Papa Francisco elogia os 50 anos de ministério LGBT da Ir. Jeannine Gramick, em carta manuscrita

O titulo acima foi retirado de um artigo da revista da America, uma publicação dos Jesuítas nos EUA. A revista da Sociedade de Jesus destaca o facto de o Santo Padre ter enviado uma carta manuscrita de reconhecimento à religiosa cofundadora da New Ways Ministry, organização pseudocristã de apoio às vocações para as diversas formas de homossexualismo, numa altura em que a freira celebra 50 anos de ativismo LGBT.

10 de dezembro de 2021
Irmã Jeannine Gramick, SL

Querida irmã,

Muito obrigado pela sua carta. Fiquei feliz em receber a notícia do seu 50.º aniversário.

A sua carta lembrou-me “o estilo” de Deus… Deus tem o seu próprio estilo para se comunicar connosco. E poderíamos resumir esse estilo em três palavras: proximidade, compaixão, ternura.

E estou a pensar nos seus 50 anos de ministério, que foram 50 anos com este “estilo de Deus”, 50 anos de proximidade, de compaixão e de ternura.

Você não teve medo da “proximidade” e, ao aproximar-se, fê-lo “sofrendo com” [compaixão] e sem condenar ninguém, mas com a “ternura” de uma irmã e de uma mãe.

Obrigado, Irmã Jeannine, por toda a sua proximidade, compaixão e ternura.

Eu rezo por si. Por favor, não se esqueça de rezar por mim. Cumprimentos ao Yayo (Obdulio).

Que Jesus a abençoe e a Virgem Santa a proteja.

Fraternalmente,
Francisco

In America – The Jesuit Review, 7 de janeiro de 2022 (tradução livre).

E este é o “Yayo (Obdulio)” com o seu namorado de 19 anos de idade:

Basto 01/2022

Militantes LGBT gravam videoclipe sacrílego em igreja de Manaus

Provocante ação de intolerância religiosa perpetrada por extremistas LGBT contra o povo católico da capital do Amazonas, com alegado apoio do município e dos responsáveis pela igreja local.

Ateliê 23

Vídeo lançado no dia 9 deste mês de outubro pela organização homossexualista Ateliê 23.

Igreja de São Sebastião, em Manaus, Brasil.

Basto 10/2021

Santo Padre nomeia cardeal homossexualista para a Congregação para os Bispos

O cardeal D. Joseph Tobin, arcebispo de Newark (EUA), forte apoiante das práticas sodomitas e das virtudes do homossexualismo católico, foi nomeado por Francisco, na passada quinta-feira, 4 de março, como membro da Congregação para os Bispos.

Já tinha sido o Papa Francisco quem o criara cardeal, em 2016, no mesmo ano em que lhe confiara a administração pastoral de uma das mais importantes dioceses americanas.

Como explica o famoso ativista gay da Companhia de Jesus e assessor do Vaticano escolhido por Bergoglio, o Santo Padre nomeia gente desta abominável seita para importantes cargos da hierarquia religiosa, para mudar a Igreja Católica.

Basto 03/2021

Vários bispos americanos unem-se na proteção do homossexualismo juvenil

Ao todo, neste momento, são já 12 os bispos católicos dos EUA (um deles cardeal, nomeado por Francisco) que subscreveram o documento Deus está do teu lado: uma declaração dos bispos católicos pela proteção da juventude LGBT, promovido pela Fundação Tyler Clementi, uma organização homossexualista que luta pelos direitos dos jovens LGBT.

Muitos deles são já sobejamente conhecidos pela sua pastoral homossexualista.

Basto 01/2021

Igreja histórica do Quebeque cedida para realização de vídeo homoerótico

A Igreja Paroquial de São Pedro Apóstolo, em Montreal, Canadá, foi o palco escolhido pelo acrobata americano Matthew Richardson para a gravação do primeiro de uma série de cinco vídeos de propaganda gay. O vídeo em causa mostra um bailado homoerótico, filmado em frente ao altar da referida igreja, ao som de uma versão do blasfemo Allelujah de Leornard Cohen.

