PETIÇÃO: Travem as redes homossexuais na Igreja Católica

petiçãoO problema das redes homossexuais na Igreja Católica provocou o sofrimento das suas vítimas e deu origem a uma crise na Igreja.

Os escândalos de abuso sexual reacenderam no verão passado depois da traição do cardeal McCarrick ter sido divulgada e depois da publicação do relatório do Grande Jurado da Pensilvânia. Posteriormente, o testemunho do Arcebispo Viganò atingiu o Vaticano como uma bomba.

Que mostraram todas essas revelações?

Mostram que o escândalo dos abusos sexuais na Igreja Católica é principalmente um escândalo de predação homossexual perpetrado pelo clero adulto (e por vezes sénior) contra rapazes pós-pubescentes.

Mais chocante ainda é o facto de alguns bispos terem protegido ou encoberto clérigos culpados, transferindo-os de paróquia para paróquia, acabando por deixar um rasto de devastação e lágrimas nos seus percursos destrutivos.

Diante de um colapso interno e reagindo ao criticismo dos média, o Papa Francisco convocou bispos, inclusive muitos cardeais, do mundo inteiro para irem a Roma entre os dias 21 e 24 de fevereiro para discutirem e tomarem medidas no que concerne à questão da proteção de menores.

Esta petição, num espírito de crítica filial, pede aos prelados de todo o mundo que tomem agora medidas drásticas para enfrentar com firmeza e erradicar as redes homossexuais que se enraizaram na Igreja.

Em poucas palavras, esta petição pede aos bispos medidas concretas para remediar esta criseque passem pela suspensão, vergonha pública e difamação de qualquer clérigo (sacerdote, bispo, cardeal, etc.) que seja culpado de uma ofensa ao Sexto Mandamento com um menor, de sodomia ou de adultério com um adulto.

Os promotores desta petição, que conta com um amplo apoio em todo o mundo católico, são a Pro Ecclesia (Suíça) e o LifeSifeNews (EUA/Canadá).

E os seguintes dignitários também assinaram a petição:

John Smeaton, CEO da The Society for the Protection of Unborn Children (Reino Unido)

Dr. Markus Büning (Alemanha)

Riccardo Cascioli, Editor da La Nuova Bussola Quotidiana (Itália)

Christian Spaemann, MD (Alemanha)

Pedro L. Llera (Espanha)

Prof. Anna Silvas (Austrália)

Prof. em. Hubert Windisch (Alemanha)

Gabriele Kuby (Alemanha)

Infovaticana (Espanha)

Aktion Kinder in Gefahr (DVCK e.V.) (Alemanha)

Donna F. Bethell, J.D. (EUA)

Peter A. Kwasniewski, PhD (EUA)

Agora, por favor, acrescente seu nome à lista de fiéis católicos e cristãos preocupados, que pedem aos bispos para fazerem o que está certo e travarem as redes homossexuais na Igreja Católica.

Obrigado por assinar e partilhar!

Fonte: lifepetitions.com (página acedida no dia 5 de janeiro de 2019)
Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Basto 02/2019

Combate aos abusos sexuais de clérigos nos EUA adiado por ordem do Vaticano

O Vaticano ordenou à Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos um adiamento na aprovação de novas medidas para combater o problema dos abusos sexuais de membros do clero. A última assembleia geral da conferência episcopal americana decorreu entre os dias 12 e 14 de novembro, em Baltimore, no Estado de Maryland.

adiamento.medidas.jpg
Revista America, 12/11/2018.

A incompreensível atitude do Vaticano não foi bem recebida por muitos católicos americanos, uma vez que o problema dos abusos sexuais por parte de elementos do clero atingiu nos EUA uma proporção escandalosa e preocupante, necessitando de uma intervenção urgente da hierarquia da Igreja.

Os bispos americanos deverão agora esperar até a conclusão do encontro especial do Papa Francisco com todos os presidentes das conferências episcopais do mundo, convocado para fevereiro de 2019, para tratar deste problema à escala global.

Basto 11/2018

Supremo Tribunal da Pensilvânia ordena divulgação de identidade de padres pederastas

Catedral.de.São.Paulo.Pittsburgh.jpg
Catedral de São Paulo em Pittsburgh, uma das oito dioceses da Pensilvânia.

O Supremo Tribunal da Pensilvânia (EUA) ordenou a divulgação nos próximos dias de um relatório do Grande Jurado (Grand Jury) relativo a mais de 300 “padres predadores” pertencentes a seis da oito dioceses daquele estado americano.

Espera-se que as conclusões, que excedem as 800 páginas, venham expor o abuso de crianças durante décadas nas mãos de padres nas dioceses de Harrisburg, Pittsburgh, Allentown, Scranton, Erie e Greensburg.

(in Penn Live, 23/07/2018 – tradução livre)

A diocese de Harrisburg resolveu entretanto divulgar o nome de 71 membros do clero e seminaristas acusados de pedofilia, dos quais 37 são ou eram sacerdotes locais, muitos deles já falecidos.

A notícia do Supremo Tribunal da Pensilvânia caiu como uma verdadeira bomba na comunidade católica dos EUA, cujo alcance é ainda difícil de prever. Três centenas de pessoas acusadas de pedofilia no clero católico de apenas um dos estados americanos é um número que ultrapassa a imaginação das mentes mais pessimistas.

Basto 8/2018