Autarquia de Córdoba processada por ofensas à Fé Cristã

A autarquia de Córdoba, governada por uma geringonça à espanhola, que inclui o Partido Socialista Obrero Español e a Izquierda Unida, foi agora processada judicialmente por ter dinamizado, entre os dias nove de maio e dois de junho, uma exposição de “arte” anti-cristã naquela cidade andaluza.

maculadas.jpg
Cartaz da exposição anti-cristã “Maculadas Sin Remedio” que teve lugar durante o Mês de Maria na cidade espanhola de Córdoba.

Entre vários outras manifestações de ódio à fé dos cristãos expressadas através da arte gráfica, a peça que gerou mais revolta na comunidade católica local foi um arranjo pornográfico elaborado a partir da tradicional representação da Imaculada Conceição de Maria.

 

Nossa Senhora é a padroeira da cidade de Córdoba.

Basto 07/2019

Cidade espanhola erige estátua em homenagem ao Diabo

A cidade de Segóvia, em Espanha, inaugurou, na semana passada, uma estátua em homenagem ao Diabo, a quem uma lenda local atribui a autoria do monumental aqueduto daquele burgo castelhano. De nada serviram as mais de 12 000 assinaturas de católicos que tentaram impedir que tal pudesse acontecer.

O Aqueduto de Segóvia ostenta uma estátua da Virgem Maria com o Menino Jesus.

Basto 01/2019

Espanha: popularidade papal está nas nuvens

Apesar dos assinaláveis vazios humanos testemunhados sucessivamente em Roma nos tempos atuais, os níveis de popularidade papal continuam a impressionar pelo mundo fora. Exemplo disso são os resultados de um recente estudo de opinião efetuado pela NC Report para a revista Vida Nueva, segundo o qual, 9 em cada 10 espanhóis vê em Francisco um Papa “inteligente”, “próximo” e “valente”.

vida.neuva.digital
in Vida Nueva,  09/03/2018

Entre outras conclusões apresentadas, destaca-se o seu elevado índice de aprovação papal não só entre católicos mas também entre ateus e crentes de outras religiões.

A publicação católica conclui ainda, dando aliás grande ênfase a este facto que faz o título do seu artigo, que a grande maioria dos espanhóis “iria para os copos com o Santo Padre”.

Basto 3/2018

Deus-elefante venerado em igreja espanhola

ganesh

Ganesh, uma divindade hindu com duas pernas, quatro braços e cabeça de elefante, foi transportado esta semana em procissão desde o Mar Mediterrâneo até ao interior do Santuário de Santa Maria de África, em Ceuta. Santa Maria de África é a padroeira do enclave espanhol no Norte de África.

Recorrendo a uma frase feita, “muitos pensam de modo diferente, sentem de modo diferente“… Estão enganados!

Basto 8/2017

Santuário de Nossa Senhora de Monserrate profanado na Catalunha

A “Arran”, uma organização juvenil de Esquerda independentista catalã, profanou o Santuário da Nossa Senhora de Monserrate, em Espanha, através da gravação e publicação de um vídeo obsceno para assinalar o “Dia da Visibilidade Lésbica” que, aparentemente, celebra-se a 26 de abril. A cena lésbica foi filmada mesmo em frente do altar da Virgem Negra de Monserrate e posteriormente editada com música e texto obscenos.

“Combatiremos la misoginia y la lesbofobia de instituciones como la Iglesia, defensora de una moral que nos esconde y nos tacha de desviadas, de enfermas y de querer destruir la familia”, continúa la nota de Arran, que justifica su acción de “profanación” ante la patrona catalana: “Profanaremos los símbolos [de la Iglesia] y todo lo que representan las veces que haga falta”.

(Comunicado da Arran in El Periódico, 26/04/2017)

O “Dia da Visibilidade Lésbica” recebeu demonstrações de apoio público, nas redes sociais, oriundas de diversas instituições espanholas, incluindo o da própria Polícia Nacional.

campanha.gay.espanha2.jpg
Mensagem publicada na conta de Twitter da Polícia Nacional de Espanha, no dia 26/04/2017

Em menos de um ano, este é já o segundo ataque perpetrado pelo ativismo gay contra a Virgem de Monserrate (La Moreneta), padroeira da Catalunha. No início do verão passado, o ataque foi feito através dos ultrajantes cartazes que chocaram a Espanha, envolvendo também a padroeira de Valência (La Geperudeta).

campanha.gay.espanha
Utilização ultrajante das imagens da Virgem dos Desamparados e da Nossa Senhora de Monserrate em propaganda ativista LGBT, em Espanha

Pobre Espanha!

