Duplicam os católicos que querem anular o casamento em Portugal

Desde que entrou em vigor, no dia 8 de dezembro de 2015, na solenidade da Imaculada Conceição de Maria, o chamado simplex ou “via verde” do Papa Francisco para a nulidade matrimonial, são cada vez mais os católicos que procuram esta solução pastoral para os seus problemas conjugais. Portugal não é exceção, como temos vindo aqui a demonstrar

jn.17.01.2018
Capa do JN (edição impressa) de 17 de janeiro de 2018

 

jn.17.01.2018.2jpg
JN (edição impressa) de 17 de janeiro de 2018, página 6.

 

Mais do que duplicaram os pedidos de nulidade matrimonial apresentados nos tribunais eclesiásticos portugueses desde que, há dois anos, o Papa Francisco anunciou a criação de uma espécie de “via verde” para os pedidos de nulidade do matrimónio. Os números exatos andam entre os 14 tribunais eclesiásticos portugueses e a Santa Sé, mas, em 2016, terão sido 200 os processos iniciados de norte a sul do país. Mais do dobro dos efetuados em 2015. Em 2017, quase no final do ano, somados os pedidos que deram entrada nos tribunais, o número está muito próximo dos 250.

(in Jornal de Notícias, 17/01/2018)

Será que este este fenómeno revela a existência de ainda algum preconceito contra o divórcio e o chamado “recasamento”? Afinal de contas, as relações adúlteras deixaram de ser propriamente pecaminosas para grande parte dos ministros católicos, os quais, “sem alterarem a doutrina”, dão hoje plena aprovação “pastoral” ao adultério prolongado quando os seus praticantes, em consciência e após um processo de “discernimento”, assim o desejam.

Talvez isto resulte apenas da esperança ou da vontade de fazer parte da tal “grande maioria” a que se referia o Santo Padre!

Basto 1/2018

Pedidos de nulidade matrimonial disparam na diocese da Guarda

A diocese da Guarda registou um aumento exponencial nos pedidos de nulidade matrimonial durante o ano passado, de acordo o sr. Pe. Carlos Helena, atual vigário judicial. O número de pedidos aumentou de uma média de 2 a 3 por ano para um total de 13 no ano passado. Os números agora apresentados durante Jornadas de Formação do Clero da Diocese da Guarda, que decorreram no Seminário da Guarda a 2 e 3 de fevereiro, corroboram os dados publicados pelo jornal Público quando ainda faltava mais de um mês para o final do ano.

diocese-da-guarda
Diocese da Guarda

[O Pe. Carlos Helena] acrescentou que “há mais processos com possibilidades de serem aceites, inclusive como processos breves”. O padre Carlos Manuel Helena explicou que “temos bastante gente a recorrer ao Tribunal Eclesiástico”, dizendo que “a publicidade que a televisão fez”, sobre a facilidade na introdução dos processos “produziu efeitos”.

(in sítio oficial da Diocese da Guarda)

diocese-da-guarda2
Agência Ecclesia, 10/02/2017

O motu proprio do Papa Francisco Mitis Iudex Dominus Iesus, que simplificou os processos e universalizou o acesso aos pedidos de nulidade matrimonial, entrou em vigor a 8 de dezembro de 2015, no dia da Imaculada Conceição de Maria. Desde então, disparou o número de católicos que procuram esta solução pastoral para os seus casamentos.

Basto 2/2017