Frases que nos fazem pensar: Jerónimo de Sousa

“Não há nenhuma maioria parlamentar, nem nenhum governo de esquerda ou de maioria de esquerda, nem tão pouco há governo apoiado pela CDU.”

jerónimo.de.sousa.jpg

 

(Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral do Partido Comunista Português e deputado na Assembleia da República eleito pela CDU)

Contexto da frase:

Discurso de Jerónimo de Sousa aos seus camaradas, no comício da CDU do dia 18 de agosto de 2019, em Alter do Chão, num momento em que se aproxima o termo do mandato do governo de António Costa, quatro anos depois de o Partido Socialista ter sido derrotado nas eleições legislativas de 2015 e da sua governação ter sido viabilizada por uma maioria parlamentar formada pelo Partido Socialista, Bloco de Esquerda, Partido Comunista Português e Partido Ecologista Os Verdes; in RTP, 18/08/2019.

O discurso foi proferido num momento em que os comunistas portugueses ainda refletem sobre o mau resultado obtido nas eleições para o Parlamento Europeu, em que as mais fortes iniciativas de contestação social em Portugal têm sido convocadas por estruturas sindicais desalinhadas com o PCP e em que se assiste ao surgimento de dezenas de novos sindicatos fora da área de influência dos comunistas.

Basto 08/2019

Despenalização da eutanásia chumbada no Parlamento por uma margem mínima

Num processo atípico de decisão política, em que o líder do maior partido “de Direita” se posicionou ao lado dos que defendem a legalização da eutanásia e o Partido Comunista Português foi determinante na defesa da vida, tendo por isso recebido elogios da Igreja, a despenalização da eutanásia acabou chumbada por apenas cinco votos.

O PAN, partido dos animais e da natureza, votou mais uma vez a favor de uma lei contra a natureza (nas suas dimensões mais básicas). Ninguém ficaria no entanto surpreendido se o mesmo partido, ainda esta semana, apresentasse um diploma na Assembleia da República com o objetivo de criminalizar a confeção e o consumo de arroz de cabidela para defender a dignidade das galinhas.

O Partido Ecologista Os Verdes voltou a rebelar-se contra as leis da natureza e promete voltar à carga até conseguir impor a sua verdade.

Que tempo absurdo!

Basto 5/2018