Donald Trump pede ao Congresso uma lei que proíba o aborto nos últimos meses de gravidez

Reagindo à barbaridade da nova Lei de Saúde Reprodutiva aprovada pelo Senado do Estado de Nova Iorque, o Presidente dos EUA pediu ao Congresso a proibição do aborto nos últimos meses de gravidez.

O aborto é um ato desumano em todas as fases da gravidez.

Basto 02/2019

Estado de Nova Iorque autoriza o aborto em qualquer fase da gravidez

A nova Lei de Saúde Reprodutiva aprovada no dia 22 de janeiro pelo Senado do Estado de Nova Iorque, EUA, alarga a legalização do aborto a todas as fases de gestação, ou seja, durante os nove meses de gravidez, até momentos antes do nascimento. Deste modo, as mães daquele estado americano poderão agora abortar bebés com esta idade:

Basto 01/2019

Apostasia coletiva dos “católicos” pró-aborto na Argentina

No passado 8 de agosto, enquanto o Senado Argentino discutia a legalização do aborto – num debate longo que acabou de madrugada com o chumbo do projeto de lei -, milhares de argentinos formaram grossas filas, em várias cidades, para renunciar formalmente à Fé Católica que outrora professaram. A campanha “Apostasia Coletiva” foi lançada pela Coalición Argentina por un Estado Laico através das redes sociais com o objetivo de contestar a influência da moral cristã nas leis do Estado.

Basto 8/2018

Sacerdote jesuíta da República Dominicana prega o direito ao aborto

Um sacerdote da Companhia de Jesus da República Dominicana tem participado ativamente na campanha pela legalização do aborto em determinadas circunstâncias.

caminata.3.c.jpg

Caminhar hoje pela despenalização do está muito próximo do Jesus que ama, acompanha e não condena as pessoas em situações extremas. Acompanho-vos com as minhas orações a partir de Dajabón.

(Pe. Mario Serrano Marte na sua conta twitter, 15/07/2018 – tradução livre)

No ano passado, por esta altura, o mesmo sacerdote dava apoio às celebrações do Orgulho LGBT Dominicano.

Basto 7/2018

Estatística portuguesa desmente argumento pró-legalização do aborto

Aquele falso argumento pseudo-humanista que dizia que a descriminalização da matança de crianças durante a sua gestação não aumentaria necessariamente o número de abortos é completamente refutado pela estatística portuguesa recente.

aborto.em.portugal
Número de abortos executados em Portugal entre 1999 e 2016. Fonte: Wikipédia, acesso em 30/06/2018 (adaptado).

O número de vidas brutalmente erradicadas ao abrigo da iníqua Lei nº 16/2007, de 17 de abril, já ultrapassou várias dezenas de vezes o número de baixas portuguesas na Primeira Guerra Mundial.

Basto 7/2018

Milhares de pessoas saem à rua na Argentina para dizer “não” à legalização do aborto

No passado dia 25 de março, dia mundial da criança por nascer (definido por São João Paulo II e coincidindo com a solenidade da Anunciação do Senhor), milhares de pessoas, em várias cidades da Argentina, saíram à rua para se manifestarem contra a possibilidade de legalização do aborto naquele país americano.

A manifestação popular surge numa altura em que, mais uma vez, foi apresentado um projeto de legalização do aborto, agora assinado por 72 deputados de diferentes filiações partidárias. A defesa da vida contou com o forte apoio do clero argentino, onde se destaca a adesão de 70 bispos locais à campanha “Vale toda vida, que se tornou viral nas redes sociais.

Basto 3/2018

Arquidiocese de Quito, no Equador, concede enterro cristão a 36 bebés vítimas de aborto

quito.jpg

No âmbito do projeto “Bebés ao Céu”, a Arquidiocese de Quito, com a colaboração do Serviço Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses do Equador, enterrou os restos mortais de 36 bebés assassinados por aborto encontrados em diversas localidades do país. A cerimónia, presidida pelo arcebispo de Quito, D. Fausto Trávez, realizou-se no dia 13 de março no cemitério Jardins de Santa Rosa, na capital do Equador, tendo sido a segunda em menos de um ano, depois de já terem feito o mesmo para com outras 51 vítimas em julho do ano passado.

Basto 3/2018

Papa Francisco atribui condecoração pontifícia a ativista pró-aborto e pró-gay

abortista

A ex-ministra dos Países Baixos, Lilianne Ploumen, uma ativista extremista pró-aborto, fundadora da “She decides” (em português, “Ela decide”), uma organização de angariação de fundos para a promoção do aborto, foi condecorada pelo Papa Francisco com o título de Comendadora da Pontifícia Ordem Equestre de São Gregório Magno. Ploumen possui ainda um vasto e conhecido currículo de ações públicas na promoção da ideologia gay, onde se inclui, por exemplo, a presença no Core Group LGBTI da ONU em setembro do ano passado.

