Freira canadiana recebe autorização do Vaticano para celebrar casamentos

Dada a carência de sacerdotes em Abitibi-Témiscamingue (Canadá), o bispo já lhe tinha concedido o privilégio de realizar batizados e outras tarefas pastorais. Talvez fosse por isso que D. Dorylas Moreau, bispo de Rouyn-Noranda, lhe chamava amigavelmente a “pastora”. Ainda assim, celebrar matrimónios estava claramente para além das suas atribuições…

Eu não posso casar. Não sou ordenada e não é a minha função.

(Ir. Pierrette Thiffault, in Ici Radio-Canada, 20/07/2017 )

Porém, segundo a imprensa local, no passado dia 23 de maio, a Ir. Pierrette Thiffault recebeu do Vaticano, da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, uma carta com a permissão para presidir a uma cerimónia de Casamento.

casamento.mulher
in Ici Radio-Canada, 20 de julho de 2017

Quando recebi a resposta, senti uma enorme responsabilidade e uma grande dignidade.

(Ir. Pierrette Thiffault, in Ici Radio-Canada, 20/07/2017 )

Uma “grande dignidade”…

Basto 7/2017

Entre a clausura e a loucura satânica, mais uma freira rebelde

Chama-se Lucía Caram, é natural da Argentina e vive atualmente em Barcelona, Espanha, e dizem que é uma freira de clausura dominicana… No final do passado mês de janeiro, perante a televisão, pôs em causa a virgindade de Nossa Senhora, a castidade de São José e, consequentemente, a condição divina de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Dá a impressão de que a regra do convento é agora bastante mais permissiva. O diabo da freira veio dizer estas loucuras para a televisão a menos de uma semana do primeiro sábado de fevereiro. A devoção dos Primeiros Sábados destina-se precisamente a reparar as ofensas cometidas contra o Imaculado Coração de Maria.

Apesar de talvez nunca ter insultado publicamente nome de Jesus Cristo e de Sua Santíssima Mãe de forma tão direta, a Ir. Lucía Caram era já internacionalmente conhecida pela sua catequese exótica em temas como a homossexualidade ou o batismo dos filhos dos “casais” gay, e ainda pelos seus ensinamentos socialistas. Gosta de fundamentar a sua doutrina – e isto surpreende menos, infelizmente – nos ensinamentos do Papa Francisco.

Ainda ninguém se lembrou de fundar a congregação das Irmãs Desatanudos

Basto 2/2017

Cantou “como uma virgem” na Polónia

A freira Cristina Scuccia canta “como uma virgem, tocada pela primeira vez” no festival promovido pelos Missionários Oblatos de Maria Imaculada, em Wroclaw, integrado nas celebrações mundiais da juventude na Polónia. Foi um ato de satanismo puro e descarado!

Foi um evento todo ele cheio de “misericórdia” e espiritualidade neopastoral, conforme as imagens demonstram. Milhares de jovens de todo o mundo unidos em profunda “oração”.

Em Cracóvia, epicentro da Jornada Mundial da Juventude, a espiritualidade foi semelhante, contando também com os momentos de “catequese” da Ir. Succia.

É difícil dizer se a freira está mesmo possessa, mas seria interessante ouvir a opinião do Pe. Grabriele Amorth, que sempre entende mais destas coisas do que nós.

Os nossos irmãos do outro lado do Atlântico que se preparem porque ela já domina a língua de Camões e está à espera de uma oportunidade para partir em missão para o Brasil.

Ao que isto chegou!

 

Basto 8/2016

As Irmãs Comunicadoras Eucarísticas do Pai Celestial

freiras colombianas
Rome Reports – TV News Agency

São uma congregação de freiras que vivem num convento de Cali, na Colômbia. À semelhança da Irmã Cristina Scuccia, praticam a “nova pastoral” através da música rock e pop, e também da dança, que partilham na Internet.

Surgió antes del Año de la Misericordia, pero no le dimos esa fuercita antes. Estaba ahí, en standby. Y surgió el Año Santo y creímos que era un regalo del Señor. Dijimos: ‘Hay que grabarlo’. Y fue lo último que se publicó en redes sociales.

(Ir. Jerut, in Rome Reports, em 01/07/2016)

A agência informativa Rome Reports, especializada em assuntos do Vaticano e da Igreja em geral, dá sempre um grande destaque a estes exemplos de inovadoras práticas pastorais que estão a crescer por todo o mundo. Ainda no passado mês de janeiro, mostrou outro exemplo de moderníssimas freiras, em “missão” na cidade de Lima, no Peru.

A América Latina, grande bastião do catolicismo a nível mundial, é particularmente sensível a esta nova pastoral, a qual está ainda longe de poder ser completamente avaliada ao nível dos seus frutos espirituais.

Em 2013, por altura da visita do Papa Francisco à maior nação católica do mundo, até os bispos deram um pezinho de dança, envolvidos pelo espírito celebrativo.

 

Basto 7/2016

Guardar

Ir. Cristina canta a bordo do grande barco que se afunda

titanic
www.starticket.ch

A irmã Cristina Scuccia, uma freira conhecida pelos seus comportamentos escandalosos que lembram mais uma possessão demoníaca do que a regra da Ordem de Santa Úrsula, será figura de cartaz no musical “Titanic”. Ao longo de um mês, durante este verão, ela cantará a bordo do grande barco que se afunda junto ao Lago de Lugano, na zona fronteiriça entre a Suíça e a Itália. Simbologia satânica é coisa que não falta nos Alpes por estes dias.

Quando chegar o outono, a monja retomará o seu trabalho “pastoral” no musical “Sister Act”.

sister act

Sobre o elevado sucesso dos musicais verificado no meio LGBT, a freira confessa o seguinte:

Eu concordo com a frase do Papa Francisco sobre o perdão a pedir aos homossexuais: a Igreja é uma mãe que tem de aceitar e não rejeitar.

(in Gazzeta di Parma, 19/06/2016)

A irmã Cristina, apesar de não cantar mal, conseguiu todo o seu sucesso artístico à custa da utilização sacrílega do hábito e de outros símbolos religiosos no mundo musical profano. A sua popularidade assenta numa imagem de freira rebelde, fortemente cultivada em palco, desde o seu primeiro momento de participação no concurso “The Voice – Italia”, em 2014.

Desde então, nunca mais parou de fazer figuras tristes um pouco por todo o lado, sendo, por vezes, utilizada como mero objeto de propaganda anticatólica.

 

Como Uma Virgem

Versão do original “Like a Virgin” da cantora Madonna.

 

Basto 6/2016