Na parte final do vídeo, o realizador deixa um agradecimento especial à Igreja de São Pedro Apóstolo por todo o apoio dado à realização do filme e ao movimento gay.

lgbt.quebeque.jpg
Genérico da curta-metragem Allelujah (2019).

A Igreja de São Pedro Apóstolo era já conhecida a nível nacional pela sua abertura ao homossexualismo. Em 2017, o canal de televisão canadiano CBC News divulgou uma peça noticiosa onde se explicava como a nova pastoral arco-íris contribuiu para recuperar a popularidade daquela igreja.

lgbt.quebeque
Decoração homopastoral da Igreja de São Pedro Apóstolo, em Montreal, Canadá; in CBC News, 18/05/2017.

Basto 08/2019

Intolerância religiosa de extremistas LGBT em Belo Horizonte

Um grupo de homossexualistas radicais, militantes do movimento extremista LGBT, tentou realizar uma paródia de insulto à fé cristã na cidade de Belo Horizonte, Brasil. O evento em causa, que fazia parte da programação da “Virada Cultural BH 2019“, pretendia coroar “Nossa Senhora das Travestis”, ridicularizando a devoção católica à Mãe de Deus com as taras sexuais ligadas à cultura gay.

travFelizmente, após a indignação dos católicos, o evento acabara por ser cancelado por ordem das autoridades municipais, dando lugar à oração de um terço de desagravo a Nossa Senhora de Fátima.

Ainda há católicos em Belo Horizonte!

Basto 07/2019

Cidade de São Paulo convertida na maior Sodoma do mundo

A cidade mais populosa do Continente Americano, cujo nome homenageia Paulo de Tarso, o Apóstolo dos Gentios, serviu de palco à maior Parada do Orgulho LGBT do mundo, reunindo três milhões de pessoas na famosa Avenida Paulista.

26Foi por isso que Deus os entregou a paixões degradantes. Assim, as suas mulheres trocaram as relações naturais por outras que são contra a natureza. 27E o mesmo acontece com os homens: deixando as relações naturais com a mulher, inflamaram-se em desejos de uns pelos outros, praticando, homens com homens, o que é vergonhoso, e recebendo em si mesmos a paga devida ao seu desregramento. (Rm 1, 26-27)

Basto 06/2019

O Orgulho Gay da Disneyland Paris

magical.pride.jpgA Disneyland Paris, um dos maiores parques de diversões da Europa, visitado anualmente por milhões de crianças de todo o mundo, celebrou, no dia 1 de junho, a Magical Pride Party 2019, onde incluiu uma versão mais modesta das perversas marchas do Orgulho Gay e toda uma vasta gama de merchandising associado ao movimento extremista LGBT.

Basto 06/2019

Google celebra os 50 anos de história do Orgulho Gay

doodle

Por Maria Ribeiro

Embora o Google nunca tenha escondido a verdade, de acordo com as cores berrantes próprias do seu garrido logótipo, hoje mesmo fiquei estarrecida com a pesquisa encontrada.

Quem visitar esta plataforma digital, encontrará um doodle “especial”. Ao clicar no mesmo verifica que esse doodle foi colocado, a fim de “celebrar” os 50 anos de orgulho gay e, como era de esperar, em cada ano o número de participantes, nas paradas foi aumentando.

Sendo o Google um motor de busca, de longa utilização, a intenção é mesmo divulgar, ao máximo toda esta trama, bem urdida que usa a tara exibicionista dos “idiotas úteis” (sem ofensa, nem qualquer tipo de julgamento), LGBT que não entendem (ou não querem entender) a forma vil como são expostos e alvo de voyeurs, como mercadoria desprezível.

