Combate aos abusos sexuais de clérigos nos EUA adiado por ordem do Vaticano

O Vaticano ordenou à Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos um adiamento na aprovação de novas medidas para combater o problema dos abusos sexuais de membros do clero. A última assembleia geral da conferência episcopal americana decorreu entre os dias 12 e 14 de novembro, em Baltimore, no Estado de Maryland.

adiamento.medidas.jpg
Revista America, 12/11/2018.

A incompreensível atitude do Vaticano não foi bem recebida por muitos católicos americanos, uma vez que o problema dos abusos sexuais por parte de elementos do clero atingiu nos EUA uma proporção escandalosa e preocupante, necessitando de uma intervenção urgente da hierarquia da Igreja.

Os bispos americanos deverão agora esperar até a conclusão do encontro especial do Papa Francisco com todos os presidentes das conferências episcopais do mundo, convocado para fevereiro de 2019, para tratar deste problema à escala global.

Basto 11/2018

James Martin SJ: O Papa Franciso nomeia bispos e cardeais pró-gay para mudar a Igreja Católica

jm.jpg

Acabaram-se as ambiguidades, os misericordistas próximos do Santo Padre falam agora de forma aberta e desinibida das estratégias políticas de Francisco para mudar a Igreja de Cristo.

Durante o seu discurso no encontro Ignatian Family Teach-in for Justice 2018, no início deste mês de novembro, em Washington DC, o Pe. James Martin SJ, editor-geral da revista America, disse aos estudantes que, com o Papa Francisco, “as coisas estão a mudar” na Igreja Católica no que concerne à homossexualidade. O sacerdote consultor do Vaticano e famoso propagandista do lobby LGBT mostrou como o Santo Padre se tem empenhado fortemente na nomeação de bispos homossexualistas na Igreja Católica.

Mas basta olhar para o que tem acontecido nos últimos cinco anos, desde que o Papa Francisco foi eleito. Antes de tudo, os comentários do Papa Francisco sobre as pessoas LGBT, como “quem sou eu para julgar”. As suas cinco palavras mais famosas foram em resposta a perguntas sobre as pessoas gay, não é verdade?

Ele é o primeiro Papa a empregar a palavra “gay”, digamos, numa frase. Ele tem amigos gay. Ele tem dito que quer que os gay se sintam bem-vindos na Igreja. Isto é um grande avanço.

Ele também nomeou bispos, arcebispos e cardeais pró-gay, como o Cardeal Tobin, arcebispo de Newark que, por exemplo, realizou uma missa de boas-vindas para pessoas LGBT na sua catedral. Precisamente no verão passado, ele celebrou uma missa de boas-vindas para todas as pessoas LGBT na sua arquidiocese.

Portanto isto é uma direção, o que o Papa Francisco diz e faz, não é? O que ele diz sobre as pessoas LGBT e o que ele faz em termos de quem nomeia.

(Pe. James Martin SJ, America – The Jesuit Review, 03/11/2018 – tradução livre)

Já para não falar de si próprio e das razões pelas quais terá sido nomeado pelo Papa como Consultor do Dicastério para as Comunicações e do convite para fazer a sua propaganda LGBT no Encontro Mundial de Famílias 2018.

As palavras do ativista gay da Companhia de Jesus são importantes na medida em que corroboram as acusações referidas no “Testemunho” de D. Carlo Maria Viganò, as quais pressupõem a existência de um lobby homossexualista na Igreja com influência até na nomeação de bispos.

Basto 11/2018

Nova pastoral em Braga: Minori Takada na Capela Imaculada

A Cidade dos Arcebispos continua a diversificar a sua oferta pastoral de modo a tornar-se competitiva perante os novos mercados espirituais emergentes.

midori.takada2.jpg
Capela Imaculada, Braga, novembro de 2018; in Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura da Conferência Episcopal Portuguesa

Decorreu no passado dia 13 de novembro, na famosa Capela Imaculada, em Braga.

Foi esta passada terça-feira que a compositora e percussionista japonesa de culto, Midori Takada, brindou o público com um espetáculo no Seminário de Nossa Senhora da Conceição, fazendo desta a sua primeira atuação em Portugal. A artista não desiludiu e proporcionou ao público um concerto de mestria, ao colocar as emoções dos espectadores à flor da pele, permitindo-os viajar num plano espiritual.

