Proudly Portugal: o novo destino turístico LGBT+

Uma delegação portuguesa marcou presença na FITUR Gay LGBT+, a feira espanhola de destinos turísticos gay que decorreu em Madrid, entre os dias 22 e 26 de janeiro, fazendo representar-se com a marca Proudly Portugal.

Basto 02/2020

Bispo mexicano celebra missa gay em ação de graças pelo aniversário de organização homossexualista

D. José Raúl Vera López, bispo titular da diocese de Saltillo, no México, presidiu à celebração de uma missa gay, no dia 13 de janeiro, em ação de graças pelo 18º aniversário da Comunidade de San Elredo, um grupo de militantes LGBTTTI+ [acrónimo em expansão].

missa.gay
Fotos publicadas pela Diocese de Saltillo via twitter.

A missa gay inseria-se numa vasta agenda homopastoral programada para esse dia.

missa.gay2
Cartaz do evento de homossexualismo católico divulgado através do facebook.

Destaca-se também, neste evento, a participação do falso frade Julian Cruzalta, um ex-clérigo marxista e defensor do aborto.

missa.gay3
Falso frade recorre ao mantra ultra-misericordista para pregar a sua ideologia no facebook.

Nas palavras dos organizadores, “Igreja LGBT+, protagonista de uma nova evangelização“.

Basto 01/2020

Sacerdote brasileiro celebra casamento gay

No passado mês de dezembro, a diocese de Assis, no Brasil, suspendeu ad cautelam o Padre Vicente Paula Gomes por este ter presidido formalmente a uma cerimónia de bênção de uma união homossexual.

Basto 01/2020

Travesti Conchita Wurst regressa à Catedral de Viena, na Áustria

conchita.jpgD. Cristoph Schönborn, grande adepto das novas doutrinas do Papa Francisco relativas ao adultério e ao homossexualismo, voltou a ceder a sua Catedral de Santo Estêvão, em Viena (Áustria), aos militantes e simpatizantes do movimento LGBT, no passado dia 1 de dezembro, para a celebração do Dia Mundial de Luta Contra a SIDA.

A estrela de cartaz voltou a ser o famoso travesti austríaco Thomas Neuwirth (mais conhecido por Conchita Wurst ou “a mulher barbuda”), vencedor do Festival Eurovisão da Canção em 2014. Desta vez não foi o pregador, mas o solista que cantou ao som do órgão de tubos da catedral.

Basto 12/2019

Santo Padre assina camisola para ativista LGBT anglicana

Francisco recebeu, no dia 14 de novembro, Jayne Ozanne, uma conhecida lésbica anglicana, que se notabilizou internacionalmente pelo seu ativismo na luta contra as terapias de conversão de homossexuais, através de uma organização homossexualista designada Ozanne Foundation.

Ozanne ofereceu ao Santo Padre um “estudo da fé e sexualidade em 2018” e um exemplar autografado do livro de memórias pessoais Just Love, onde descreve o seu discernimento vocacional na descoberta das virtudes do homossexualismo cristão.

Em retribuição, Francisco ofereceu-lhe um autógrafo numa tshirt e algumas palavras simpáticas.

Depois disso, Ozanne foi a correr dizer aos paroquianos e à sacerdotisa da sua igreja local em Littlemore, Inglaterra, que o Santo Padre tinha assinado uma camisola para eles.

O encontro com o Santo Padre foi visto por Jayne Ozanne e pelos média mundiais como uma confirmação da lésbica britânica no homossexualismo e um apoio ao ativismo LGBT, tendo acontecido na mesma altura em que Francisco comparou as declarações dos governantes que condenam as práticas homossexuais com os “discursos de Hitler em 1934”.

Basto 11/2019

Ainda os tais 30′ de conversa com o ativista gay James Martin SJ

Enquanto outros prelados católicos morrem à espera de ser recebidos, o famoso homossexualista jesuíta teve direito a 30 generosos minutos para esclarecer todos os seus dubia a respeito da aprovação das práticas homossexuais na Igreja Católica.

james martin.jpg

O Papa Francisco recebeu James Martin, SJ, numa audiência privada de 30 minutos na biblioteca papal do Palácio Apostólico do Vaticano nesta manhã, 30 de setembro, no que é visto aqui como uma declaração pública de apoio e encorajamento altamente significativa para este jesuíta dos EUA. O padre Martin é conhecido como orador público, autor e pelo seu ministério pastoral ao povo LGBT .

In América Magazine [revista jesuíta], 30/09/2019 – tradução livre.

Este acontecimento é significativo demais para ser desvalorizado.

Basto 10/2019

Frases que nos fazem pensar: James Martin SJ

m.james.martin.metallica«Um dos pontos altos da minha vida. Senti-me encorajado, consolado e inspirado pelo Santo Padre hoje. E o seu tempo comigo, no meio de um dia atarefado e de uma vida atarefada, parece ser um sinal claro do seu profundo cuidado pastoral para com os católicos LGBT e as pessoas LGBT em todo o mundo.»