Os que assim procedem não pretendem respeitá-los e defendê-los, (aos homossexuais e afins), como seria expectável mas, apenas, revelam a malévola intenção de os usar, como objectos de desconstrução e engenharia social. Depois quando já não tiverem serventia irão descartá-los como “coisa desprezível”. Que ninguém se iluda… “Quem avisa amigo é”.

O Centro da Comunidade LGBT de Nova Iorque, com o apoio do Google.org, tem estado a trabalhar na preservação da história da comunidade LGBTQ+ para as gerações futuras ao expandir o Monumento Nacional Stonewall da sua localização física em Nova Iorque para uma experiência digital que pode ser acedida por todos, onde quer que estejam:

Mas isto ainda não é o pior. O que me deixou terrivelmente angustiada foi a notícia de que Portugal é candidato:

A iniciativa partiu da Variações – Associação de Comércio e Turismo LGBTI de Portugal que, com o apoio do governo português e da associação ILGA Portugal, quer trazer para o país a organização do EuroPride em 2022.

Pronto… já só faltava esta.

Basto 06/2019

 

Universidade dos jesuítas, no México, volta a promover evento LGBT

A Universidade Ibero-americana, na cidade México, organizou, pelo sexto ano consecutivo a “Semana da Diversidade Humana, dinamizada pela plataforma Plural Ibero, um grupo de ativismo LGBT+ daquela instituição de ensino superior. Esta universidade, conhecida no México como La Ibero, está sob a tutela da Companhia de Jesus.

Basto 03/2019

A verdadeira essência das coisas…

flying.bird.jpg

“Um pássaro não voa por ter asas. Ele tem asas porque voa. Um homem não é masculino por ter um pénis e testículos, nem uma mulher é feminina por ter uma vagina, um útero, estrogénio ou o que quer que seja. Eles têm tudo isso – quando o tem – porque ela é feminina e ele é masculino. Mesmo se falta alguma dessas coisas neles, ainda assim eles são masculinos e femininos.”

(“Pe. Gerald”, personagem do caso de exorcismo “O Virgem e o Ajeita-Moça”; in Reféns do Demónio, Malachi Martin, Ecclesiae, 2016, pág. 216)

Isto numa época em que a ilusão engana os próprios ilusionistas.

Basto 02/2019

Noivas de São Belzebu?

No nono aniversário da aprovação do “casamento gay” em Portugal, o apresentador de televisão José Carlos Malato faz um exigência à Câmara Municipal de Lisboa: que alargue a tradicional celebração dos Casamentos de Santo António aos chamados “casamentos LGBT”.

A acontecer, ao menos que mudem o nome da cerimónia, por respeito ao santo padroeiro da cidade.

Basto 01/2019

Católicos britânicos comemoram Dia Internacional da Memória Transexual

No passado dia 20 de novembro, a Igreja Católica de Inglaterra e País de Gales comemorou o Dia Internacional da Memória Transgénera através da publicação de uma mensagem no Twitter.

trans.memória
Página Twitter da Igreja da Inglaterra e País de Gales, 20/11/2018.

O Dia Internacional da Memória Transgénera foi fundado pela transexual Gwendolyn Ann Smith, uma “ex-homem” ativista militante do movimento LGBT.

trans.memória2.jpg
Gwendolyn Ann Smith, à esquerda. À direita, o Santo Padre, na Quinta-feira Santa de 2015, lava os pés à transexual Isabel Lisboa, uma “ex-homem” italiana.

A primeira resposta que apareceu na mensagem comemorativa do Twitter da Igreja Católica Britânica foi a de um sacerdote, Pe. Marcus Holden, que confessou a sua surpresa pela referida publicação, lembrando que “apesar de não devermos deixar de rezar” por todas as pessoas vulneráveis, “o Dia Internacional da Memória Transgénera faz parte de uma ‘colonização ideológica’ que não deve ser apoiada por católicos”.