Basto 4/2017

Pedidos de nulidade matrimonial disparam em Espanha

jornadas
Jornadas de Formação para acompanhar nos casos de nulidade matrimonial (cartaz) – Conferência Episcopal Espanhola

Os novos procedimentos pastorais de simplificação dos processos de nulidade matrimonial, introduzidos pelo Papa Francisco no Ano Jubilar da Misericórdia, foram bem acolhidos em Espanha. Não são conhecidas ainda estatísticas nacionais mas, a julgar por alguns dados entretanto publicados, percebe-se que a Igreja Espanhola regista um forte incremento na procura desta solução pastoral.

matrimonios-nulos
Papa Francisco, em 16 de junho de 2016

Por exemplo, a diocese da capital espanhola, durante este ano de 2016, recebeu já o dobro dos pedidos de nulidade matrimonial requeridos no ano transato.

Atualmente, o tribunal eclesiástico da diocese de Madrid analisa cerca de 400 novos casos, que se somam a quase duas centenas que estavam a ser estavam a ser instruídos no ano passado.

(in Religión Confidencial, 21/11/2016)

Na região das Astúrias, o cenário é idêntico, a diocese de Oviedo já registou, durante este ano, o dobro dos pedidos do ano passado, constatando também um grande aumento de pedidos de informação sobre a nulidade matrimonial.

As demandas de anulação matrimonial têm duplicado no Vicariato Judicial do Arcebispado de Oviedo, como resultado da reforma que as simplifica e que foi promulgada no ano passado pelo Papa Francisco.

(in La Nueva España, 24/04/2016)

No País Basco também se constata um crescente interesse pela nulidade matrimonial.

Como explica o vigário judicial da diocese de Gipuzkoa [diocese de San Sebastián], Sebas Uria, a partir da entrada em vigor alteração no direito canónico, têm-se multiplicado as consultas de fiéis que estão interessados no novo processo de nulidade. Durante este ano, são já trinta e, a este ritmo, espera-se que o ano termine com cerca de 40. Nada comparável com os 10 ou 15 dos anos anteriores.

(in El Diario Vasco, 16/10/2016)

Mais notícias deverão sair nos próximos meses sobre a adesão espanhola a esta solução pastoral mas, para já, e tendo em conta a evolução recente, as perspetivas são bastante promissoras…

“As pessoas animaram-se porque viram que as causas de invalidade são reais, acessíveis e não são algo reservado para pessoas selecionadas, mas aberto a todos.”

(Roberto Serres, Vice-reitor da Universidade Eclesiástica de São Dâmaso e Decano da Faculdade de Direito Canónico in Religión Confidencial, 21/11/2016)

A demanda crescente de fiéis desafia a hierarquia espanhola a aumentar a sua capacidade de resposta pastoral na área da verificação da validade matrimonial.

“Havendo mais casos, logicamente deve haver mais pessoas a trabalhar nos processos. Por esta razão, tem aumentado o número de juízes eclesiásticos, ministros do tribunal, notários, padres, defensores do vínculo e leigos nomeados pelo bispo para atender estes casos, assim como o número de advogados que manifestaram a sua disponibilidade.

(Roberto Serres, Vice-reitor da Universidade Eclesiástica de São Dâmaso e Decano da Faculdade de Direito Canónico in Religión Confidencial, 21/11/2016)

A nova nulidade exprés do Papa Francisco, conforme é frequentemente referida nos jornais espanhóis, foi o tema das Jornadas de Formação, realizadas na semana passada, promovidas pela Conferência Episcopal Espanhola e pela Faculdade de Direito da Universidade Eclesiástica de São Dâmaso, em parceria com o Tribunal Apostólico da Rota Romana.

A implementação da reforma da nulidade matrimonial foi cuidadosamente implementada na Igreja Católica de acordo com o calendário das celebrações marianas. O motu proprio do Santo Padre foi assinado a 15 de agosto de 2015, na Solenidade da Assunção da Virgem Santa Maria e continha indicações expressas para entrar em vigor a 8 de dezembro de 2016, na Solenidade da Imaculada Conceição. O Papa, talvez inspirado pela Virgem desatundos, de quem é o maior de todos os seus devotos, fez questão de associar o nome de Nossa Senhora a esta sua marcante inovação pastoral que, em menos de um ano, já produziu tantos frutos. Não deixam, contudo, de ser frutos um tanto ou quanto exóticos no pomar da Sancta Romana Catholica Ecclesia. São frutos que fazem lembrar a cerveja, quase toda a gente gosta, apesar do sabor amargo!

papa-francisco-praca-de-espanha
Papa Francisco contempla a estátua da Imaculada Conceição de Maria, na Praça de Espanha, em Roma, a 8 de dezembro de 2015

Rezemos para que a padroeira do Reino de Espanha guie nuestros hermanos durante este tempo de “desorientação diabólica”.