(Pe. James Martin, sacerdote jesuíta e ativista gay, escolhido pelo Papa Francisco para assessor da Santa Sé e para promover o homossexualismo católico no Encontro Mundial das Famílias 2018)

Contexto da frase:

Mensagem publicada pelo ativista gay no Twitter, após ter sido recebido pelo Papa Francisco no Vaticano, num encontro privado que terá durado uns generosos 30 minutos; in @JamesMartinSJ, 30/09/2019 – tradução livre.

Basto 10/2019

Ativista gay da Companhia de Jesus propõe retiros para adolescentes LGBTQ

Pe. James Martin SJ, o conhecido ativista LGBT nomeado pelo Papa Francisco como consultor da Santa Sé para as comunicações e como pregador do homossexualismo católico no Encontro Mundial de Famílias 2018, em Dublin, propõe dois retiros nos EUA para adolescentes lésbicas, gays, bissexuais e transexuais. Um desses retiros terá lugar numa casa dos Jesuítas, na Atalanta, e o outro será numa casa dos Franciscanos, no Norte da Califórnia.

james martin.jpg
In Twitter de James Martin SJ, 08/09/2019.

James Martin, como se sente autorizado e apoiado, continua a promover abertamente o homossexualismo, agora até durante o Santo Sacrifício da Missa.

Basto 09/2019

Francisco anuncia a criação de 13 novos cardeais – 10 novos eleitores, o grupo mais liberal alguma vez escolhido

matteo zuppi.jpg

Por New Catholic

No final do Angelus de hoje [1 de setembro], Francisco anunciou um consistório para a criação de novos cardeais, marcado para 5 de outubro de 2019. Os cardeais eleitores (com menos de 80 anos de idade) serão:

  • Miguel Angel Ayuso Guixot, M. C. C. J. – Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso;
  • José Tolentino Mendonça – Arquivista e Bibliotecário da Santa Igreja Romana;
  • Ignatius Suharyo Hardjoatmodjo – Arcebispo de Jacarta;
  • Juan da Caridade García Rodríguez – Arcebispo de Havana;
  • Fridolin Ambongo Besungu, O. F. M. cap – Arcebispo de Kinshasa;
  • Jean-Claude Höllerich, S. J. – Arcebispo do Luxemburgo;
  • Alvaro L. Ramazzini Imeri – Bispo de Huehuetenamgo, Guatemala;
  • Matteo Zuppi – Arcebispo de Bolonha [presente na imagem acima];
  • Cristóbal Lopez Romero, S. D. B. – Arcebispo de Rabat;
  • Michael Czerny, S. J. – Subsecretário para os Migrantes (Santa Sé).

Eles são, sem dúvida, o grupo de cardeais eleitores mais liberal alguma vez escolhido. Dois deles, pelo menos, são largamente conhecidos nos círculos romanos pelas suas preferências “gay” (sendo a palavra “gay” usada aqui de propósito para incluir toda a “cultura gay” homossexual referida por Bento XVI no seu documento de 2005 sobre os seminaristas a evitar), outros dois são jesuítas liberais. Mesmo aqueles que são explicitamente não liberais, como o Arcebispo de Kinshasa, foram escolhidos provavelmente devido à sua extrema proximidade com a Igreja alemã e com as preocupações dos bispos alemães.

Quanto a Michael Fitzgerald, escolhido como um dos três cardeais sem direito a voto, lembramos esta postagem de 2006 sobre o motivo pelo qual Bento XVI o enviou para longe do Vaticano.

A paixão da Igreja durará muitas décadas mais. E Francisco jamais renunciará. Além disso, os marionetistas deixá-lo-ão em coma “a criar cardeais” durante anos, se isso for necessário para refazer totalmente o Colégio de Cardeais.

A edição original deste texto foi publicada no Rorate Caeli com a data de 01/09/2019. Tradução: odogmadafe.wordpress.com

Nota da edição: o conteúdo do texto acima é da inteira responsabilidade do seu autor, salvo algum eventual erro de tradução. A presente edição destina-se exclusivamente à sua divulgação. Sempre que possível, o texto deve ser lido na sua edição original. A imagem não faz parte da publicação original.

Basto 09/2019

 

Adolescente trava parada gay na Polónia com um crucifixo

São imagens que correram o mundo. Um adolescente de 15 anos enfrentou a primeira marcha do Orgulho Gay da cidade de Plock, na Polónia, que decorreu no passado dia 20 de julho, empunhando um crucifixo e um rosário. De acordo com a informação que circula nas redes sociais, o rapaz diz que se inspirou no heroísmo demonstrado pelo padre mártir polaco Ignacy Jan Skorupka frente os invasores comunistas soviéticos.

Entre outros ataques à fé cristã e depravações morais características deste tipo de eventos homossexualistas, os participantes na marcha ostentavam uma versão blasfema do ícone de Nossa Senhora de Częstochowa, a padroeira da Polónia.

Basto 08/2019