Supremo Tribunal da Pensilvânia ordena divulgação de identidade de padres pederastas

Catedral.de.São.Paulo.Pittsburgh.jpg
Catedral de São Paulo em Pittsburgh, uma das oito dioceses da Pensilvânia.

O Supremo Tribunal da Pensilvânia (EUA) ordenou a divulgação nos próximos dias de um relatório do Grande Jurado (Grand Jury) relativo a mais de 300 “padres predadores” pertencentes a seis da oito dioceses daquele estado americano.

Espera-se que as conclusões, que excedem as 800 páginas, venham expor o abuso de crianças durante décadas nas mãos de padres nas dioceses de Harrisburg, Pittsburgh, Allentown, Scranton, Erie e Greensburg.

(in Penn Live, 23/07/2018 – tradução livre)

A diocese de Harrisburg resolveu entretanto divulgar o nome de 71 membros do clero e seminaristas acusados de pedofilia, dos quais 37 são ou eram sacerdotes locais, muitos deles já falecidos.

A notícia do Supremo Tribunal da Pensilvânia caiu como uma verdadeira bomba na comunidade católica dos EUA, cujo alcance é ainda difícil de prever. Três centenas de pessoas acusadas de pedofilia no clero católico de apenas um dos estados americanos é um número que ultrapassa a imaginação das mentes mais pessimistas.

Basto 8/2018