 

Basto 12/2016

A alegria do amor em Granada

Arquidiocese de Granada autoriza a comunhão a divorciados ‘recasados’, adotando os critérios dos bispos de Buenos Aires depois de estes terem obtido o assentimento e apreço do Papa Francisco.

bispo-de-granada
Periodista Digital em 18/10/2016

Hoje, através desta minha nota, assumo como próprios e “promulgo”, por este meio, os critérios dos Bispos da Região de Buenos Aires para todos os fiéis católicos da Diocese de Granada, e estabeleço também que, com a minha ajuda e todas as outras que sejam necessárias, seja a Delegação da Família e Vida a encarregar-se desta tarefa de divulgar e explicar tais critérios, assim com ajudar a colocá-los em prática.

(D. Javier Martínez, arcebispo de Granada, em 16/09/2016)

A apostasia generaliza-se dentro da Igreja Católica a partir das mais altas patentes eclesiásticas. Quem poderá salvar-se?

Basto 10/2016

A Alegria do Amor em Espanha

No passado dia 14 de abril, a Conferência Episcopal Espanhola apresentou publicamente a exortação apostólica Amoris Laetitia. O painel de apresentadores era composto por seis grandes personalidades, representantes da hierarquia religiosa espanhola e também académicos, liderados por D. Carlos Osoro Sierra, arcebispo de Madrid e vice-presidente da Conferência Episcopal Espanhola.

No que concerne ao tema quente da exortação apostólica, a comunhão a divorciados “recasados”, é possível deduzir, partir das declarações dos presentes, uma aceitação natural dos avanços heréticos da hermenêutica kasperiana. Este facto confirma-se na resposta à primeira questão levantada pelos jornalistas (a partir do minuto 54:58) que foi, justamente, sobre a “ambiguidade” do texto que poderia permitir o seguinte paradoxo:

Pode acontecer que numa paróquia se dá a comunhão a um divorciado “recasado” […] enquanto na paróquia ou diocese ao lado não, […] como se vai resolver esta situação no dia-a-dia?

A questão criou algum desconforto nos presentes – pelo menos aparentemente – cuja reação fez lembrar uma batata quente, de mão em mão, que acabaria inevitavelmente no fim da mesa. Coube ao jesuita Pablo Guerrero, professor de Teologia Pastoral na Universidade Pontifícia de Comillas, apresentar uma resposta, a qual não foi contestada pelos restantes elementos que compunham o painel:

Isso é como sugerir que seria em função do critério do padre e não é. O Papa, num claro exercício da sinodalidade e comunhão com todo o corpo de bispos da Igreja, o que propõe ao pastor de cada diocese é formar os seus sacerdotes num conjunto de critérios comuns para evitar tal arbitrariedade. Nenhum sacerdote se deve sentir dono da Palavra de Deus .

Ou seja, depreende-se das suas palavras, que sim, só faltaria definir os critérios de elegibilidade dos divorciados “recasados” que poderão aceder à comunhão.

Num registo diferente, ainda esta semana, também em Espanha, no Seminário Metropolitano de Oviedo, o Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé contestou categoricamente essa possibilidade. O Cardeal Gerhard Müller reafirmou, mais uma vez, o magistério tradicional da Igreja neste domínio, fazendo questão de diferenciar o que é “excomunhão canónica” e “excomunhão sacramental” para refutar a tese kasperiana desta forma:

Eles [os divorciados “recasados”] não estão excomungados canonicamente, no entanto não poderão comungar sem antes regularizarem a sua vida e receberem o sacramento da Penitência.

[Tem havido alguma confusão, no entanto] a Igreja não é dona da Graça, apenas administra os sacramentos, estando vinculada e obrigada a caminhar nessa linha. A Igreja não tem autoridade para alterar este caminho dos sacramentos.

A “nova pastoral da família” promovida pelo Papa Francisco começou a gerar controvérsia em Espanha ainda antes da publicação da exortação apostólica, por exemplo,  nas dioceses de Alcalá y Getafe.

Já aqui se falou antes no trabalho ingrato da brigada de limpeza da Amoris Laetitia, cujas esfregonas se gastam intensivamente desde o dia 8 de abril, mas vale ainda a pena ouvir os sinceros esforços do excelente teólogo Pe. Santiago Martin na Magnificat TV.

 

Basto 5/2016