Basto 11/2018

XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos termina com ambiente de discoteca

O chamado Sínodo dos Jovens terminou com um baile sinodal onde os “jovens ungidos com o dom da profecia e da visão” dançaram com os Padres Sinodais num ambiente espiritual que não se deixou, de modo algum, “sufocar e esmagar” por qualquer anúncio conhecido de “calamidades e desgraças”.

Queremos afirmar que compartilhamos o teu sonho: uma Igreja desinibida, aberta a todos, especialmente aos mais fracos, uma igreja hospital de campanha.

(Excerto da mensagem lida pelos jovens ao Papa Francisco durante o baile sinodal no encerramento da XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, in Vatican News, 27/10/2018 – tradução livre)

Um dos momentos altos da cerimónia aconteceu quando o cardeal D. Lorenzo Baldisseri, o apresentador oficial da Alegria do Amor, a exortação papal que aceita o divórcio e o recasamento, subiu ao palco para interpretar no piano o tema principal do filme “História de Amor” (1970).

Baldisseri
À esquerda, D. Lorenzo Baldisseri junto ao cardeal pró-gay D. Christoph Schönborn na apresentação oficial da exortação apostólica Amoris Laetitia em 08 de abril de 2018. À direita, em cima, o cartaz do filme Love Story (1970) e, em baixo, a capa do disco do tema escolhido por Baldisseri para o encerramento do Sínodo dos Jovens.

A música é de Andy Williams, chama-se Where do I begin?(em português, “Por onde começo?”) e faz parte do álbum “Hold Me Close”.

Basto 10/2018

Frases que nos fazem pensar: Pe. Fernando Calado Rodrigues

pe.fernando.calado.rodrigues“Em vez de ter medo que se lhe cole o rótulo de “gay friendly”, ou “LGBTIQ friendly”, Bragança deveria estar atenta aos benefícios de ser considerada uma cidade acolhedora em todas as dimensões, incluindo todos os que vivem a sua sexualidade com as mais diversas orientações, desde que respeitadores da sensibilidade dos outros.”

(Pe. Fernando Calado Rodrigues, pároco nas paróquias da cidade de Bragança e articulista do Jornal de Notícias)

Contexto da frase:

A frase faz parte de um artigo de apoio à realização da 1ª Marcha do Orgulho Gay em Bragança, a qual viria a realizar-se no dia 19 de maio de 2018. O artigo de opinião, intitulado “Bragança gay friendly“, é assinado pelo Pe. Fernando Calado Rodrigues no Jornal de Notícias, publicação onde o referido sacerdote escreve regularmente; in Jornal de Notícias, 30/04/2018.

lgbt.bragança
Ativistas gay junto à Sé Velha de Bragança; in SIC Notícias, 19/05/2018.

Recomenda-se ainda, do mesmo autor, a leitura do artigo “Não há vida como a vida de padre!”, publicado hoje no Jornal de Notícias, em que o sacerdote lamenta o facto de “muitas vezes” se ter preocupado “mais em aplicar a lei e as normas da Igreja do que em «acompanhar, discernir e integrar a fragilidade», como o Papa propõe na Amoris Lætitia“.

Basto 6/2018

“LGBT” passa a fazer parte do glossário do Vaticano

joshua.McElwee.jpg

Joshua McElwee, coautor do livro A Pope Francis Lexicon observou na sua conta Twitter que o Instrumentum Laboris para o chamado Sínodo dos Jovens inaugura a utilização do acrónimo “LGBT” em documentos oficiais do Vaticano.

joshua.McElwee2
Twitter de Joshua McElwee, 19/06/2018 (tradução livre).

