Patriarcado de Lisboa retira apelo ao voto nos partidos pró-vida

A página facebook do Patriarcado de Lisboa, depois de ter publicado uma tabela em forma de checklist, que comparava os partidos portugueses concorrentes ao Parlamento Europeu no que diz respeito a algumas posições ideológicas anti-cristãs, acabou por retirá-la, admitindo tratar-se de “uma imprudência”. A amizade com o mundo não pode ser posta em causa.

patriarcado.de.lisboa1.jpg
Página facebook do Patriarcado de Lisboa; in DN, 15/05/2019.

A tabela tinha sido elaborada pela Federação Portuguesa pela Vida para ajudar os eleitores a diferenciar melhor algumas posições ideológicas assumidas e defendidas pelas forças partidárias que se apresentam às eleições para o Parlamento Europeu. É uma tabela bastante objetiva e de fácil leitura, que em nada belisca os “dogmas” da democracia.

patriarcado.de.lisboa2
In Federação Portuguesa pela Vida, página acedida em 16/05/2019.

É a tal igreja “neutral” a que se referia Frédéric Martel…

Basto 05/2019

Papa Francisco escreve ao Patriarca de Lisboa

m.clemente.francisco.jpg

O Papa Francisco enviou uma carta ao Patriarca de Lisboa de agradecimento e encorajamento em relação à aplicação do polémico capítulo VIII da Exortação Apostólica Amoris laetitia.

carta

Amado Irmão Cardeal
D. Manuel José Macário do Nascimento Clemente
Patriarca de Lisboa

 

Venho agradecer-lhe o envio, por ocasião da Quaresma passada, da Nota que dirigiu aos sacerdotes do Patriarcado sobre a aplicação do capítulo VIII da Exortação Apostólica Amoris laetitia.

Esta sua aprofundada reflexão  encheu-me de alegria, porque reconheci nela o esforço do pastor e pai que, consciente do seu dever de acompanhar os fiéis, quis fazê-lo começando pelos seus presbíteros para poderem cumprir da melhor forma o ministério.

As situações da vida conjugal constituem, hoje, um dos campos onde tal acompanhamento é mais necessário e delicado. Por isso mesmo, quis chamar o Colégio Episcopal a um itinerário sinodal prolongado, que propiciasse – apesar das dificuldades inevitáveis – a maturação de orientações compartilhadas em benefício de todo o povo de Deus.

Assim, ao exprimir-lhe a minha gratidão, aproveito o ensejo para encorajar o Irmão Cardeal e seus colaboradores no ministério pastoral – in primis os sacerdotes – a prosseguirem, com sabedoria e paciência, no compromisso de acompanhar, discernir e integrar a fragilidade, que de variadas formas se manifesta nos cônjuges e nos seus vínculos. Um compromisso que, se por um lado requer de nós, pastores, não pouco esforço, por outro regenera-nos e santifica-nos, pois tudo é animado pela graça do Espírito Santo, que o Senhor Ressuscitado concedeu aos apóstolos para a remissão dos pecados e o solícito tratamento de todas as feridas.

Na alegria de partilhar consigo, amado Irmão, esta doce e exigente missão, asseguro a lembrança da sua pessoa na minha oração e, pedindo-lhe que reze por mim também, de coração o abençoo juntamente com o presbitério e toda a comunidade diocesana do Patriarcado de Lisboa. 

 

Vaticano, 26 de junho de 2018

Franciscus

 

(in sítio oficial do Patriarcado de Lisboa, 26/06/2018)

Esta carta causa alguma estranheza, tanta como a sua publicação na página oficial do Patriarcado de Lisboa, uma vez que parece um documento pessoal…

Nesta altura já ninguém tem dúvidas relativamente ao que o Santo Padre entende por “acompanhar, discernir e integrar a fragilidade”. Resta saber como D. Manuel Clemente irá interpretar este encorajamento do Bispo de Roma, tendo em conta que o Patriarca de Lisboa, apesar de tudo, tem constituído a maior força visível de atrito no episcopado português relativamente à novíssima pastoral de abertura da Sagrada Comunhão aos divorciados “recasados”.

