Papa Francisco invoca autoridade magisterial da Igreja para declarar a irreversibilidade da reforma litúrgica

No atual momento em que reina a confusão na Igreja católica, quando bispos e sacerdotes condenam tantas almas ao Inferno, convidando pessoas obstinadas em pecado mortal a receberem sacrilegamente a Sagrada Comunhão, por causa da exortação apostólica Amoris Laetitia, o Papa Francisco I invoca finalmente a autoridade do infalível Magistério da Igreja. Porém, ainda não é desta que o Santo Padre mostra alguma preocupação por essas almas em risco de condenação eterna.

E hoje ainda há trabalho a ser feito nesta direção, em particular redescobrindo os motivos das discussões realizadas com a reforma litúrgica, superando leituras infundadas e superficiais, recepções parciais e práticas que a desfiguram. Não se trata de repensar a reforma revendo as suas escolhas, mas de conhecer melhor as razões subjacentes, também por meio da documentação histórica, como de interiorizar os princípios inspiradores e de observar a disciplina que a regula. Depois deste magistério e depois deste longo caminho, podemos afirmar com segurança e com autoridade magisterial que a reforma litúrgica é irreversível”.

(Papa Francisco in Radio Vaticano, 24/08/2017)

Afinal não só os “fundamentalistas” que recorrem à autoridade do Magistério da Igreja!

 

Tesourinhos deprimentes:

Basto 8/2017