Diocese de Viseu abrirá a Sagrada Comunhão a adúlteros já neste Verão

henriqueviii.jpgA “Alegria do Amor” chegou a Viseu. Sem qualquer surpresa, a Ecclesia acaba de informar que o bispo de Viseu anunciara a publicação, para o dia 1 de julho próximo, do tão desejado documento que regulamenta a abertura da Sagrada Comunhão a pessoas que vivem em adultério, respondendo assim ao desejo do Papa Francisco. De acordo com a agência noticiosa da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Ilídio Leandro pede que “não se tenha uma atitude legalista” perante as (inovadoras) “propostas” do Santo Padre.

“O capítulo 8 (da Exortação Apostólica Amoris Laetitia) abriu às situações irregulares [*] a possibilidade dessas pessoas poderem reencontrar-se na Igreja mesmo em comunhão sacramental, no abeirar-se da reconciliação e na Eucaristia.”

(D. Ilídio Leandro in Ecclesia, 15/05/2018)

* Nota nossa: o termo “irregular” é um neologismo linguístico que corresponde, em termos objetivos, à tradicional noção católica de adultério na sua forma continuada.

Esta nova pastoral pode conduzir à erradicação do adultério (enquanto tal) em toda a região.

E lá se vai completando o mapa deste nosso triste fado

Basto 5/2018

13 thoughts on “Diocese de Viseu abrirá a Sagrada Comunhão a adúlteros já neste Verão

  1. Já enviei um pedido urgente a D. Ilídio, no sentido da não aplicação do controverso diploma!
    Resta rezar…e rezar muito para que, neste Pentecostes o Santo Espírito de Deus o ilumine!

    Para leis iníquas já bastam as do Estado! Valha-nos Deus!

  2. Comentários para quê?! Não era isto que todos prevíamos?!
    Lentamente, os objectivos de Sua Santidade… estão a ser alcançados!
    Que Deus nos mantenha firmes até à derrocada final!!!

    • “Firmes” hoje significa “rígidos”…

      Em 2013 e 2014, quando alguns de nós tínhamos já percebido quais eram os objetivos do Papa Francisco, acusavam-nos de desinterpretar as palavras papais e até de difamar o Santo Padre atribuindo-lhe intenções heréticas que ela jamais teria (quando nós apenas questionávamos se era mesmo isso que Francisco pretendia). Hoje, as mesmas pessoas já não nos acusam de desinterpretar o Papa porque elas também já o interpretam da mesma forma que nós interpretávamos, porém estão agora altamente felizes (em alguns casos quase histéricas) em relação a essas intenções, promovendo-as ativamente ou, pelo menos, não se importando com elas.

  3. Mais um!
    Para o de Aveiro não cheguei a comentar, coloco aqui a seguinte observação. O documento deles pode ser lido aqui:
    http://www.diocese-aveiro.pt/v2/?p=16054

    Na parte final (Texto introdutório ao Documento Acompanhar, Discernir e Integrar da autoria do P. Doutor Manuel de Pinho Ferreira) no ponto 3 contém uma lenga-lenga sedutora que dá direitos e dignidades, é a soberba como pastoral:

    “Em suma, pela participação no múnus sacerdotal, profético e real de Cristo e pela vocação daí consequente os fiéis cristãos foram agraciados com uma dignidade específica, donde flui nuclearmente um património de obrigações e direitos fundamentais daquela personalidade de serem “filhos no Filho””

    “no c. 223 descreve-se um tão importante que alguns Autores o designam como direito fundamental e constitucional. Enuncia-se assim esse direito: Os fiéis têm o direito de receber dos sagrados pastores os auxílios hauridos dos bens espirituais da Igreja, sobretudo da palavra de Deus e dos sacramentos.
    Ora os fiéis cristãos divorciados e em nova união não perderam esse direito fundamental, nem caíram em heresia, apostasia ou cisma por que possam estar privados do exercício do mesmo, encontrando-se embora numa situação de irregularidade canónica.”

    É soberba digna de doutores da Lei porque nesta lenga-lenga sobre o código de direito canónico foi convenientemente esquecido o artigo 915:
    “Cân. 915 — Não sejam admitidos à sagrada comunhão os excomungados e os interditos, depois da aplicação ou declaração da pena, e outros que obstinadamente perseverem em pecado grave manifesto.”

    Este documento de Aveiro faz-me recordar o filho pródigo que cheio de direitos e dignidades foi pedir a sua parte na herança ao pai e vai desbaratá-la. Assim a promovem em Aveiro sugerindo dignidades e direitos levam os divorciados “recasados” a tomar parte da sua herança de baptizados e desbaratá-la permanecendo em pecado. Espermos que como o filho pródigo acordem a tempo e voltem a tempo para junto do Pai.

    • Acrescento dois pormenores:
      No documento indicam “E no c. 223 (do Código de Direito Canónico) descreve-se um tão importante que alguns Autores o designam como direito fundamental e constitucional. Enuncia-se assim esse direito: Os fiéis têm o direito de receber dos sagrados pastores os auxílios hauridos dos bens espirituais da Igreja, sobretudo da palavra de Deus e dos sacramentos.”
      É tão importante e fundamental que até se enganaram no número, que é afinal o 213.