O vídeo abaixo é da rádio neerlandesa BNR:

Tradução do diálogo do vídeo acima:

BNRE esta é a enésima condecoração que Lilianne Ploumen recebe, obtida em 2017 e vinda de quem…
PloumenSim, é uma alta distinção do Vaticano; do Papa.
BNRDo Papa!…
Ploumen – Linda!
BNRSim!
PloumenÉ “Comendadora da Ordem de São Gregório”.
BNRMesmo sendo pró-aborto?
PloumenSim, pode confirmar.

(Tradução livre a partir da tradução em inglês providenciada pelo Instituto Lepanto, 12/01/2018)

As condecorações da Ordem Equestre de São Gregório Magno são normalmente atribuídas a homens e mulheres em reconhecimento de serviços prestados à Igreja, feitos notáveis, apoio à Santa Sé e bom exemplo dado à sociedade.

Basto 1/2018

Haverá maior blasfémia em Portugal?

aborto2.jpg

 

Da vasta lista de hospitais públicos do nosso país que executam abortos a pedido da mulher, uma grande parte tem nomes de santos, de Maria e até do próprio Deus.

  • Hospital da Senhora da Oliveira (Guimarães)
  • Hospital São Marcos (Braga)
  • Hospital de São Pedro (Vila Real)
  • Hospital do Médio Ave, que é o de Santo Tirso (Santo Tirso)
  • Hospital de Santo António (Porto)
  • Hospital de São João (Porto)
  • Hospital Padre Américo (Penafiel)
  • Hospital de São Sebastião (Santa Maria da Feira)
  • Hospital de São Miguel (Oliveira de Azeméis)
  • Hospital de São Teotónio (Viseu)
  • Hospital de Santo André (Leiria)
  • Hospital de Nossa Senhora do Rosário (Barreiro)
  • Hospital de Santa Maria (Lisboa)
  • Hospital de São Bernardo (Setúbal)
  • Hospital do Divino Espírito Santo (Ponta Delgada)
  • Centro Hospitalar do Médio Tejo, que inclui o Hospital de Nossa Senhora da Graça (Tomar) e o Hospital Rainha Santa Isabel (Torres Novas)

A lei do aborto foi aprovada e concretizada em Portugal por agentes políticos eleitos e reeleitos livremente pelo povo desta nação consagrada à Mãe de Deus. Os elevados custos desta política contra a vida humana, que já leva mais de uma década de infame existência, têm sido financiados com impostos de todos os portugueses. Os mesmos portugueses que, durante a mesma década, ouviram todos os discursos da “tanga”, do “apertar o cinto”, do deficit, da austeridade e da troika.

A responsabilidade é todos, incluindo os indiferentes, os que se calam e os que deviam falar mais.

Basto 10/2017

Aborto e homossexualidade mostram que chegou a “batalha final” entre Deus e Satanás – Cardeal Caffarra

caffarra.lifesitenews.jpg

 

Por Dorothy Cummings McLean e Pete Baklinski

ROMA, 19 de maio, 2017 (LifeSiteNews) – A profecia da Irmã Lúcia, vidente de Fátima, de que a batalha final entre Deus e Satanás será sobre o casamento e a família está a ser hoje cumprida, afirmou um cardeal discursando numa conferência católica em Roma.

“O que disse a Irmã Lúcia naqueles dias está a cumprir-se nestes nossos dias”, disse o Cardeal Carlo Caffarra, um dos signatários dos dubia que é arcebispo emérito de Bolonha e ex-membro do Conselho Pontifício para a Família, numa sessão de perguntas e respostas posterior ao seu discurso.

Caffarra fez os seus comentários no IV Fórum anual da Vida em Roma. Depois da sua apresentação, o cardeal Raymond Burke, outro signatário dos dubia, pediu para que os fiéis católicos “trabalhem para a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria”.

O cardeal Caffarra, que é o presidente fundador do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre o Matrimónio e a Família, fez os seus comentários a respeito da “batalha final” em alusão a uma carta que escreveu à Ir. Lúcia, no início dos anos 80, para pedir as suas orações, quando iniciou a sua nova tarefa de fundar o instituto. Ele nunca esperara uma resposta.

Porém, para sua surpresa, Caffarra recebeu uma longa carta assinada pela Ir. Lucia, na qual falava sobre a “batalha final” que chegaria no fim dos tempos.

A vidente de Fátima escreveu que “a batalha final entre o Senhor e o reino de Satanás será a respeito do Matrimónio e da Família. Não temam, acrescentou, porque qualquer pessoa que atue a favor da santidade do Matrimónio e da Família será sempre combatida e enfrentada de todas as formas, porque este é o ponto decisivo. Depois concluiu: entretanto, Nossa Senhora já esmagou sua cabeça’”.

