Pe. Rosica e a sua visão sacrílega da Sagrada Eucaristia

O Church Militant recuperou há dias um tesourinho deprimente, de 2015, do Pe. Thomas Rosica, um profundo admirador do “advento” do Papa Francisco. Isto ajuda a perceber o que foi o “Sínodo da Família” e as consequências que dele resultaram.

Simplesmente horroroso. Que Deus lhe perdoe.

Basto 9/2018

Frases que nos fazem pensar: Pe. Thomas Rosica

fr.rosica“O Papa Francisco rompe com as tradições católicas quando quer porque ele é «livre de apegos desordenados». A nossa Igreja entrou numa nova fase: com o advento deste primeiro papa jesuíta, ela é abertamente governada por um indivíduo e não apenas pela autoridade das Escrituras ou mesmo pelos seus próprios ditames da tradição mais as Escrituras.”

(Pe. Thomas Rosica CSB, CEO da Salt and Light Catholic Media Foundation, assessor de língua inglesa na Sala de Imprensa da Santa Sé, autor, conferencista e comentador)

Contexto da frase:

Artigo assinado pelo Pe. Thomas Rosica e intitulado “The Ignatian Qualities of the Petrine Ministry of Pope Francis”; in Salt + Light Media, 31/07/2018 – tradução livre.

Basto 8/2018

Cá vamos nós outra vez: Atualização sobre o falso sínodo III

Por Christopher A. Ferrara

À medida que o Sínodo de 2018 da “Juventude, Fé e Discernimento Vocacional” se aproxima, todos os sinais indicam outro desastre iminente para a Igreja. Na sua “Carta aos Jovens” ligada ao Sínodo, o Papa Francisco declara: “Também a Igreja deseja colocar-se à escuta da vossa voz, da vossa sensibilidade, da vossa fé; até das vossas dúvidas e das vossas críticas. Fazei ouvir o vosso grito, deixai-o ressoar nas comunidades e fazei-o chegar aos pastores.”

Precisamente o que a Igreja precisa no meio da tempestade que o Papa Francisco já desencadeou: um fórum no qual os “jovens” levantam as suas dúvidas e críticas sobre a Fé e a Igreja escuta atentamente os inteiros disparates das suas queixas. O contexto perfeito para o próximo “desenvolvimento revolucionário” – ou seja, a total reversão – do ensinamento católico, provavelmente na área da moral sexual, incluindo a coabitação e a “orientação sexual”. Isso estaria em linha com os falsos Sínodos I e II, que foram meros veículos para o lançamento da Amoris Laetitia, que fraturou a bimilenar disciplina eucarística da Igreja que protege a indissolubilidade do casamento e a santidade do Santíssimo Sacramento.

Outro sinal de desastre iminente é o “Fórum da Juventude” recentemente realizado no Canadá (que será transmitido na televisão em 22 de outubro), onde o Papa Francisco interveio à distância. Os presidentes não eram outros senão estes dois –

farrell rosica2.jpg

– O padre Thomas Rosica e o bispo Kevin Farrell, ambos “simpatizantes pro-gay” defensores de uma emergente “Igreja Gay, incluindo “paróquias gay” e “sacerdotes gay“.

Na sua mensagem dirigida ao fórum, o Papa Francisco pediu aos “jovens” de todo o Canadá para que sejam “tecedores de relacionamentos marcados pela confiança, pela partilha, pela abertura até aos confins do mundo. Não levantem paredes de divisão: não levantem paredes de divisão! Construam pontes, como esta extraordinária que estão a atravessar em espírito e que liga as margens de dois oceanos. Vós estais a experimentar um momento de intensa preparação para o próximo Sínodo – o Sínodo dos Bispos – que vos diz respeito de um modo particular, assim como envolve toda a comunidade cristã.”

Abertura! Sem paredes de divisão! Construir pontes! Como a “ponte” que o Padre James Martin SJ propõe construir para a “comunidade LGBT”, talvez? Não houve referência, é claro, à castidade entre os “jovens” não casados ​​ou à fidelidade aos ensinamentos da Igreja sobre casamento, procriação e moral sexual em geral. Houve, no entanto, uma referência a “um momento de intensa preparação para o próximo Sínodo”, o que implica o mesmo tipo de semi-gnóstico pseudo-misticismo que acompanhou os dois primeiros falsos sínodos em direção a um resultado predeterminado, que passou por uma inspiração pelo “Espírito” e uma aparência de “surpresas de Deus”.

O que quer que seja que os manipuladores do próximo falso sínodo tenham em mente – a mesma equipa que manipulou os dois primeiros -, podemos ter certeza disto: não será bom para a Igreja, mas será antes a próxima fase da “batalha final” sobre o casamento e a família, a respeito da qual Irmã Lúcia advertiu o falecido Cardeal Caffarra à luz do Terceiro Segredo de Fátima.

Lembrem-se, no entanto, de que há esperança nesses desenvolvimentos, pois eles indicam que nos aproximamos do ponto em que uma inversão dramática terá de ocorrer, mesmo que seja acompanhada por graves consequências para um mundo em rebelião contra o Cristo Rei e a Lei do Evangelho.

A edição original deste texto foi publicada pelo Fatima Center a 20 de outubro de 2017. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do texto acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. Sempre que possível, deve ser lido na sua edição original.

Basto 10/2017