“Milagre” de São Januário realiza-se nas mãos do líder da maior Igreja Católica Oriental

https://i1.wp.com/tv.ugcc.org.ua/media/gallery/full/d/s/dsc01962_33457.jpg
In Religious Information Service of Ukraine, 21/11/2018.

Durante a visita de D. Sviatoslav Shevechuk a Nápoles, o sangue de São Januário liquefez-se completamente no momento em que o líder dos católicos ucranianos segurava o relicário. O “milagre” aconteceu no dia 18 de novembro, portanto, fora das datas em que costuma ocorrer todos os anos.

“Temos de vos anunciar uma importante mensagem: o sangue de São Januário tornou-se líquido nas mãos de Sua Beatitude D. Sviatoslav”.

(Declaração dos Guardiões das Relíquias em 18 de novembro; in RISU, 21/11/2018)

O fenómeno aconteceu no final da liturgia, quando o arcebispo ucraniano transportava a relíquia, em procissão, para o seu lugar habitual. Sviatoslav confessou que, enquanto transportava o relicário, orou a São Januário “pelo fim da guerra na Ucrânia” e pela “proteção do povo ucraniano”.

Tradicionalmente, o sangue de São Januário liquefaz-se duas vezes por ano, a 16 de maio e a 19 de setembro.

Basto 11/2018

O “milagre” de São Januário não se realizou

Mau presságio em Nápoles…

Na passada sexta-feira, dia 16 de dezembro, na tradicional cerimónia religiosa em memória da intercessão de São Januário em 1631 para salvar Nápoles das lavas do Vesúvio, o sangue não se liquefez dentro da ampola do relicário. Este facto representa um mau agouro na tradição napolitana. Normalmente, o sangue de São Januário, que se encontra no estado sólido, liquefaz-se três vezes por ano. Para além da data referida, o milagre costuma ter lugar também no dia de São Januário, a 19 de setembro, e na véspera do primeiro domingo de maio, quando se recorda a primeira transladação do seu corpo.

Esta tradição tem cerca de 600 anos. O jornal italiano La Stampa informou que o sangue de São Januário não se liquefez pela primeira vez em 36 anos. De acordo com a informação do mesmo jornal, as últimas vezes em que isso aconteceu coincidiram com catástrofes locais, nacionais ou internacionais, concretamente:

  • 1939 – iníciou-se a Segunda Guerra Mundial
  • 1940 – Itália entrou na Segunda Guerra Mundial
  • 1943 – começou a ocupação nazi na Itália
  • 1973 – Nápoles sofreu uma epidemia de cólera
  • 1980 – o sismo de Irpinia sacudiu violentamente o sul da Itália

 

Não deixa de ser um sinal interessante que acontece a poucos meses do centenário das aparições de Fátima…

Basto 12/2016