      Os fariseus é que tinham uma pastoral à parte da doutrina, o Senhor chamou a isso hipócrisia. A Lei é para ser levada à perfeição com amor, misericórdia e justiça, fundada no amor de Deus e no amor ao próximo, no cumprimento dos mandamentos. O problema da nova igreja (anti-igreja), é colocar o amor como Deus, o que na prática se traduz por colocar a felicidade de cada um no lugar de Deus, à maneira do mundo e ao modo que cada um achar melhor.

  4. http://filialsuplica.org

    Neste link encontram a Correcção Filial que podem subscrever! Eu já o fiz!

    Reparei que estão alguns Sacerdotes Portugueses!

    De qualquer forma não publicaram a lista completa e, mencionar a profissão é opção facultativa, o que dificulta essa informação…pelo que não sabemos se terão assinado mais alguns…?!

    Exorto a todos que assinem! Não sabia sequer que existia essa possibilidade! É uma forma de nos posicionarmos! Estou aqui a pensar se devo, ou não enviar para as Dioceses, das quais tenho o contacto!

    • Já não é novo Maria, penso que assinei esse documento na altura em que foi criado. Mas fez bem em relembrar, uma vez que o documento continua aberto a novas assinaturas.

      • Sim,Basto, já é de 2016, salvo erro, desde a época da “correcção filial”! Coloquei aqui porque tenho a certeza que a maior parte das pessoas não estão informadas, como eu, por exemplo! Sabia que milhares de fiéis se posicionaram…mas ignorava, como e quando foi realizado!
        Tal como o seu blog…conheci há bem pouco tempo! O “Bem” é sempre silencioso! O “Mal” é que faz muito barulho, normalmente!

  5. Eis aí o novo ensinamento particular modernista de “pecar sem culpa e ainda julgar, ainda que erronea e deturpadamente julgar agir corretamente – levando-se em conta que assuntos hoje em dia, como penitencia, austeridade, auto dominio – esse então, nem de longe citar !
    Dessa forma, como inexistem desses ensinamentos nas seitas protestantes do “todos salvos” – em que seus adeptos são cada um, ainda que diferentemente e ao contrario entre si em perfeita contradição uns com os outros – acreditam e propagam piamente e com muito entusiasmo como sendo inspirados pelo verdadeiro Espírito Santo, embora saibamos ser o outro, o espirito de porco travestido daquele, o que continuamente nos deparamos em nosso meio!
    … “Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar. Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro.,. 2 Ts 2 10-11.
    Os que acreditarem nessa fraude de poderem viver no pecado e comungarem, além de ajuntarem inúmeros pecados para darem conta a mais e se comportarem como péssimos exemplos como católicos – UNS ESCANDALOSOS – especialmente para os filhos menores suas maiores vitimas, se existentes, como em geral, também a mais familiares, induzindo-os a os imitarem, além de serem potenciais e seríssimos candidatos a se condenarem eternamente e, desesperados no inferno, ainda perseguirem os que lhes foram causa de perdição!
    “Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado! Gal 1,9

  6. A propósito de «o mapa deste nosso triste fado…», transcrevo um artigo publicado no nº. 2923, de 27 de Maio de 2018, no jornal AVE MARIA, propriedade da Diocese de Vila Real cujo Director e Administrador é o Reverendíssimo Padre António Castro Fontes, Vigário-Geral da Diocese.
    Ao Reverendíssimo Vigário-Geral e a seu Bispo S.E.R. Dom Amândio Tomás, o meu sincero obrigado pela clareza do texto e fidelidade à doutrina do Divino Mestre.

    “COMUNHÃO PLENA
    Frequentemente aparecem pessoas que, em solteiras, não davam sinais de grande piedade nem frequentavam a Eucaristia dominical e algumas até casavam mal – por exemplo com divorciados, e, então, de repente, se enchem de fervor, querem comungar e reagem por lhes ser desaconselhado…
    Reparemos na celebração da Santa Missa: podemos dizer que há nela como que três comunhões:
    – Comunhão na fé, expressa no Credo proclamado logo a seguir às leituras;
    – Comunhão na disciplina da Igreja, expressa depois da consagração – união com o Papa, Bispos e com todos os crentes;
    – Comunhão eucarística, depois do Pai Nosso.
    Só pode haver verdadeira comunhão eucarística quando se acredita e vive as outras duas comunhões. Quem não obedece à Igreja não pode receber a comunhão eucarística. Não lucram nada e o tentar a comunhão só aumenta o peso da consciência. É melhor não irem além da comunhão que lhes é possível, não a eucaristia. É comer a própria condenação, conforme diz Jesus.”

    • Li, há dias, precisamente esse texto num exemplar desse pequeno jornal que refere que se encontrava no banco de uma capela onde entrei. Esse texto publicado num jornal oficial da diocese (penso que até é editado ou imprimido no seminário diocesano de Vila Real) prova que atualmente existem duas Igrejas, com doutrinas distintas ou até antagónicos, dentro da Instituição Católica. Portugal não é exceção.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s