São necessárias mais orações pelos bispos de Portugal

rainha de Portugal

Os bispos portugueses continuam a necessitar das orações de todos nós. Durante esta semana, se possível ainda hoje, devemos fazer uma visita ao Santíssimo Sacramento para orar e confirmar, mais uma vez, o nosso total empenho na conservação do dogma da Fé em Portugal, o qual conduzirá o mundo ao triunfo do Imaculado Coração de Maria.

Durante esta semana, os bispos portugueses terão sido, muito provavelmente, submetidos a mais uma “suave apresentação de produtos” pastorais inovadores, durante as jornadas que decorreram em Fátima entre 19 a 21 de junho.

jornadas pastorais2.jpg
in Rádio Renascença, 19/06/2017

O tema das jornadas não podia estar mais na moda: ‘Formação da consciência e discernimento’, à luz das orientações do Papa para a família. E como toda a gente já sabe perfeitamente quais são as orientações do Papa para a família, é bastante provável que estas jornadas tenham sido orientadas no sentido da adaptação do clero português à aprovação “pastoral” do adultério e permissão de confissões e comunhões sacrílegas. As inovações radicais pretendidas para a Igreja Portuguesaestão em vigor em vários países e dioceses do mundo inteiro, ainda que se encontrem em completa contradição com a doutrina da Igreja, conforme atestou o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.

jornadas pastorais
in Agência Ecclesia, 19/06/2017

A popularidade da ideologia da “nova misericórdia” é uma forte ameaça à doutrina cristã sobre o matrimónio e da família, apresentando-se, para muitos, como uma alternativa inquestionável.

As figuras de cartaz não trazem surpresas, infelizmente. Depois dos ensinamentos metodológicos de D. Lluís Sistach, no final do ano passado, os bispos portugueses tiveram agora a oportunidade de ouvir D. Carlos Osoro, o arcebispo de Madrid que foi nomeado cardeal pelo Papa Francisco I em outubro do ano passado. O outro conferencista convidado é o jesuíta argentino Humberto Miguel Yanez Molina, um académico da área da teologia moral e amigo do Santo Padre.

como aplicar amoris
Apresentação do manual “Como aplicar Amoris Laetitia do cardeal Martínez Sistach, em Madrid, in 13TV (canal da Conferência Episcopal Espanhola), 15/02/2017

Esperemos que os bispos portugueses continuem fiéis Jesus Cristo e não caiam na tentação de entrar no novo “spa” episcopal. Nossa Senhora os guarde.

Basto 6/2017

O mundo olha hoje para Portugal

bandeira de Portugal

Neste dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que é também o dia do Anjo Custódio da nossa nação, o Anjo de Portugal, o mundo continua a olhar para nós…

Há 100 anos, Nossa Senhora confiou a Portugal a missão de conservar para sempre a Fé e o mundo sabe disso.

Fotof-tr

Hoje, durante a atual crise de Fé que atravessa a cristandade, afetando principalmente os mais altos representantes da Igreja Católica, a humanidade olha ansiosamente para Portugal, à espera de um sinal claro da Terra de Santa Maria. O mundo necessita desse sinal anunciado em Fátima.

Basto 6/2017

É a alegria do amor – estão a ver?

A Igreja Portuguesa está ainda em período adaptação à nova doutrina do Papa Francisco sobre a família e o matrimónio. O vídeo abaixo, publicado em novembro do ano passado, tem como protagonista o sr. Pe. Carlos Carneiro SJ e tem a chancela da Arquidiocese de Braga.

Convém lembrar que, se o jornal Sol não se enganou, em 2015, o arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, era um dos principais opositores à aprovação “pastoral” do adultério. Esperemos que continue fiel ao seu ministério.

Algumas frases a respeito da Amoris Laetitia que merecem destaque:

(Estas citações não dispensam a visualização do vídeo onde estão contextualizadas)

“Quem vier ler este texto – estão a ver – apenas de um ponto de vista técnico, de facto fica pasmado e fica mais pasmado quando o próprio Papa diz que há questões, inclusive de discussão teológica e doutrinal, que não se respondem e que não se resolvem apenas por uma declaração, digamos assim, magisterial – estão a ver – dele ou dos bispos da Igreja Católica.”

“O Papa não pode sufocar a missão – estão a ver – dos outros seus irmãos bispos.”

“E porque é que é a “alegria do amor” e não aparece no título a “alegria da família”? Porque, ao contrário do que muitos têm dito, este texto não é uma exortação apostólica sobre a família, é um texto que é sobre o amor, é sobre o amor mais do que na família, mas a família é um dos lugares privilegiados onde o amor se realiza, onde o amor acontece, onde o amor, se concretiza.”

“…e quando fala nas realidades – estão a ver – que tocam situações muito delicadas e muito particulares de realidades amorosas como, por exemplo, são – estão a ver – recasamentos ou segundos casamentos pelo civil, quando fala, por exemplo, das pessoas com uma orientação homossexual e que querem ou não querem casar, ou como é que os pais católicos – imaginem – educam um filho com esta orientação e estas coisas todas [?], o que me espanta, e é muito importante saber, é a aprovação destes aspetos. Quer dizer, a mim, eu nunca pensei que estes pontos fossem tão avaliados positivamente…

“Por exemplo, imaginem os namorados que vivem juntos antes de casar, e muitas outras situações idênticas… Está ali? Está sim senhor… E então que é que se diz? Está bem ou está mal? Não é está bem ou está mal, o que se diz é que há um caminho…”

“Mas para mim, o mais grave de tudo não era poder comungar ou não poder comungar, é nunca mais poder ser absolvido [!], que a maioria das pessoas nem sabe disto.”