(In ComUM, 15/11/2018)

A artista nipónica Midori Takada proporcionou um exótico momento espiritual através de um espetáculo musical que consistiu na interpretação do seu álbum “Through The Looking Glass” reeditado em 2017.

midori.takada

 

E, claro, a “Senhora” lá estava também presente…

Basto 11/2018

Mais um ultra-misericordista para um alto cargo da Cúria Romana

O Papa Francisco nomeou o misericordista radical D. Charles Jude Scicluna, arcebispo de Malta, para Secretário Adjunto da Congregação para a Doutrina da Fé.

D. Charles Jude Scicluna, Arcebispo de Malta, ao lado de D. Mario Grech, Bispo de Gozo (Gozo é uma diocese sufragânea de Malta)

Scicluna foi um dos primeiros bispos do mundo a aderir à nova doutrina do Papa Francisco que tolera o divórcio e o recasamento. Neste sentido, logo em janeiro de 2017, publicou, em conjunto o bispo de Gozo, os critérios que autorizam a abertura da Sagrada Comunhão a praticantes habituais de adultério, nos termos do controverso documento Amoris Laetitia.

bispos.de.malta2
Catholic Herald, 13 de janeiro de 2017.

O novo elemento da Congregação para a Doutrina da Fé é conhecido por tolerar e participar em cerimónias de apoio ao movimento LGBT nas igrejas de Malta.

bispos.de.malta3.jpg
Malta Today, 18 de maio de 2014.

A página oficial da Arquidiocese de Malta faz questão de mostrar que D. Charles Scicluna teve muito gosto em receber de presente um livro de propaganda LGBT, intitulado “Os Nossos Filhos”, oferecido por elementos da comunidade gay Drachma.

O novo elemento do antigo Santo Ofício defende que o Estado deve criar legislação que proteja as uniões homossexuais, uma vez que tais uniões, segundo o arcebispo, “não deixam de ser um serviço à dignidade destas pessoas“, apesar de achar que a palavra “casamento” não é a mais adequada para estes casos…

bispos.de.malta4
Página oficial da Arquidiocese de Malta, 01/07/2016.

Este homem foi convidado pelo Santo Padre para desempenhar um alto cargo no organismo da Igreja responsável por difundir a doutrina católica e defender a tradição da nossa fé.

Basto 11/2018

Página ‘Vatican News’ promove organização de freiras feministas radicais

No início deste mês de novembro, a página Vatican News deu um destaque ao “Nuns on the Bus”  (“Freiras de Autocarro”), um movimento político de esquerda formado por freiras que promovem o feminismo radical nos EUA em ações propaganda ambulante.

nuns.on.the.bus
Página Vatican News, 08/11/2018.

O tema do artigo publicado na página informativa do Vaticano foi a satisfação das freiras militantes deste grupo feminista radical pelos resultados das recentes eleições intermédias nos EUA. A Irmã Simone Campbell, líder do movimento, confessou-se muito “entusiasmada” pelo facto de o número de mulheres na Câmara de Representantes ser agora superior a uma centena e por, pela pela primeira vez, o Congresso poder contar com duas nativas americanas e duas muçulmanas.

As ações de propaganda destas freiras foram criticadas pelo Vaticano durante o reinado de Bento XVI por manifestarem “sérios problemas doutrinais” e tratarem “temas feministas radicais incompatíveis com a fé católica”.

Basto 11/2018

Cardeal Burke sobre o testemunho de Viganò: a Lei de Deus está acima do segredo pontifício

Cardeal Raymond Burke

Por Lisa Bourne

9 de Novembro, 2018 (LifeSiteNews) –A lei de Deus está acima de tudo, afirmou recentemente o cardeal D. Raymond Burke referindo-se ao escândalo testemunhado pelo arcebispo D. Carlo Maria Viganò relativo ao modo incorreto como a Igreja, incluindo o Papa Francisco, tratou o problema dos abusos sexuais do clero. Foi por isso que o ex-núncio papal nos EUA foi obrigado a revelar o que sabia, disse o cardeal.

“Os males que ele denunciou são de natureza muitíssimo grave”, disse o Cardeal Burke, e se for verdade, então “ele estava obrigado em consciência” a divulgar a informação como fez.

“A lei de Deus nestes assuntos está acima, por exemplo, do segredo pontifício”, explicou Burke.

O testemunho de Viganò que implica o Papa Francisco e outros altos prelados no encobrimento do arcebispo D. Theodore McCarrick abanou a Igreja na sua crise de abusos, colocando em primeiro plano o problema do clero homossexual. O seu testemunho mostrou ainda que os abusos sexuais não ocorrerem apenas sobre menores, como muitos supõem, e que o encobrimento generalizado da hierarquia fomentou os abusos.

