O novo “spa” episcopal

spa episcopal

O caso das “rãs a ferver”, mais do que uma experiência científica, é uma conhecida alegoria alusiva ao comportamento humano. Estabelece que uma rã, quando confrontada com água a ferver, reage, afasta-se. Porém, se ela for introduzida num recipiente com água tépida, cuja temperatura vai aumentando lentamente até ao ponto de ebulição, a rã não reage, adapta-se gradualmente ao aumento de temperatura, ainda que se queime.

 

Nota da edição: esta gravura já tinha sido aqui publicada anteriormente, mas como agora se sente algum aroma a canja de rã também em terras lusitanas, vale a pena recuperá-la.

Basto 4/2017