Colapsa o telhado da igreja de Coccopalmerio, o cardeal que valoriza os “aspectos positivos” das uniões homossexuais

A cobertura da Igreja de São José dos Carpinteiros, em Roma, colapsou quase por completo. Isto aconteceu por volta das 14 horas do passado dia 30 de agosto e por pouco não foi uma tragédia, dada a normal afluência de turistas e peregrinos.

Esta é uma igreja titular da cidade de Roma, o seu cardeal-diácono é D. Francesco Coccopalmerio, presidente emérito do Pontifício Conselho para os Textos Legislativos. Coccopalmerio foi uma das vozes mais heterodoxas durante a “tempestade” do chamado Sínodo da Família, tornando-se conhecido pela sua abertura pastoral à prática homossexual na qual consegue encontrar e valorizar “aspectos positivos”.

Temos de ter em consideração ambos, a doutrina e as pessoas. Consideremos um tópico muito problemático, extremamente atual: o tópico dos casais homossexuais. Se encontro um casal homossexual, percebo imediatamente que o seu relacionamento é ilícito: é o que a doutrina diz e reafirmo isso com absoluta certeza. No entanto, se eu bloquear na doutrina, deixo de ver as pessoas. Mas se eu perceber que duas pessoas se amam realmente, dizem que praticam a caridade para com os necessitados… então eu também posso dizer que, apesar da sua relação ser ilícita, surgem elementos positivos nessas duas pessoas. Em vez de fechar meus olhos a esses aspectos positivos, eu prefiro valorizá-los. É uma questão de ser objetivo e reconhecer objetivamente os pontos positivos num determinado relacionamento que é, em si mesmo, ilícito.

(Cardeal D. Francesco Coccopalmerio, in Inside the Vatican, 01/11/2014 – tradução livre)

São José dos Carpinteiros, como certamente saberá o cardeal, é também o castíssimo esposo da Mãe de Deus, o pai adotivo de Jesus e o sustentáculo das famílias.

As razões que fizeram desabar o teto da igreja lá acabarão depois por ser apuradas pelos engenheiros…

Basto 9/2018

Nova pastoral na Basílica de São Paulo Extramuros

Apesar das luzes néon, da simbologia hippie presente no vestuário, dos ritmos, das palmas e do ambiente festivaleiro, as imagens acima foram captadas há dias na Basílica Papal de São Paulo Extramuros, em Roma, no âmbito da 12ª Peregrinação Internacional de Acólitos a Roma. Este evento é coordenado pela associação Coetus Internationalis Ministrantium e o tema deste ano era: “Procura a Paz e segue os seus passos“.

Basto 8/2018

Os “vírus do nosso tempo”

Na Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, na tradicional deslocação à Praça de Espanha, o Santo Padre pediu a Nossa Senhora para que ajude Roma “a desenvolver os anticorpos contra alguns vírus dos nossos tempos”, nomeadamente:

  • a indiferença que diz: “Não me interessa”;
  • a má educação cívica que despreza o bem comum;
  • o medo do diferente e do estrangeiro;
  • o conformismo disfarçado de transgressão;
  • a hipocrisia de acusar os outros, enquanto se fazem as mesmas coisas;
  • a resignação à degradação ambiental e ética;
  • a exploração de muitos homens e mulheres.

(Papa Francisco, 8 de dezembro de 2017, in Radio Vaticano)

Pediu a Maria que nos ajude “a rejeitar estes e outros vírus com os anticorpos que vêm do Evangelho”.

Basto 12/2017