Basto 7/2018

Patriarca de Lisboa aprova critérios dos bispos de Buenos Aires

refresco.americano3.jpg

D. Manuel Clemente confirmou hoje à Agência Ecclesia que aplicará os critérios dos bispos de Buenos Aires na interpretação do polémico capítulo VIII da Amoris Laetitia, uma vez que foram aprovados pelo Papa Francisco. Os referidos critérios possibilitam a abertura da Sagrada Comunhão a pessoas que vivem em adultério.

Nós aplicaremos, com certeza, as indicações que os bispos de Buenos Aires elaboraram e que o Papa autenticou”.

(D. Manuel Clemente, in Ecclesia, 19/01/2018)

EXCLUSIVO: Missa solene na Argentina para dar a comunhão a casais adúlterosin Adelante La Fé, 13/06/2017

Recorde-se que a pré-aprovação “pastoral” do “recasamento” em Portugal só não aconteceu em 2015 porque um conjunto de bispos, liderados precisamente pelo Patriarca de Lisboa, se opôs firmemente à abertura da Sagrada Comunhão a pessoas que vivem em adultério. Bispos que ainda acreditavam “naquilo que Jesus Cristo diz tão taxativamente acerca do matrimónio”.

Recordemos o Cardeal Patriarca em 2016:

Agora porém prevalece aquilo que Francisco e Walter Kasper “tão taxativamente” desejam para os “recasados”.

Basto 1/2018

Igreja Portuguesa disponível para integrar divorciados “recasados”

Mas terá de continuar a ser de acordo com a tradição evangélica e com o que Jesus Cristo ensinou sobre o Matrimónio.

“Estamos disponíveis para caminhar com o papa nesse sentido [da integração dos divorciados ‘recasados’], mas dentro da nossa tradição evangélica e daquilo que Jesus Cristo diz tão taxativamente acerca do matrimónio. […] Agora vamos ver até onde isto nos pode levar…”

(D. Manuel Clemente, patriarca de Lisboa, no final da 190ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa,  10/11/2016)

Fotof-tr
Palavras de Nª Sª de Fátima aos pastorinhos em 1917

A Igreja Portuguesa voltou a tremer mas continua de pé, é necessário que continuemos a orar para que o dogma da Fé sempre se conserve em Portugal.

 

Basto 11/2016

O Cardeal-Patriarca de Lisboa reafirma a sua interpretação da exortação apostólica

FestaFamlia_FB

Num momento em que grande parte da Igreja Católica viu na Amoris Laetitia uma abertura da comunhão eucarística às pessoas divorciadas ‘recasadas’, aceitando-a já com naturalidade, o líder da Igreja Portuguesa continua a interpretar exortação apostólica à luz do magistério tradicional da Igreja. O Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, repetiu ontem, na homilia proferida na Festa da Vida e da Família, em Santo Antão do Tojal, aquilo que já tinha dito há um mês atrás.

Consequentemente, o Papa Francisco dá-nos indicações claras e precisas para a vida da Igreja, na sua relação com as famílias. Na esteira dos seus predecessores, insiste na integração eclesial de todos os batizados, inclusive dos divorciados recasados, dizendo em relação a estes que «a sua participação pode exprimir-se em diferentes serviços eclesiais, sendo necessário, por isso, discernir quais das diferentes formas de exclusão atualmente praticadas em âmbito litúrgico, pastoral, educativo e institucional podem ser superadas» (AL, 299). Ainda que não inclua nesta série de exclusões a superar as de ordem sacramental, não dispensa estes irmãos e irmãs da ascensão para Deus, com tudo o que possa e deva ser.

(D. Manuel Clemente in sítio do Patriarcado de Lisboa, 08/05/2016)

392_16050886864686
www.patriarcado-lisboa.pt

O Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa mostrou, deste modo, todo o seu apoio à catequese do Papa Francisco sobre a família, no mesmo dia em que apresentou dois livros do Santo Padre publicados em Portugal, no entanto, a sua interpretação continua bem diferente daquela que fez recentemente o Vice-presidente.

Basto 5/2016