A carta está agora nos arquivos do Instituto Instituto João Paulo II para Estudos sobre o Matrimónio e a Família.

A batalha

Caffarra explicou, durante a sua apresentação, que existem duas forças que se opõem uma à outra na batalha. Uma é o “Coração ferido do Crucificado-Ressuscitado”, que chama a todos os homens para si mesmo. A outra é o “poder de Satanás, que não quer ser expulso do seu reino”.

O cardeal disse que o lugar onde esta batalha acontece é o coração humano.

“Jesus, a Revelação do Pai, exerce forte atração para Si mesmo. Satanás trabalha contra isso, para neutralizar a força atrativa do Crucificado-Ressuscitado. A força da verdade que nos torna livres atua no coração do homem. A força satânica da mentira é a que faz de nós escravos”, disse ele.

As duas forças de atração dão origem a duas culturas, afirmou, a “cultura da verdade e a cultura da mentira”.

“Há um livro na Sagrada Escritura, o último, o Apocalipse, que descreve o confronto final entre os dois reinos. Nesse livro, a atração de Cristo toma a forma de triunfo sobre os poderes inimigos comandados por Satanás. É um triunfo que surge depois de um longo combate. Os primeiros frutos da vitória são os mártires”, disse ele.

Caffarra disse ainda que o aborto legalizado provém da “cultura da mentira”, onde o “crime” de assassinar um ser humano é visto como um “bem”.

O aborto é um “ato sacrílego”, disse ele, acrescentando que é a “negação mais profunda da verdade do homem”.

“A razão pela qual o homem não deve derramar o sangue do homem é porque o homem é a imagem de Deus. Através do homem, Deus habita na Sua criação. Essa criação é o templo do Senhor porque o homem habita nela. Violar a intangibilidade da pessoa humana é um ato sacrílego contra a Santidade de Deus. É a tentativa satânica de gerar uma anti-criação. Ao enobrecer a matança de seres humanos, Satanás lançou as bases para sua criação: remover da criação a imagem de Deus, obscurecer Sua presença nela”, disse ele .

O cardeal explicou que o “casamento” homossexual também provém da “cultura da mentira”, uma vez que “nega completamente a verdade do casamento” conforme procede da “mente de Deus, o Criador”.

“A Divina Revelação disse-nos como Deus entende o casamento: a união legal de um homem e uma mulher, a fonte da vida. Na mente de Deus, o casamento tem uma estrutura permanente, baseada na dualidade do modo humano de ser: feminilidade e masculinidade. Não dois polos opostos, mas um com e para o outro”, disse ele.

“A união entre um homem e uma mulher, que se tornam uma só carne, é cooperação humana no ato criador de Deus”, acrescentou.

Satanás, ao impulsionar as mentiras do aborto e da homossexualidade, está a tentar destruir os dois pilares mais importantes da criação, a “pessoa humana” criada à imagem de Deus e a “união conjugal” entre um homem e uma mulher.

“A elevação axiológica do aborto a direito subjetivo é a demolição do primeiro pilar. O enobrecimento de uma relação homossexual, equiparando-a ao casamento, é a destruição do segundo pilar “, afirmou Caffarra.

O objetivo final de Satanás é “construir uma anti-criação real”, uma “criação alternativa”, onde Deus e todos os sinais da sua beleza e bondade foram apagados.

“Este é o último e terrível desafio que Satanás está a lançar contra Deus”, acrescentou o Cardeal.

Ser um fiel seguidor de Cristo nestes tempos significa “testemunhar… aberta e publicamente” a verdade da criação de Deus a respeito da dignidade da pessoa humana e do casamento.

“Alguém que não testemunha desta maneira é como um soldado que foge no momento decisivo da batalha. Já não somos testemunhas mas desertores, se não falarmos aberta e publicamente”, disse ele.

Caffarra elogiou os eventos pró-vida da Marcha pela Vida que acontecem em todo o mundo como um “grande testemunho” da verdade a respeito do valor de cada pessoa.

Ele comparou os cristãos que defrontam o pecado aos médicos que combatem a doença, explicando à audiência que tal como perante a doença não pode haver acordo de paz, o mesmo acontece com o pecado.

“Seria um médico terrível aquele que adotasse uma atitude irenista (voltada para a paz) perante a doença”, disse ele. O significado do ditado de Santo Agostinho “Amar o pecador, odiar o pecado”, explicou o cardeal, significa “caçar o pecado”. Persegui-lo nos lugares escondidos das suas mentiras e condená-lo, trazendo à luz a sua insubstancialidade”.

A edição original deste texto foi publicada pelo LifeSiteNews a 19 de maio de 2017. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do artigo acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. Sempre que possível, deve ser lido na sua edição original.

Basto 5/2017