Intolerância religiosa comunista em Espanha

O Município de Aguilar de la Fontera, em Espanha, liderado por Carmen Flores, da extrema esquerda comunista andaluza, mandou derrubar a cruz existente à porta do convento local das Carmelitas Descalças. A Cruz dos Caídos, como era denominada, havia sido erigida, em 1939, em memória das vítimas da Guerra Civil Espanhola. Apesar de ter perdido a sua placa evocativa há várias décadas, a cruz era ainda vista pelos comunistas contemporâneos como um símbolo franquista.

A Associação Espanhola de Advogados Cristãos já recorreu às autoridades judiciais para denunciar este ato de cristofobia e atentado contra o património local.

Basto 02/2021