“…isto é uma novidade para o nosso mundo e para a nossa cultura porque – estão a ver – quer dizer, a geração que me precedeu, a geração dos meus pais, dos meus avós era uma geração para quem a regra, a norma, tinha outro peso…”

(Pe. Carlos Carneiro SJ in canal da Arquidiocese de Braga no youtube)

A realização deste tipo de tertúlias, bem como a sua publicação por parte de uma arquidiocese historicamente tão importante como é a de Braga, comprova aquilo que o cardeal D. Vicenzo Paglia, presidente do Pontifício Conselho para a Família, dizia ontem à Radio Vaticano: a Amoris Laetitia está a ser acolhida pelos fiéis com entusiasmo.

paglia
D. Vicenzo Paglia no mural que encomendou para a sua catedral

 

Há uma grandíssima recepção por parte do povo de Deus, em todos os lugares no mundo. É um texto que tem sido acolhido com entusiasmo, no qual as pessoas veem grande simpatia pelas famílias, é também um texto de grande esperança. Passado um ano, os frutos são notáveis, mas obviamente a complexidade das situações exigirá ainda aplicações mais ligadas aos vários contextos culturais.

(D. Paglia in Radio Vaticano, 18/04/2017)

Muito entusiasmo, de facto…

Basto 4/2017

Alerta: a nova misericórdia ameaça Portugal

Um ano depois do aparecimento da Amoris Laetitia e da sua proliferação a nível mundial, não há ainda registos de casos confirmados desta perigosa prática pastoral em Portugal. Contudo, nos últimos dias, a imprensa católica portuguesa tem mostrado alguns indícios que fazem temer um surto de misericórdia atípica com a chegada da primavera e por causa da viagem do Papa Francisco a Fátima.

Neste momento, uma das regiões mais ameaçadas é a Península de Setúbal, por diversas razões:

Possivelmente, o risco português será maior em algumas regiões do que em outras, mas seria prudente se país tivesse um plano de contingência nacional para responder preventivamente ao risco do avanço da nova misericórdia. O grande problema é que os leigos, aqueles têm olhos e veem, estão à espera dos seus sacerdotes, que por sua vez estão à espera dos seus bispos, e estes do(s) seu(s) Papa(s). Até lá, a consagração ao Imaculado Coração de Maria e a prática da devoção dos Cinco Primeiros Sábados podem ser um eficaz remédio profilático contra o perigo tentador da nova misericórdia. No caso da Península de Setúbal, há ainda a Senhora da Atalaia.

Em caso de emergência, fujam para a Serra da Arrábida…

Basto 4/2017

Antonio Spadaro no Algarve

O sr. Pe. Antonio Spadaro, homem forte da máquina de informação do Vaticano, veio ao Algarve dar um contributo para a “atualização” do clero das dioceses do Sul. Este jesuíta italiano, próximo do Papa Francisco, é um dos grandes promotores das inovações teológicas radicais promovidas pelo atual pontífice.

Não esconde o seu apreço pela nova misericórdia e critica quem, de alguma forma, a põe em causa, recorrendo aos mais absurdos argumentos. No caso dos “dubia” colocados pelos quatro cardeais, chegou até a recorrer à matemática para defender a abertura da Sagrada Comunhão a adúlteros nos termos propostos pelo Santo Padre.

spadaro1
Twitter de Antonio Spadaro SJ

 

Curiosamente, e provável que ele não saiba, há quem recorra precisamente a esse mesmo argumento matemático para se referir ao que “tem a ver” com o diabo… Mas ele insiste, e até vai mais longe quando nos lembra – e nisto tem razão – que o Papa já respondera aos “dubia” na carta enviada aos bispos argentinos, remetendo-nos assim para a respetiva leitura.

spadaro2
Twitter de Antonio Spadaro SJ

Agora deslocou-se a Portugal, à “periferia” da Europa, onde aproveitou para, de algum modo, começar a preparar a vinda do Papa Francisco em maio com a sua, já conhecida, “terapia”.

spadaro3
Twitter de Antonio Spadaro SJ

O sr. Pe. Spadaro deve estar a adorar o sol de inverno na Praia da Rocha, dadas as fotos e comentários que tem publicado sobre a sua passagem por Portugal.

 

Basto 1/2017

Dia nacional de oração pela conservação do dogma da Fé em Portugal

castelo-de-silves
Castelo de Silves

Este miserável blogue tem registado um volume de visualizações anormalmente elevado desde a publicação do último artigo onde se noticiava que os bispos portugueses, durante esta semana, refletem sobre a exortação apostólica pós-sinodal Amoris Laetitia do Papa Francisco. Este facto irrelevante ajuda a comprovar a importância que a posição da Igreja portuguesa terá neste momento de crise.

Partindo da ideia de um amigo, este blogue pede a todos os seus leitores, colaboradores e amigos, em Portugal, no Brasil e no mundo em geral para rezarem hoje o terço a Nossa Senhora do Rosário de Fátima com a intenção de que o dogma da fé sempre se conserve em Portugal. E se possível façamos uma visita ao Santíssimo Sacramento para oferecer essa intenção.

sacrario-da-se-do-porto
Sacrário da Sé do Porto

Mais cedo ou mais tarde, o Imaculado Coração de Maria acabará por triunfar. Se for mais cedo, melhor será para todos nós.

Basto 11/2016