 

197. Por exemplo, no SI [seminário internacional sobre a situação dos jovens no mundo, de 11 a 15 de setembro de 2017], alguns especialistas têm apontado como o fenómeno da migração pode tornar-se uma oportunidade para um diálogo intercultural e para a renovação de comunidades cristãs em risco de involução. Alguns jovens LGBT, através de várias contribuições feitas à Secretaria do Sínodo, desejam “beneficiar de maior proximidade” e experimentar um maior cuidado da Igreja, ao mesmo tempo que algumas CEs [Conferências Episcopais] questionam o que propor “aos jovens que em vez de formarem casais heterossexuais decidem formar casais homossexuais e, acima de tudo, desejam estar perto da Igreja “.

(Excerto do Instrumentum Laboris para a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos; in Boletim da Sala de Imprensa do Vaticano, 19/06/2018 – tradução livre)

O Pe. James Martin SJ, ativista gay e consultor do Vaticano para as comunicações, não poderia ter ficado mais feliz com esta evolução ideológica no léxico da Igreja Católica Romana.

joshua.McElwee3
Twitter do Pe. James Martin SJ, 19/06/2018 (tradução livre).

LGBT é um acrónimo frequentemente utilizado nos meios homossexualistas para referir um grupo social emergente que inclui “lésbicas, gays, bissexuais e transexuais” militantes da ideologia gay. Encontra-se, no entanto, já algo desatualizado, uma vez que tem vindo a ser substituído por outros mais recentes e expansivos, como LGBTI, LGBTQ e LGBTQ+, à medida que vai incluindo cada vez mais sensibilidades heterofóbicas. E se alguém pensa que isto ficará por aqui, está bem enganado… No ano passado, por exemplo, no Canadá, os professores do Ensino Básico foram obrigados a frequentar uma ação de formação sobre “LGGBDTTTIQQAAPP”.

Basto 6/2018

Portugal orgulhosamente gay, de Faro a Bragança

Agora até em Bragança, mesmo debaixo das varandas das avós… A reportagem da SIC Notícias pode ser vista aqui.

Basto 5/2018

Gay praticante afirma que o Santo Padre o confirmou no homossexualismo

Juan Carlos Cruz é uma das alegadas ex-vítimas de abusos sexuais por parte de elementos do clero chileno, mais concretamente no âmbito do caso Karadigma. Após alguns desentendimentos públicos com a Santa Sé, Cruz foi convidado pelo Papa para passar alguns dias no Vaticano.

Depois de ter sido recebido pelo Santo Padre, Juan Carlos Cruz afirmou em entrevista ao El País que Francisco pediu-lhe perdão pelos abusos sexuais sofridos e confirmou-o na sua condição de “gay“.

P. Conversou [com o Papa] sobre sua homossexualidade e como sofreu mais por isso?

R. Sim, falamos. Ele tinha sido praticamente informado que eu era uma pessoa má. Alí eu expliquei-lhe que não sou a reencarnação de San Luís Gonzaga, mas não sou uma pessoa má, tento não magoar ninguém. Ele disse-me “Juan Carlos, que tu sejas gay não importa. Deus fez-te assim e ama-te assim e a mim não me importa. O Papa ama-te assim, tens de ser feliz com quem és.

(in El País, 19/05/2018 – tradução livre)

Na verdade, ser “gay” é muito mais do que simplesmente possuir tendências homossexuais. A condição de gay pressupõe militância ideológica e determinados comportamentos sociais completamente contrários à vontade de Deus.

Essas declarações, a confirmarem-se, representariam uma evolução da posição do Santo Padre em relação à militância gay.

Basto 5/2018

Papa Francisco atribui condecoração pontifícia a ativista pró-aborto e pró-gay

abortista

A ex-ministra dos Países Baixos, Lilianne Ploumen, uma ativista extremista pró-aborto, fundadora da “She decides” (em português, “Ela decide”), uma organização de angariação de fundos para a promoção do aborto, foi condecorada pelo Papa Francisco com o título de Comendadora da Pontifícia Ordem Equestre de São Gregório Magno. Ploumen possui ainda um vasto e conhecido currículo de ações públicas na promoção da ideologia gay, onde se inclui, por exemplo, a presença no Core Group LGBTI da ONU em setembro do ano passado.

