Vaticano ordena o afastamento de dois bispos legítimos na China para dar lugar a membros do regime comunista

china

De acordo com a publicação Asia News, dois bispos da Igreja Católica clandestina da China, a única legítima e reconhecida pela Santa Sé, receberam ordens do Vaticano para se afastarem e cederem o lugar a dois supostos “bispos” da Associação Católica Patriótica Chinesa (organismo do regime comunista chinês).

O bispo D. Peter Zhuang, de Shantou, com 88 anos de idade, terá recebido uma carta datada de 26 de outubro pedindo-lhe que se retirasse para dar lugar a Huang Bingzhang, apoiado pelo governo chinês. Huang havia sido excomungado em 2011, durante o pontificado de Bento XVI, depois de ter sido consagrado “bispo” sem o necessário mandato papal, uma infração que resulta em excomunhão automática. Segundo o Catholic Herald, Huang “é também membro do Congresso Nacional do Povo, o parlamento chinês”, ou seja, um político comunista.

Ao outro bispo católico, D. Joseph Guo Xijin, de Mindong, foi-lhe dito, de acordo com o Catholic Herald, para “aceitar a subordinação ao bispo coadjutor apoiado pelo governo Vincent Zhan Silu”, na verdade, o Vaticano exigiu a um bispo católico legítimo que se subordine a um agente do regime comunista chinês.

Basto 1/2018