÃO “TRANSCENDENTAL” – que de transcendental nada possui, apenas um termo para expressar aos ocidentais o doutrinarismo dos supostos mestres YOGUINS do hinduísmo e enganar os incautos!

      • Geraldo, obrigado pelo feedback!

        Verdade! Eu citei ipsis litteris a fala do Pe. Gabriele Amorth. A propósito, ela está em uma entrevista de muitos anos atrás; entrevista esta disponível na internet através de uma busca.

        Em relação à Yoga, muito oportuno seu comentário. De fato, a Yoga integral é uma religião.

        O Pe. Duarte Sousa Lara, que é um renomado exorcista português, também faz advertências contra a Yoga. Se não me engando, tem os pronunciamentos dele sobre esse assunto no canal dele no Youtube.

  2. A tecnologia moderna dá um poder quase divino ao homem. Obviamente isso é perigoso, pois há muitas pessoas que cedem facilmente a tentações literalmente diabólicas de usar tais tecnologias para o mal.

    • Pesando bem, penso que seria melhor dizer que a tecnologia moderna dá um poder divino ao homem!!! Não é de estranhar, pois, que o homem, corrompido pelo pecado original e pessoal, corrompido também pelo mundo perverso dos dias de hoje, acabe usando esse poder divino para o mal. 😢

    • Acredito que o aumento do consumo de pornografia durante a pandemia se deva a um mal anteriormente já presente no mundo moderno, que é a SOLIDÃO!

      Infelizmente o mundo moderno, devido a vários fatores de desumanização, desagrega as relações sociais, favorecendo a solidão, um mal do mundo moderno; e muitas pessoas veem na pornografia uma forma de sair da solidão.

      É muito triste que a sociedade tenha chegado a esse ponto. 😢

  3. Um padre que também fez críticas sobre a televisão foi o Pe. Gobbi através das suas alocuções ou mensagens. Ele dizia que a televisão tinha se tornado no mundo de hoje um objeto de adoração. Nesse sentido, há uma semelhança muito grande das palavras do Pe. Gobbi com a observação do filósofo português Pedro Sinde ao relatar que o aparelho de televisão tinha ocupado literalmente o lugar de antigos nichos de santos. Não que os santos sejam objetos de adoração, mas penso que a comparação faça sentido em apresentar a televisão como uma especie de objeto de culto. Pelo menos, essa é a minha interpretação. Espero que não seja contrária ao texto do Pedro Sinde.

  4. Acho que a televisão, como todas as invenções do Homem, ao longo dos tempos, poderia ter sido uma maneira de Glorificar a Deus, por nos ter Criado à Sua Imagem e Semelhança, até na Inteligência.
    Porém, também acredito, que o lado perverso da Humanidade, influenciado pelo “macaco de Deus”, Satanás, conseguiu deformar ou melhor, corromper, aquilo que só nos poderia trazer coisas boas, em todos os aspectos; aliás, é esse mesmo o seu papel! Mas como de tudo, Deus sabe tirar o Bem, eu recordo uma das “bandeiras” da Canção Nova, segundo o Pe. Jonas, que é “Evangelizar através dos Meios de Comunicação”, incluindo a televisão, como resposta, a uma proposta do Papa S. João Paulo II, que pedia o bom uso das novas tecnologias…
    Contudo, o facilitismo nunca fez bem a ninguém:” A ociosidade é a mãe de todos os vícios!” Logo, o simples carregar num botão e podermos ter acesso de imediato, a quase tudo o que se passa no mundo, tonou-nos preguiçosos e acomodados mentais, muitas vezes, ACREDITANDO, sem qualquer sentido crítico, em tudo que nos apresentam, logo à primeira; o que não é de todo, saudável, pois, infelizmente, há muitos interesses por trás desse mundo, cujo principal é massificar as opiniões e levar-nos a pensar todos da mesma maneira! E os dissidentes, que procuram a Verdade, é que são os “Revolucionários!”
    Felizmente, que as vitórias nem sempre estão com as maiorias…havendo as excepções que “remam contra a maré!” …
    E como Cristãos, cuja herança é a de luta, nesse sentido, preparemo-nos, pois o cerco cada vez se tornará mais apertado, e mais difícil será sermos aceites pela maioria; já não é isso o que está a acontecer?
    E quanto à pornografia, Alex, acredito que a solidão não seja a razão mais aceitável, mas sim, a consequência da deformação das consciências, pela falta de Deus na vida dessas pessoas. E aqui, podemos incluir a má CONDUÇÃO dos nossos PASTORES que, perante esta pandemia, em vez de nos PREGAREM o RETORNO A DEUS através da CONVERSÃO e da FÉ, aconselhando-nos a Oração, a Busca de Deus e da Sua Misericórdia, nos fecharam as igrejas, tirando-nos os Sacramentos, confinando- nos a um Deus virtual…
    E acho que eles mesmos não têm culpa, porque ninguém pode dar o que não tem.
    E, desculpem mais uma vez, mas vou transcrever outra Passagem da minha Obra preferida, para estes tempos: “O Evangelho como me foi revelado”.
    Diz-nos Nossa Senhora, para nos explicar o que acontece a uma alma cheia de Deus:… “Eu não desejava mais nada. Nem mesmo o desejo de tutelar a nascente Igreja existia mais em mim, naqueles últimos tempos da minha alma mortal. Tudo ficava reduzido ao nada, pelo desejo de possuir a Deus e pela persuasão de tudo poder quando O possuímos.
    Aproximai-vos, Ó Cristãos, deste Amor Total. Que tudo o que é terreno perca o valor. Olhai só para Deus, e quando estiverdes ricos com esta pobreza desejada, tereis, então, a RIQUEZA INCOMENSURÁVEL. Deus Se inclinará para o vosso espírito, a fim de instruí-lo antes, para possuí-lo depois. E vós subireis com ele, ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, para conhecê-Los e Amá-Los, por toda a Eternidade, podendo possuir as Suas riquezas e graças para os irmãos. E nunca seremos tão ACTIVOS , em favor dos irmãos, como quando estamos no meio Deles, porque assim, já somos luzes UNIDAS À LUZ DIVINA!
    E isto ajuda-nos a entender como o Homem só consegue ser Justo e Amar de verdade, se estiver, TOTALMENTE, MERGULHADO EM DEUS!