O vídeo abaixo é da rádio neerlandesa BNR:

Tradução do diálogo do vídeo acima:

BNRE esta é a enésima condecoração que Lilianne Ploumen recebe, obtida em 2017 e vinda de quem…
PloumenSim, é uma alta distinção do Vaticano; do Papa.
BNRDo Papa!…
Ploumen – Linda!
BNRSim!
PloumenÉ “Comendadora da Ordem de São Gregório”.
BNRMesmo sendo pró-aborto?
PloumenSim, pode confirmar.

(Tradução livre a partir da tradução em inglês providenciada pelo Instituto Lepanto, 12/01/2018)

As condecorações da Ordem Equestre de São Gregório Magno são normalmente atribuídas a homens e mulheres em reconhecimento de serviços prestados à Igreja, feitos notáveis, apoio à Santa Sé e bom exemplo dado à sociedade.

Basto 1/2018

Vaticano contrata empresa que promove ativismo gay

A Accenture, uma empresa de consultadoria que opera na área das tecnologias da informação, foi a escolhida pelo Vaticano para renovar a imagem das comunicações do Vaticano, tendo recebido a tarefa de “simplificar e unificar as comunicações” do Vaticano num novo canal, o Vatican News.

vatican news
Novo portal Vatican News concebido pela Accenture.

A Accenture é uma empresa que promove ativamente a cultura gay, fazendo disso uma das suas imagens de marca. Por exemplo, participa no programa LGBT Ally (Aliado LGBT), organiza eventos como o “Mês do Orgulho [LGBT, que quer dizer lésbico, gay, bissexual e transexual]” e a sua página a internet está cheia de marketing à base de terminologia gay e muitos arcos-íris.

A empresa contratada pelo Vaticano foi eleita em 2016 como o “melhor local de trabalho da Irlanda para a comunidade gay” e, em 2017, uma das nomeadas pelo Pink News (portal de notícias gay) para a categoria “Business Equality “(que distingue as empresas “que tenham feito contribuições positivas às causas LGBT+”).

Basto 12/2017

O novo livro de pastoral ‘gay’ do jesuíta James Martin

O sr. Pe. James Martin SJ, mundialmente conhecido pela sua pastoral gay e há poucos dias nomeado pelo Papa Francisco como consultor da Secretaria para a Comunicação do Vaticano, acabou de lançar um livro baseado no seu conceito pastoral de “ponte com dois sentidos”.

JAMES-MARTIN
“Construindo a Ponte: como a Igreja Católica e a Comunidade LGBT podem entrar numa relação de respeito, compaixão e sensibilidade” (novo livro do Pe. James Martin SJ)

A conhecida abordagem pastoral deste jesuíta rejeita o apelo à conversão das pessoas com comportamentos LGBTQ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgéneros) para, em alternativa, propor à Igreja a aceitação desses comportamentos desde sempre condenados.

nomeação de James Mrtin SJ
Secretaria para a Comunicação do Vaticano

 

James Martin2
Mensagem do Pe. James Martin na sua conta do Facebook a 12/04/2017

Ao nível da crítica literária citada pela editora na promoção do livro, destacam-se os elogios imediatos dos novos cardeais americanos Farrel e Tobin, que receberam o título cardinalício apenas no último mês de novembro.

Cadeal Kevin Farrell (antigo bispo de Dallas e atual Prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida):

Farrell

Um livro bem-vindo e muito necessário que ajudará os bispos, sacerdotes, associados pastorais e todos os líderes da igreja a ministrar mais compassivamente à comunidade LGBT. Ajudará também os católicos LGBT a sentirem-se mais em casa, naquela que é, afinal, a sua Igreja.”