Por causa do seu testemunho, Viganò recebeu críticas de algumas pessoas próximas do Papa, em parte sob o pretexto de Viganò ter violado o código de confidencialidade aplicável ​​a assuntos importantes da Igreja.

Alguns tentaram desacreditar as alegações de Viganò e também afirmar que o ex-núncio apostólico nos EUA tinha razões pessoais para publicar as acusações contra o Papa, tais como, alegadamente, o facto de este não o ter criado cardeal.

Burke, numa entrevista ao The Wanderer, por ocasião do encerramento do Sínodo dos Jovens, garantiu a credibilidade do conteúdo do testemunho de Viganò e do motivo que o levara a divulgá-lo.

“Devemos levar muito a sério tudo o que ele disse”, afirmou o Cardeal Burke, uma vez que Viganò afirmou que tem provas que sustentam as suas acusações. “Fazer o contrário é ser negligente.”

“Eu não penso que exista alguma dúvida” de que o arcebispo fez isso pelo bem da Igreja, acrescentou.

O cardeal descreveu Viganò como “uma pessoa da maior integridade” e observou que vários bispos dos EUA emitiram declarações de apoio Viganò.

Burke disse ainda que os ataques ad hominem contra Viganò são “completamente inapropriados”.

O cardeal, ele próprio um homem que recebeu críticas por defender a Igreja e os seus ensinamentos, já tinha apelado anteriormente para que as acusações do testemunho de Viganò fossem levadas a sério e completamente investigadas.

“As declarações feitas por um prelado com a autoridade do arcebispo Carlo Maria Viganò devem ser levadas totalmente a sério pelos responsáveis ​​na Igreja”, afirmou o cardeal. “Cada declaração deve ser sujeita a investigação, de acordo com confiável direito processual da Igreja.”

“Uma vez confirmada a veracidade de cada declaração, de seguida, deverã ser aplicadas as sanções adequadas, tanto para curar as horríveis feridas infligidas na Igreja e nos seus membros como para a reparação do grave escândalo causado”, explicou Burke.

Burke tocou numa série de outros tópicos durante a sua entrevista ao The Wanderer, incluindo os dubia,  que já têm dois anos de idade e foram apresentados por ele e mais três cardeais (dois dos quais já faleceram) para solicitar esclarecimentos ao Papa sobre ambiguidades contidas no seu controverso documento Amoris Laetitia.

Burke confessou que não tinha esperança que o Papa venha a responder aos cinco dubia, ou dúvidas, sobre a sua exortação papal. No entanto, isso não as muda nem os refuta, acrescentou o cardeal.

“Neste ponto, é altamente improvável que ele venha a responder”, disse o cardeal, ainda que “os fiéis mereçam uma resposta a estas importantes questões.”

A falta de uma resposta papal “não muda o facto de serem verdadeiros dubia” que dizem respeito à “salvação das almas”, afirmou Burke acrescentando: “Os dubia permanecem.”

A edição original deste texto foi publicada pelo LifeSiteNews a 9 de novembro de 2018. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do texto acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. A presente edição destina-se exclusivamente à sua divulgação, sempre que possível deve ser lido na sua edição original.

Basto 11/2018

Papa Francisco retratado numa gárgula da Catedral de Colónia

A imagem do Papa Francisco foi imortalizada numa gárgula da Catedral de Colónia, na Alemanha. Um trabalho da responsabilidade do mestre Peter Füssenich.

As gárgulas são elementos esculturais exteriores característicos da arquitetura religiosa medieval. Tradicionalmente, costumavam representar demónios e animais fantásticos.

Basto 11/2018

Politécnico de Leiria homenageia Cardeal D. António Marto “pelo seu progressismo”

António.Marto.4.jpgO bispo de Leira-Fátima tem-se mostrado amigo do mundo e mundo retribui-lhe na mesma medida, exaltando-o. D. António Marto recebeu do Instituto Politécnico de Leiria o título honorífico de Professor honoris causa. Um reconhecimento “pelo seu progressismo, dinamismo e espírito de serviço em prol da sociedade, e pelo seu contributo para o prestígio da região de Leiria”.

O “seu progressismo” pastoral converge com os interesses da sociedade civil, em particular no que se refere à despenalização do adultério de longa duração. Uma atitude também apreciada pelo Papa Francisco, que já o elevou às honras cardinalícias e, mais recentemente, lhe atribuiu um cargo no dicastério da família, a partir do qual poderá fazer chegar a Alegria do Amor a muitos mais “fiéis que vivem em nova união” fora dos seus matrimónios.