    • Maria Martins, de fato, essa questão da deformação das consciências é muito séria. Por outro lado, estamos em um mundo que desestrutura os relacionamentos humanos desde a infância. Mas não estou negando que a questão da pornografia seja uma questão moral também.
      Em relação a atitude dos pastores durante a pandemia, por mais doloroso que seja isso, eu acredito que as igrejas devam permanecer fechadas até que o risco de contágio seja bem pequeno. Compreendo o sofrimento de ficar sem a Eucaristia. Mas isso, ao meu ver, é uma provação permitida por Deus. Ainda em relação a atitude dos pastores, no que se refere a um abandono dos fieis, eu vejo isso não como um problema de agora, a partir dessa pandemia, mas, como um problema da Igreja no mundo pós-moderno, onde a Igreja se mundanizou a partir do Concílio Vaticano II, e muitos padres e bispos esfriaram na fé e acompanharam a mundanização da Igreja se tornando insensíveis aos sofrimentos e problemas dos fieis. Não quero com essas palavras, é claro, negar que existam muitos padres e bispos bons. Existem muitos padre e bispos bons. Mas não dizem que a crise do clero é um sinal dos tempos em que estamos vivendo?
      Espero não escandalizar a senhora com meu ponto de vista, mas eu tendo a ser pessimista.

  5. Caro Alex, tudo o que me diz é verdadeiro, mas continuo a pensar, e já neste Blog, várias vezes, o defendi: não aceito de todo, que havendo Serviços essenciais que foram respeitados e considerados como tal, a VIDA ESPIRITUAL NÃO tenha sido considerada uma PRIORIDADE! Mesmo os padres deveriam, como noutras épocas, ser os primeiros a ir para a linha da frente, como os profissionais de saúde, animando e dando FORÇA ao Povo, através de ORAÇÃO redobrada! Tenho a CERTEZA, que essa atitude moveria o CORAÇÃO DE DEUS PI e muitos MORNOS se aproximariam da Igreja, nem que fosse só por medo! Agora, se tudo isto é consequência de toda a secularização e apostasia actual, na Igreja, só estamos a concordar que este raciocínio é verdadeiro: quanto mais se vira as costas a Deus, mais Ele respeita as nossas opções, porque Ele EXIGE a PRIMAZIA, para poder actuar: AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS!
    Agiram somente de maneira RACIONAL e SEM FÉ, esquecendo-se ou não ACREDITANDO, em que o nosso DEUS É PAI! Isto é a minha visão e ninguém ma tira! Poderiam usar a imaginação e, pelo menos, aos domingos, esforçarem-se por nos Celebrar a Santa Missa, nas igrejas! E, na minha cidade, não faltam, para poderem distribuir os Fiéis, respeitando as distâncias. Eles não acreditam em nada do que APREGOAM! Continuo a afirmar, que perderam uma boa oportunidade de MOSTRAR a este mundo tão PAGANIZADO, que Deus NUNCA falta àqueles que Nele Confiam! Isto, claro, com todos os cuidados necessários e exigidos por lei…E tenho conhecimento de casos de risco, onde NUNCA se deixou de Celebrar a Eucaristia, rezar o Terço e fazer a Adoração ao Santíssimo, com VERDADEIRO SUCESSO, sem qualquer contagio da dita doença. E isso, já tem sido reconhecido, por funcionários que não tinham Fé e estão PERPLEXOS!
    Em Portugal, o 25 de Abril foi comemorado e o nosso Presidente da Republica respondeu às críticas, dizendo, que este ano, mais do que noutra ocasião, penso que se referia ao estado de pandemia, não deveria deixar de ser festejado na Assembleia da Republica, como foi! Ele não explicou, mas penso que queria dizer-nos, que era uma forma de estar directamente com os Portugueses… Eu lembrei-me logo da sua tomada de posição em relação à Igreja, até na Páscoa, exigindo tudo fechado…. E diz-se ele CATÓLICO!! Mas, não é Jesus que nos avisa de que “OS FILHOS DAS TREVAS SÃO MUITO MAIS INTELIGENTES DO QUE OS FILHOS DA LUZ?!”
    Contudo, TUDO ISTO só é possível, com a PASSIVIDADE e o MAU EXEMPLO da nossa hierarquia religiosa, que fugiram como os ratos, facilitando-lhes a vida! E ainda AFIRMAM que estão a fazer um BEM ao Próximo! Até me apetece relembrar um “slogan” antigo:” Cabecinhas pensadoras”, malabaristas, quanto podem!! Distorcem a Palavra de Deus para justificar a sua FALTA DE FÉ!
    Porém, ressalvo, que acredito haver muitos Sacerdotes que estão a sofrer, repetindo o que alguém já afirmou noutro Blog: “O mal dos Católicos, neste momento, ESTÁ NOS BISPOS!”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s