Cardeal Joseph Tobin, arcebispo de Newark (EUA):

Tobin  

Em muitas partes da nossa igreja as pessoas LGBT foram feitas para se sentirem indesejadas, excluídas e até mesmo envergonhadas. O valente, profético e inspirador livro do Padre Martin marca um passo essencial para convidar os líderes das igrejas a ministrarem com mais compaixão e a lembrar aos católicos LGBT que fazem parte da nossa igreja como qualquer outro católico”.

(in Harper Collins Publishers – tradução livre)

Outra crítica favorável citada pela editora é o forte elogio do bispo radical Robert McElroy, da diocese de San Diego (EUA), considerado por muitos como um dos bispos mais “misericordiosos” do mundo e – entre nós – um forte candidato ao barrete cardinalício.

“O Evangelho exige que os católicos LGBT sejam genuinamente amados e valorizados na vida da Igreja. Eles não o são. Martin fornece-nos a linguagem, a perspetiva e o sentido de urgência para realizar a tarefa árdua, mas monumentalmente cristã, de substituir uma cultura de alienação por uma cultura de inclusão misericordiosa.”

(D. Robert McElroy in Harper Collins Publishers – tradução)

Ainda a congratulação de uma popular freira contemporânea, a Ir. Jeannine Gramick, uma religiosa americana pertencente à congregação das Irmãs de Loreto e conhecida defensora de várias “sensibilidades” sexuais.

“Sexualidade, género e religião – uma mistura volátil! Com este livro, o Padre Martin mostra como o Rosário e a bandeira do arco-íris podem encontrar-se pacificamente. Depois deste livro de leitura obrigatória, entenderás porquê a New Ways Ministry homenageou o Padre Martin com a ‘Condecoração Construindo Pontes’.”

(Ir. Jeannine Gramick in Harper Collins Publishers – tradução)

A Ir. Jeannine é cofundadora do famoso grupo de “católicos gay New Ways Ministry.

É a nova pastoral do arco-íris… Temos um clero cada vez mais colorido, mas quem somos nós para julgar?

James Martin3
Grande discurso do Pe. James Martin SJ em defesa dos católicos LGBTQ – em direto

D. Kevin Joseph Farrell, bispo de Dallas, nos EUA, foi criado cardeal pelo Papa Francisco no consistório de 19 de novembro de 2016.

D. Joseph W. Tobin, arcebispo de Newark, nos EUA, foi criado cardeal pelo Papa Francisco no consistório de 19 de novembro de 2016.

Basto 4/2017

Padres jesuítas e a catequese gay…

Este era o título da série de vídeos catequéticos, de 2013, protagonizada por três famosos sacerdotes jesuítas norte-americanos, nomeadamente, os senhores Padres James Martin, Matt Malone e Arthur Fitzmaurice.

Nesta série ministrava-se catequese gay e partilhavam-se alguns dos seus frutos pastorais.

Quando saiu, a série foi condenada pelo bispo D. Salvatore Cordileone, de Oakland (EUA), por corresponder à área diocesana onde a Catholic Association for Lesbian and Gay Ministry, responsável pelos vídeos, estava sediada.

Há pouco mais de um mês, o sr. Pe. James Martin foi selecionado pela organização New Ways Ministry’s (organização de LGBT “católicos”) para receber a Bridge Building Award (Condecoração Construindo Pontes) em reconhecimento de todo o seu trabalho enquanto sacerdote, jornalista e escritor.

nwm
Anúncio da condecoração atribuída pela New Ways Ministry’s

Basto 10/2016

Travesti faz homilia e dá a comunhão

A pessoa que dá forma à popular drag queen brasileira Dindry Buck fez a homilia e distribuiu a comunhão na missa dominical do passado dia 12 de junho, na igreja paroquial de Nossa Senhora do Carmo, em Itaquera, São Paulo.

Albert Roggenbuck, mais conhecido pelo nome artístico Dindry Buck, é um famoso travesti brasileiro que se destaca frequentemente em iniciativas e eventos LGBT.

 

Basto 9/2016