Santo Padre esclarece o seu apoio ao reconhecimento civil das uniões homossexuais

No seguimento de informações anteriormente veiculadas pela imprensa, na viagem de regresso da Eslováquia, no dia 15 de setembro, os jornalistas questionaram Francisco sobre o seu alegado apoio às uniões civis homossexuais. Em resposta, Francisco confessou que apoia, de facto, o reconhecimento legal desses relacionamentos, embora num contexto alargado em que se incluem outros tipos de relacionamentos não necessariamente homossexuais.

Deste modo, o Papa evita, mais uma vez, condenar objetivamente o homossexualismo, como uma praga social e veneno para as almas, e até confessa que apoia, de algum modo, o seu reconhecimento social e jurídico.

Basto 09/2021

“Uma grande maioria dos matrimónios sacramentais são nulos!”, afirma o Santo Padre

Durante a passada semana, no dia 16 de junho, na abertura da Conferência Pastoral da Diocese de Roma, o Santo Padre responde, assim, a uma questão colocada por um leigo:

Uma grande maioria dos nossos matrimónios sacramentais são nulos.

(Papa Francisco, 16/06/2016)

E os batismos, também serão inválidos? É que, na sua esmagadora maioria, os cristãos não estavam propriamente conscientes do significado desse sacramento no momento em que o receberam.

Logo de seguida, o Santo Padre elogia as uniões civis pré-matrimoniais, uma prática que, segundo conta, conheceu de perto na Argentina.

Contudo digo-vos que vi deveras tanta fidelidade nestas convivências, tanta fidelidade; e estou certo de que este é um matrimónio verdadeiro, têm a graça do matrimónio, precisamente pela sua fidelidade.

(Papa Francisco, 16/06/2016)

É difícil entender esta abordagem papal à luz do infalível magistério da Igreja, do mesmo modo que é completamente impossível enquadrá-la na mensagem de Fátima:

jacinta marto
Beata Jacinta Marto (1910-1920)

 “Muitos matrimónios não são bons, não agradam a Nosso Senhor e não são de Deus.”

(Jacinta à Madre Godinho, durante a fase terminal da sua vida, no Orfanato de Nª Sª dos Milagres, em Lisboa)

Acreditando nas informações da Madre Godinho, a Jacinta não podia estar a condenar o Matrimónio cristão.

Mas por quem combate afinal o Santo Padre nesta “batalha final entre Deus e Satanás”?

Basto 6/2016

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar