JMJ Lisboa 2023 promove a Agenda 2030 da ONU

Imagens capturadas da curta metragem I, Pet Goat II (2012).

A Jornada Mundial da Juventude – Lisboa 2023 (JMJ Lisboa 2023) promove ativamente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU. A adesão à referida agenda globalista formalizou-se através de uma Carta-Compromisso, publicada em abril, com referências à “interpelação do Santo Padre a que vivamos segundo os valores da fraternidade universal e do cuidado com a Casa Comum”.

No mesmo sentido, a JMJ Lisboa 2023 endossa a mensagem de propaganda ambientalista que Francisco lançou no segundo vídeo da série O Vídeo do Papa, no qual o Santo Padre exorta a humanidade a uma conversão universal, não ao Cristianismo mas ao novo comunismo ecologista.

O argumento deste vídeo dá continuidade à narrativa do anterior, no qual o Santo Padre explicava que Jesus Cristo é apenas uma das “diversas maneiras” através das quais as pessoas “encontram Deus”. É nesse contexto de diversidade religiosa que o Santo Padre propõe, como alternativa a Nosso Senhor Jesus Cristo, “uma conversão que nos una a todos”, “crentes e não crentes”, a conversão ecológica.

Série “Vídeo do Papa”: 1.º episódio e 2.º episódio.

A redenção cristã nada tem a ver com esta nova redenção ecológica da Casa Comum. O paraíso transcendente prometido por Jesus Cristo é muito diferente do paraíso imanente proposto pelo comunismo.

“Novo Pacto Educativo Global”: o cristianismo dá lugar a um ambientalismo panreligioso, no quadro da Nova Ordem Mundial

O atual pontífice da Igreja Católica continua determinado em substituir o velho cristianismo por “uma compreensão mais ampla e mais profunda da realidade”, de acordo com o novo paradigma da coexistência das diversas religiões que, segundo a novíssima doutrina de Francisco, é desejado por Deus. O foco central deixa de ser Jesus Cristo e a salvação universal para passar a ser a preservação da “casa comum”. Neste sentido, Francisco irá celebrar um “Pacto Educativo Global“, em Roma, no dia 14 de maio de 2020.

Eis então a necessidade de construir uma «aldeia da educação», onde, na diversidade, se partilhe o compromisso de gerar uma rede de relações humanas e abertas. Para isso, antes de mais nada, o terreno deve ser bonificado das discriminações com uma injeção de fraternidade, como defende o Papa no Documento assinado com o Grande Imã de Al-Azhar.

(In Vatican News, 12/09/2019)

É a Igreja de Jesus Cristo transformada numa enorme ONG ao serviço da Nova Ordem Mundial. Ou será que alguém ainda acredita que o Papa Francisco irá aproveitar o facto de ser na semana das aparições de Fátima para convidar aquela gente toda a prostrar-se perante o Santíssimo Sacramento em adoração ou a rezar o terço pelo triunfo do Imaculado Coração de Maria?

Basto 09/2019

Vaticano exorta muçulmanos a converterem-se…

Por ocasião do início do Ramadão de 2017, que começou no passado dia 27 de maio, o Vaticano enviou uma mensagem aos muçulmanos apelando à conversão, “ecológica”.

«Cristãos e muçulmanos: juntos no cuidado da casa comum»

Queridos irmãos e irmãs muçulmanos!

Queremos assegurar-vos a nossa solidariedade orante neste tempo de jejum no mês do Ramadão e para a celebração conclusiva do ‘Id al-Fitr, estendendo-vos de coração os nossos melhores votos de serenidade, alegria e abundantes dons espirituais.

[…]

O Papa Francisco afirma que «a crise ecológica é um apelo a uma conversão interior profunda» (n. 217). O que é necessário é a educação, uma abertura espiritual e uma «conversão ecológica global» para enfrentar adequadamente este desafio.

[…]

É com estes sentimentos que vos desejamos, mais uma vez, serenidade, alegria e prosperidade.

(Mensagem para o Mês do Ramadão in sítio oficial do Vaticano)

janeiro...

fevereiro...

Basto 06/2017