É uma área onde me sinto bastante à vontade. Porventura, o Papa sabia isso, pelas conversas que tive com ele sobre a questão da família, sobre a exortação apostólica sobre a alegria do amor e a propósito da situação dos fiéis que vivem em nova união. Talvez tenha sido por isso que me escolheu para este dicastério, que é uma espécie de ministério do governo da Igreja.

(D. António Marto; in Jornal de Leiria, 25/10/2018)

D. António Marto, que deseja ser “parceiro do Papa Francisco no processo de reforma da Igreja” e trabalhar com ele na “purificação” da mesma, exercerá agora funções na Cúria Romana, no dicastério atribuído ao arcebispo pró-gay D. Kevin Farrell.

Basto 11/2018

Macabro show de luzes na fachada da Igreja de Santa Maria sopra Minerva

 

O macabro espetáculo foi apresentado ao longo de várias noites, no final do último mês de outubro, na fachada principal da Igreja de Santa Maria sopra Minerva, na Praça de Minerva, em Roma. Esta é a igreja onde se localiza o túmulo de Santa Catarina de Siena.

Mais informação no blogue de Edward Pentin, no National Catholic Register.

Basto 11/2018

Papa Francisco: “testemunhar é romper um costume”

E isso – explica o Santo Padre – “atrai” pessoas “e faz a Igreja crescer”…

Talvez seja essa a razão pela qual o Santo Padre tanto se esforça por romper os costumes da Igreja Católica. É que, de facto, isso tem agradado às pessoas, dentro e fora da Igreja.

Basto 11/2018

Vaticano alia-se à celebração do “triunfo” de divindades hindus “sobre o mal”

Rama2
In Vatican News, 31/10/2018 – tradução livre.

Com o mesmo carisma ecumaníaco da peregrinação de Ceuta, agora, por ocasião da celebração de mais um Deepavali, o Vaticano une-se espiritualmente à alegria dos irmãos hindus pelo triunfo do deus Rama sobre o demónio Ravana.

Rama3
In Boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé, 31/10/2018 – tradução livre.

Como muitos católicos dirão, o Deepavali é um dos “muitos modos” de celebrar o “triunfo do bem sobre o mal”.

vídeo.sacrílego
“[…] procuram Deus ou encontram Deus de muitos modos.”, Papa Francisco in vídeo [sacrílego] de 2016.
 

A lenda diz que Rama era casado com a bela deusa Sita, mas Ravana queria-a para si. Como ela não aceitou recasar-se com Ravana, este resolveu raptá-la na noite mais escura do ano. Rama porém, seu legítimo esposo, acompanhado do seu divino irmão Lakshman, e ajudados por Hanuman, o deus macaco, enfrentaram Ravana, derrotaram-no e recuperaram Sita.

Rama.jpg
Os protagonistas do “triunfo do bem sobre o mal”. Da esquerda para a direita: o deus Lakshman, a deusa Sita, o deus Rama e o deus Hanuman (também conhecido como o Rei dos Macacos ou ainda o Deus Macaco).

Depois de matar Ravana e de recuperar sua esposa, Rama e os restantes heróis viram o caminho de regresso iluminado pelas lamparinas das pessoas que ficaram cheias de alegria por este “triunfo do bem contra o mal”.

ravana.jpg
Ravana, o rei demónio, personificação do mal, aquele que roubou a esposa de Rama e por isso foi destruído.

Mais preocupados com “bem-estar de todos” neste mundo do que com a necessidade de atrair almas para Reino de Deus, os senhores do Vaticano apresentam a nossa fé no Filho de Deus Vivo como uma mera tradição espiritual ou religiosa, equivalente a tantas outras ou à simples boa vontade.

Como crentes alicerçados nas nossas próprias tradições espirituais, e como indivíduos com preocupações compartilhadas pelo bem-estar de todos, podemos dar as mãos aos seguidores de outras tradições religiosas e a todas as pessoas de boa vontade, e fazer esforços coletivos e concertados para assegurar um presente feliz e um futuro promissor para os nossos irmãos e irmãs vulneráveis!

Desejamos a todos vocês um feliz Deepavali!

(Excerto da mensagem enviada pelo Vaticano aos hindus; in Boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé, 31/10/2018 – tradução livre)

Mas como podem os apóstolos de Cristo convencer, deste modo, os outros de que ainda vale a pena crer?

 

Basto 11/2018